A agroecologia como estratégia de gestão de Unidades de Conservação de Uso Sustentável no Vale do Ribeira − SP, Brasil / Agroecology as a management strategy for Sustainable Conservation Units in Vale do Ribeira – SP, Brazil

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

05/11/2012

RESUMO

Este trabalho apresenta elementos de reflexões acerca dos distintos modelos de gestão que são concebidos para as áreas naturais protegidas. Nosso interesse se voltou, em particular, para os debates acerca das Unidades de Conservação de Uso Sustentável do estado de São Paulo - Brasil. Atualmente, na região do Vale do Ribeira, possuidora de um dos maiores remanescentes contínuos de Mata Atlântica do país, é possível encontrar disputas por diferentes modelos de gestão destas áreas. O estudo da implantação das Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) permite analisar as mais recentes formas de reconhecimento do direito de permanência de populações tradicionais no interior de áreas naturais protegidas no Brasil, em especial, na faixa de Mata Atlântica do litoral sul paulista. Nesta perspectiva, buscou-se analisar a inserção da temática da agroecologia como estratégia de gestão, em meio a conflitos socioambientais. A metodologia de pesquisa comportou levantamento bibliográfico e coleta de dados primários, graças a anotações em cadernos de campo, obtenção de relatos orais nos espaços participativos de gestão e uso do território da RDS do Despraiado, no âmbito da recategorização da Estação Ecológica Juréia-Itatins em mosaicos de UCs e entrevistas semi-estruturadas junto aos gestores e pesquisadores das UCs do Vale do Ribeira. A pesquisa ainda contou com um estágio doutoral no Institute des Hautes Études sur l\ Amerique latine, Sorbonne Nouvelle, onde foi possível analisar as estratégias de gestão territorial adotadas em dois Parques Naturais Regionais franceses, consideradas enquanto subsídio para nossa análise sobre a conciliação da conservação com o desenvolvimento. A partir dos dados coletados foi possível caracterizar e interpretar a organização social, o histórico das práticas produtivas agrícolas tradicionais, os conflitos socioambientais ligados à gestão da RDS do Despraiado e as práticas agrícolas intensivas em áreas degradadas. Neste quadro, foi possível encontrar evidências de que o modo de vida e de produção agrícola favorecem uma sensibilidade das populações locais ao início de um processo de transição agroecológica. Entretanto, as disputas em torno da implantação da RDS em estudo aqui revelam que a perspectiva de conservação da natureza com desenvolvimento - na qual a agroecologia está, em princípio, em primeiro plano - enfrenta muitos obstáculos para sua disseminação. A promulgação da Ação Direta de Inconstitucionalidade contra a lei que instituiu o Mosaico de UCs Juréia-Itatins reforça a manifestação dos interesses preservacionistas no âmbito da gestão deste território no estado de São Paulo. Mesmo com a repercussão de experiências agroecológicas de sucesso no Vale do Ribeira, ainda são muito incipientes as iniciativas de conservação da sociobiodiversidade e de valorização cultural para o desenvolvimento sustentável das populações tradicionais no interior de UCs paulistas.

ASSUNTO(S)

agricultural ecology Áreas de conservação atlantic rainforest biodiversidade biodiversity conservation areas ecologia agrícola environmental management gestão ambiental mata atlântica sustainability sustentabilidade

Documentos Relacionados