Sentidos sobre SaÃde-DoenÃa Mental: Uma InterlocuÃÃo com UsuÃrios que Participam de um Grupo TerapÃutico do CAPS.

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

DATA DE PUBLICAÇÃO

15/08/2011

RESUMO

Esta dissertaÃÃo objetivou analisar os sentidos construÃdos sobre saÃde-doenÃa mental por participantes de um grupo terapÃutico do CAPS e suas implicaÃÃes ao processo de desinstitucionalizaÃÃo da loucura. Para tanto, esteve referenciada nos aportes da SaÃde Coletiva, no tocante a produÃÃo social do processo saÃde-doenÃa e ainda nas contribuiÃÃes teÃricas do campo da SaÃde Mental sobre a proposta de desinstitucionalizaÃÃo da loucura no cotidiano das prÃticas de cuidado e atenÃÃo aos usuÃrios. AlÃm dessas bases, o estudo conta tambÃm com o referencial da Teoria HistÃrico-Cultural da Mente, no que se refere Ãs suas elaboraÃÃes em torno da temÃtica dos sentidos. Metodologicamente, a pesquisa se configurou como uma investigaÃÃo de carÃter qualitativo. A pesquisa foi realizado no CAPS Geral da SER II de Fortaleza, por meio do contato com um dos grupos terapÃuticos dessa instituiÃÃo, o Grupo de Florescimento Humano. O contato com esse grupo iniciou-se em julho de 2010, primeiramente, por meio da metodologia da ObservaÃÃo Participante, com intuito de conhecer o modo de funcionamento dessa proposta terapÃutica. Posteriormente, foi realizada uma Entrevista Individual Semi-Estruturada com uma das participantes. Por fim, foi aplicado um questionÃrio escrito com doze pessoas do grupo, as quais tambÃm participaram de um CÃrculo de Cultura sobre o tema desta pesquisa. O material oriundo desses procedimentos foi registrado com o auxÃlio de um gravador de voz, em seguida, foi transcrito e analisado com base na metodologia da AnÃlise TemÃtica. Como resultado de tal proposta de anÃlise, foram categorizados trÃs temas que mais se destacaram do discurso dos participantes, quais sejam: a conceituaÃÃo da loucura e do processo saÃde-doenÃa mental; as histÃrias e âestÃriasâ que explicam as existÃncias-sofrimento e a produÃÃo da saÃde mental; a construÃÃo de sentidos e desinstitucionalizaÃÃo. Os achados desta pesquisa apontam que a loucura e o processo saÃde-doenÃa mental encontram-se imersos em um quadro de grande indefiniÃÃo cientÃfica, que gera muitas possibilidades de significaÃÃes em torno da questÃo. Os sentidos de saÃde e doenÃa mental produzidos com os participantes circularam em torno de adjetivos antagÃnicos que indicaram a presenÃa marcante de uma noÃÃo de saÃde mental como algo inalcanÃÃvel, por significar a ausÃncia de doenÃas. JÃ a doenÃa mental foi percebida como desajuste, erro, desequilÃbrio e acÃmulo de problemas. Por outro lado, os participantes tambÃm destacaram a existÃncia de diferentes modos de ser e existir no mundo como marcas de singularidades, que, frequentemente sÃo diagnosticadas como loucura. Eles apontaram apara a necessidade de convivÃncia com essas diferenÃas e com seu processo de sofrimento. Como mais um resultado do estudo, foi discutida a importÃncia da categoria sentido, como ferramenta essencial a ser valorizada e trabalhada na proposta de desinstitucionalizaÃÃo da loucura no cotidiano dos serviÃos de saÃde mental.

ASSUNTO(S)

psicologia social saÃde mental doenÃa mental desinstitucionalizaÃÃo da loucura e sentidos mental health, mental illness, deinstitutionalization of the madness and senses saÃde mental - fortaleza(ce) doenÃas mentais - fortaleza(ce) sentidos e sensaÃÃes polÃtica de saÃde mental - fortaleza(ce) centros de atenÃÃo psicossocial

Documentos Relacionados

Finalmente… a Conclusão do TCC em 3 Passos Simples! Se você disser que eu falei isso, eu nego, mas, para mim, a Conclusão do TCC deveria ter outro nome. Algo como: A Doce Arte de Encher Linguiça! Seus professores e orientadores podem até tentar te convencer do contrário. Podem usar inúmeros argumentos para te convencer de que a conclusão do TCC é um elemento fundamental, e, dependendo da retórica do seu professor, você até pode comprar essa bobagem como verdade. Mas se você conhece o Ler artigo

Um Artigo Científico Pronto em 5 Passos? Como? É exatamente isso que você vai ver aqui. Então, você tem que fazer um Artigo Científico? Esse é modelo do seu TCC? Pode abrir um leve sorriso, afinal, o Artigo Científico é o modelo que menos exige conteúdo de texto. Trocando em miúdos, é o menor dos trabalhos acadêmicos em termos de volume de texto. Assim como todos os demais Trabalhos Científicos e Acadêmicos, o Artigo Científico Pronto tem apenas 3 Elementos: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E, antes Ler artigo

Como fazer um TCC passo a passo – plágio e softwares de TCC? O que isso tem a ver com seu TCC? TUDO! Ou você não se importa em ouvir do seu orientador: “Seu trabalho tem plágio! Zero!” É… eu sei que você se importa. O problema é que muitos alunos morrem de medo do plágio, mas não sabem exatamente quando ele acontece. Definir o plágio é muito simples. Plágio é Roubar a Ideia do Outro. Simples assim. Quando você usa uma ideia, texto ou Ler artigo

Para ter um TCC pronto, é preciso perder o medo. E se você está perdido ou se sentido incapaz, você precisa saber: A Culpa não é sua! Descubra Agora a Mentira que te venderam (por um tempo, eu também comprei…) Quem tem medo do TCC? Eu não sei você, mas, durante um bom tempo, eu tive muito! Eu me sentia perdido, sozinho e incapaz de fazer o meu trabalho. Eu tinha certeza de que nuca teria um TCC pronto. E se você acha que o Ler artigo

Se você quer aprender Como Fazer Citações para o TCC de forma fácil e não ser acusado de plágio, então, recomendo fortemente que leia esse artigo até o final… E não se esqueça de assistir o vídeo logo abaixo! Imagina só… você fez todo o seu TCC, está aliviado, radiante, tirou um peso das costas… aí, PAH! Seu orientador diz que o seu trabalho tem Plágio e, por isso, vai ser reprovado. Não!!!! Aí vai uma notícia que talvez você não saiba, SE VOCÊ FEZ Ler artigo