Expressão de citocinas no estroma cervical de mulheres infectadas e não infectadas pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) com Neoplasia Intraepitelial Cervical (NIC)

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

DATA DE PUBLICAÇÃO

16/12/2011

RESUMO

Objetivo: avaliar se existe diferença na resposta imune no estroma cervical, a partir da expressão imuno-histoquímica das citocinas interleucina (IL) IL-4, IL-12, interferon gama (IFN-) e fator de crescimento tumoral beta (TGF-) de mulheres infectadas e não infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) com neoplasia intraepitelial cervical (NIC). O objetivo secundário foi avaliar se existe diferença na resposta imune local entre as NICs de baixo e alto grau no colo uterino. Método: estudo transversal realizado a partir de material obtido por conização do colo uterino de mulheres infectadas e não infectadas pelo HIV com NIC. A conização foi realizada pela cirurgia de alta frequência (CAF), entre janeiro de 1999 e maio de 2004. A avaliação das citocinas no estroma cervical foi feita com base na imuno-histoquímica. Para a análise estatística usou-se teste Quiquadrado para comparação das variáveis categóricas e os testes U-Mann-Whitney e Qui-Quadrado para avaliar se existiam associações, considerando-se o nível de significância de 0,05. A análise multivariada foi feita por regressão logística. Nas regressões múltiplas para HIV e grau da lesão, foram selecionados os potenciais preditores na análise univariada, utilizando nível de 0,20 de significância. Para verificar a qualidade do ajuste das regressões logísticas, foi realizado o teste de Hosmer-Lemeshow. Resultado: em relação ao status do HIV, não foram encontradas diferenças na imunidade local entre as mulheres infectadas e não infectadas pelo HIV. Porém, ao avaliar a interação entre o HIV e o grau da NIC, foi significativa a associação da expressão de IL-12 em mulheres infectadas pelo HIV e com NIC de alto grau no colo uterino (P=0,016) e IL-4 com as infectadas pelo HIV com NIC de baixo grau (P=0,0456). Quanto ao grau de lesão, houve associação entre TGF- e NIC alto grau tanto no grupo de mulheres infectadas quanto no grupo de mulheres não infectadas (P=0,000). Conclusão: detectou-se interação entre HIV e o grau da NIC, uma vez que houve mudança de expressão de IL-12 e de IL-4 na presença do HIV. Em relação ao grau de lesão, houve predomínio de TGF- nas NICs de alto grau, refletindo predomínio de ambiente imunorregulatório.

ASSUNTO(S)

neoplasia intra-epitelial cervical decs imunoistoquímica decs citocinas decs hiv decs mulheres decs interferon gama decs fator de necrose tumoral alfa decs estudos transversais decs dissertações acadêmicas decs dissertação da faculdade de medicina da ufmg. hiv (vírus)

Documentos Relacionados

Como fazer um TCC passo a passo – plágio e softwares de TCC? O que isso tem a ver com seu TCC? TUDO! Ou você não se importa em ouvir do seu orientador: “Seu trabalho tem plágio! Zero!” É… eu sei que você se importa. O problema é que muitos alunos morrem de medo do plágio, mas não sabem exatamente quando ele acontece. Definir o plágio é muito simples. Plágio é Roubar a Ideia do Outro. Simples assim. Quando você usa uma ideia, texto ou Ler artigo

Você sabe o que escrever na introdução do seu TCC? Você já parou na frente do seu computador sem ter a menor ideia sobre a introdução do seu TCC, o que escrever e por onde começar? Eu já passei por isso. E como eu não desejo essa situação para ninguém, é hora de resolver esse problema. Muita gente, mas muita gente mesmo me pergunta: “Amilton, o que eu devo escrever na Introdução do meu TCC?” Aí vai a resposta: A Introdução do seu TCC é Ler artigo

Se você quer aprender Como Fazer Citações para o TCC de forma fácil e não ser acusado de plágio, então, recomendo fortemente que leia esse artigo até o final… E não se esqueça de assistir o vídeo logo abaixo! Imagina só… você fez todo o seu TCC, está aliviado, radiante, tirou um peso das costas… aí, PAH! Seu orientador diz que o seu trabalho tem Plágio e, por isso, vai ser reprovado. Não!!!! Aí vai uma notícia que talvez você não saiba, SE VOCÊ FEZ Ler artigo

Que tal aprender, de uma vez por todas, como fazer uma Justificativa de TCC, aplicando a poderosa técnica do Roteiro de Consequências? É impressionante! O quê? A técnica do Roteiro de Consequências? Sim. Ela também. E você vai conhecer essa técnica no vídeo deste artigo e vai ver Como Fazer a Justificativa do TCC com base em 2 exemplos simples e práticos. Para você, finalmente, deixar a sua Justificativa de TCC pronta! Mas, primeiro, eu preciso dizer: É impressionante! Como a Justificativa é um ponto Ler artigo

Um Artigo Científico Pronto em 5 Passos? Como? É exatamente isso que você vai ver aqui. Então, você tem que fazer um Artigo Científico? Esse é modelo do seu TCC? Pode abrir um leve sorriso, afinal, o Artigo Científico é o modelo que menos exige conteúdo de texto. Trocando em miúdos, é o menor dos trabalhos acadêmicos em termos de volume de texto. Assim como todos os demais Trabalhos Científicos e Acadêmicos, o Artigo Científico Pronto tem apenas 3 Elementos: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E, antes Ler artigo