Estudo etiológico e patológico de pneumonias em javalis criados de forma confinada no estado do Rio Grande do Sul / Etiological and pathological study of pneumonia in captive wild-boars in the state of Rio Grande do Sul

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

2012

RESUMO

As doenças respiratórias são muito comuns na produção intensiva de suínos, já em javalis são escassas informações sobre prevalência, etiologia e apresentação clínico-patológica destas enfermidades. No entanto, a presença de patógenos respiratórios comuns entre javalis selvagens e confinados e suínos domésticos já foi relatada. Este trabalho descreve as principais lesões macroscópicas e histológicas de pneumonias de javalis e os agentes comumente envolvidos. Foram examinados pulmões de javalis, ao abate, provenientes de criatórios comerciais e a principal lesão macroscópica foi consolidação crânio-ventral dos lobos craniais e médios e lesões crônicas cursando com hiperplasia linfóide na histologia. O principal agente bacteriano detectado foi o Mycoplasma hyopneumoniae (58,6%). Outros patógenos bacterianos detectados foram Actinobacillus pleuropneumoniae (48,8%), Haemophilus parasuis (49,6%), Mycoplasma hyorhinis (41,3%), Pasteurella multocida (9,1%) e Streptococcus suis (9,1%). Na segunda parte do trabalho, a pesquisa de patógenos virais foi direcionada para o Vírus da influenza suína (VIS) com objetivo de estudar o envolvimento em pneumonias de javalis de criatórios e a relação com agentes bacterianos encontrados. O vírus pandêmico A/H1N1/2009 foi detectado em 18,3% (11/60) e sua identidade foi confirmada por sequenciamento. A carga viral para H1N1 clássico variou de 4,58 a 6275 cópias/¿L e para o H1N1 pandêmico, de 4,65 a 3863 cópias/¿L. Nenhuma amostra apresentou título viral após a inoculação em ovos embrionados. As lesões histológicas principais foram broncopneumonia crônica difusa e pneumonia intersticial mononuclear leve, além de hiperplasia linfóide. As amostras positivas por RT-PCR para o VIS para o pH1N1 foram testadas por IHQ, sendo todas negativas para influenza A, mas todas eram positivas para M. hyopneumoniae. Quando testadas por bacteriologia, 18,2% das amostras foram positivas para P. multocida. O estudo mostrou que as pneumonias em javalis de criatório apresentaram lesões e patógenos associados similares aos encontrados em suínos domésticos ao abate. Este é o primeiro relato da infecção pelo vírus pH1N1 em javalis no Brasil.

ASSUNTO(S)

captive wild-boar javali lung consolidation confinamento : método de criação m. hyopneumoniae pneumonia : etiologia mycoplasma hyopneumoniae swine influenza virus

Documentos Relacionados