Erosão do córtex mandibular inferior em radiografias maxilares panorâmicas como sinal de osteoporose em mulheres na pós-menopausa

AUTOR(ES)
FONTE

Rev. Bras. Ginecol. Obstet.

DATA DE PUBLICAÇÃO

2017-12

RESUMO

Resumo Objetivo Verificar o papel das radiografias maxilares panorâmicas no diagnóstico de osteoporose em mulheres na pós-menopausa. Métodos Estudo de corte transversal, incluindo mulheres voluntárias com idade acima de 40 anos e amenorreia por falência ovariana havia pelo menos 12 meses, atendidas no ambulatório de climatério de um hospital universitário de Cuiabá-MT entre 2014 e 2015. As radiografias panorâmicas foram avaliadas por um programa de mensuração específico. Dois aspectos foram analisados na radiografia panorâmica mandibular: um qualitativo, referente à forma da cortical óssea mandibular, e outro quantitativo, referente à largura da cortical óssea mandibular. A morfologia da cortical óssea mandibular na radiografia panorâmica digital foi determinada pela observação das estruturas ósseas da região entre o forame mentoniano e a cortical óssea mandibular, bilateralmente, sendo categorizada em três grupos. O índice mentoniano (IM) foi utilizado para avaliar a espessura do córtex mandibular por meio de uma linha perpendicular à base da mandíbula na altura do centro do forame mentoniano; uma segunda linha é tangente à borda inferior damandíbula, e uma terceira linha é tangente à superior da mandíbula. Os dados são expressos em milímetros, com um valor normal de 3,0 mm. A densitometria da coluna lombar e do fêmur, expressa em g/cm2, foi categorizada em normal, osteopenia ou osteoporose. Resultados Observou-se boa concordância entre os resultados dos testes realizados. Quando comparado o índice mentoniano (IM) com a densitometria mineral óssea (DMO) da região lombar da coluna, o Kappa foi de 0,718, e quando o mesmo índice foi comparado com a DMO da região do colo do fêmur, ele foi de 0,443, demostrando boa concordância entre os dois testes. Um melhor grau concordância ocorreu quando comparados o índice da cortical óssea mandibular (ICM) com a DMO da região lombar da coluna (0,912) e quando comparados o ICM e a DMO da região do fêmur 0,579. Conclusão Os índices radiomorfométricos avaliados nas radiografias panorâmicas mandibulares mostraram ser capazes de identificar precocemente mulheres pósmenopáusicas combaixa DMO, e podem ser usados para que elas sejam encaminhadas para o tratamento/exame médico adequado.

ASSUNTO(S)

osteoporose climatério mandíbula radiografia panorâmica menopausa

Documentos Relacionados

Se o seu (des)orientador pediu para você fazer os Resultados e Discussão no TCC, mas não te explicou o que é isso e nem mostrou Como Fazer, este artigo é para você! Você quer Aprender Definitivamente O Que São e Como Fazer os Resultados e Discussão no seu TCC, não quer? Então, você tem que dar uma olhada no VÍDEO deste artigo. Aprenda de maneira Rápida e Definitiva Como Fazer os Resultados e Discussão no TCC, com exemplos Simples e Objetivos para trabalhos com Pesquisa de Campo Ler artigo

TCC Pronto e Gratuito? Sério mesmo? Você acredita em almoço de graça? Comprar um TCC Pronto? Fazer o Próprio TCC? Você ainda tem dúvidas como essas? Você PRECISA ver este Artigo com Urgência! Neste artigo você encontrará: TCC Pronto e Gratuito Comprar TCC Pronto É só me corrigir se eu estiver errado, mas as pessoas Adoram Atalhos, certo? O problema é que, muitas vezes, ATALHOS São ARMADILHAS DISFARÇADAS. Então, se você quer Fugir das Armadilhas e quer saber a Verdade sobre TCC Pronto, TCC Pronto e Ler artigo

Que tal aprender, de uma vez por todas, como fazer uma Justificativa de TCC, aplicando a poderosa técnica do Roteiro de Consequências? É impressionante! O quê? A técnica do Roteiro de Consequências? Sim. Ela também. E você vai conhecer essa técnica no vídeo deste artigo e vai ver Como Fazer a Justificativa do TCC com base em 2 exemplos simples e práticos. Para você, finalmente, deixar a sua Justificativa de TCC pronta! Mas, primeiro, eu preciso dizer: É impressionante! Como a Justificativa é um ponto Ler artigo

Você sabe o que escrever na introdução do seu TCC? Você já parou na frente do seu computador sem ter a menor ideia sobre a introdução do seu TCC, o que escrever e por onde começar? Eu já passei por isso. E como eu não desejo essa situação para ninguém, é hora de resolver esse problema. Muita gente, mas muita gente mesmo me pergunta: “Amilton, o que eu devo escrever na Introdução do meu TCC?” Aí vai a resposta: A Introdução do seu TCC é Ler artigo

Um Artigo Científico Pronto em 5 Passos? Como? É exatamente isso que você vai ver aqui. Então, você tem que fazer um Artigo Científico? Esse é modelo do seu TCC? Pode abrir um leve sorriso, afinal, o Artigo Científico é o modelo que menos exige conteúdo de texto. Trocando em miúdos, é o menor dos trabalhos acadêmicos em termos de volume de texto. Assim como todos os demais Trabalhos Científicos e Acadêmicos, o Artigo Científico Pronto tem apenas 3 Elementos: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E, antes Ler artigo