Genetic susceptibility in leprosy: molecular analysis of HLA classroom II and classroom III. / Suscetibilidade Genética na Hanseníase:análise Molecular de HLA classe II &classe III.

AUTOR(ES)
DATA DE PUBLICAÇÃO

2007

RESUMO

Diversos estudos têm demonstrado a influência da variabilidade genética humana na capacidade de resposta ao M. leprae, agente etiológico causador da hanseníase. Através de diferentes técnicas a genética moderna tem contribuído para a determinação de regiões importantes associadas à doença, dentre elas o cromossomo 6p21, apontando principalmente a associação da região HLA/TNF. Na hanseníase, o estudo de SNPs no gene de TNF tem mostrado diferentes tipos de associações, dependendo da população estudada. Paralelamente, relatos têm demonstrado que alelos HLA-DRB1 desempenham um importante papel no desenvolvimento da doença. Assim sendo, vista a possibilidade da predisposição genética ser um dos fatores responsáveis pelo desenvolvimento da hanseníase, o presente estudo teve como objetivo analisar o papel da região HLA/TNF na doença mediante distintas abordagens. Primeiramente, para as análises do lócus HLA-DR foi realizado um estudo do tipo caso-controle englobando 1269 indivíduos pertencentes à população brasileira. Para a posterior confirmação dos resultados obtidos foi então realizado um estudo de replicação utilizando-se o método de TDT com 194 famílias vietnamitas. Para as análises da região TNF foi realizado um estudo do tipo caso-controle com 1170 indivíduos pertencentes à população brasileira onde foram analizados os SNPs nas posições +252 do gene de LTA e -863, -308 e -238 do gene de TNF. Testes de varredura e análise haplotípica foram aplicados com os respectivos SNPs. Os resultados encontrados para o lócus HLA-DR corroboram achados prévios mostrando a associação do alelo HLA-DRB1*15 com suscetibilidade a hanseníase na população brasileira. Adicionalmente, devido ao alto poder amostral utilizado nesta análise assim como o estudo de replicação, foi possível se observar os alelos HLA-DRB1*10 e HLA-DRB1*04 associados com suscetibilidade e resistência a doença, respectivamente. Na região TNF, os resultados obtidos sugerem que os haplótipos -863C/-308A; -308A/-238G e +252G/-308A encontram-se associados com resistência à hanseníase, destacando a recorrência do alelo A na posição -308 entre os três haplótipos significativos, sugerindo que o mesmo pode ser utilizado como tagSNPs em estudos posteriores. Portanto, baseado nos resultados apresentados no presente estudo pose-se inferir a importância dos alelos HLA-DRB1*10, HLA-DRB1*04 e TNF-308A como marcadores genéticos na hanseníase.

ASSUNTO(S)

hanseníase lymphotoxin-alpha mycobacterium leprae mycobacterium leprae genes mhc class ii linfotoxina-alfa polymorphism genetic genetica molecular e de microorganismos leprosy genes classe ii do complexo de histocompatibilidade (mhc) polimorfismo genético

Documentos Relacionados

Que tal aprender, de uma vez por todas, como fazer uma Justificativa de TCC, aplicando a poderosa técnica do Roteiro de Consequências? É impressionante! O quê? A técnica do Roteiro de Consequências? Sim. Ela também. E você vai conhecer essa técnica no vídeo deste artigo e vai ver Como Fazer a Justificativa do TCC com base em 2 exemplos simples e práticos. Para você, finalmente, deixar a sua Justificativa de TCC pronta! Mas, primeiro, eu preciso dizer: É impressionante! Como a Justificativa é um ponto Ler artigo

Para ter um TCC pronto, é preciso perder o medo. E se você está perdido ou se sentido incapaz, você precisa saber: A Culpa não é sua! Descubra Agora a Mentira que te venderam (por um tempo, eu também comprei…) Quem tem medo do TCC? Eu não sei você, mas, durante um bom tempo, eu tive muito! Eu me sentia perdido, sozinho e incapaz de fazer o meu trabalho. Eu tinha certeza de que nuca teria um TCC pronto. E se você acha que o Ler artigo

Um Artigo Científico Pronto em 5 Passos? Como? É exatamente isso que você vai ver aqui. Então, você tem que fazer um Artigo Científico? Esse é modelo do seu TCC? Pode abrir um leve sorriso, afinal, o Artigo Científico é o modelo que menos exige conteúdo de texto. Trocando em miúdos, é o menor dos trabalhos acadêmicos em termos de volume de texto. Assim como todos os demais Trabalhos Científicos e Acadêmicos, o Artigo Científico Pronto tem apenas 3 Elementos: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E, antes Ler artigo

Você sabe o que escrever na introdução do seu TCC? Você já parou na frente do seu computador sem ter a menor ideia sobre a introdução do seu TCC, o que escrever e por onde começar? Eu já passei por isso. E como eu não desejo essa situação para ninguém, é hora de resolver esse problema. Muita gente, mas muita gente mesmo me pergunta: “Amilton, o que eu devo escrever na Introdução do meu TCC?” Aí vai a resposta: A Introdução do seu TCC é Ler artigo

Como fazer TCC? Nas últimas semanas tenho visto milhares de alunos com dificuldades, sem saber o que fazer, que simplesmente ficam parados na frente do computador e não conseguem escrever uma única palavra sequer. Neste texto, nós vamos ver como mudar essa situação de uma vez por todas! Alguns alunos me mandam e-mails perguntando Como Fazer TCC passo a passo. Bom, em primeiro lugar, essa é uma dificuldade muito comum, vivida por 99,9% dos alunos de faculdades no Brasil e no mundo! Os outros 0,01% Ler artigo