Espirometria de incentivo a volume versus a fluxo sobre parâmetros respiratórios em idosos

AUTOR(ES)
FONTE

Fisioter. Pesqui.

DATA DE PUBLICAÇÃO

30/11/2013

RESUMO

No processo de envelhecimento, o indivíduo passa por mudanças fisiológicas, destacando-se o declínio da função pulmonar. A espirometria de incentivo, utilizada em diversas populações, ainda não deixa clara a diferença entre os métodos a volume e a fluxo sobre variáveis respiratórias em sujeitos idosos. O objetivo do estudo foi comparar os efeitos da espirometria de incentivo - volume e fluxo, sobre a função pulmonar, força muscular respiratória e mobilidade tóraco-abdominal de idosos saudáveis. Trata-se de um ensaio clínico com 48 idosos, entre 60 e 84 anos de idade, randomizados para espirometria de incentivo a volume (n=23) ou a fluxo (n=25). Foram avaliadas as pressões inspiratória (PImáx) e expiratória (PEmáx) máximas, volumes e capacidades pulmonares e cirtometria tóraco-abdominal pré e pós-treinamento domiciliar. Os dados foram analisados pela análise de variância de duas vias com medidas repetidas. Houve aumento da PImáx, PEmáx, capacidade vital forçada (CVF), volume expiratório forçado no primeiro segundo, volume minuto, volume corrente e cirtometria a nível xifoide e umbilical em ambos os grupos (p<0,001). Na comparação entre os grupos, o aumento na CVF foi maior no grupo fluxo (p=0,03) e maior cirtometria axilar no grupo volume (p=0,02). Ambos os incentivadores foram eficazes na melhora da função pulmonar, força muscular respiratória e mobilidade tóraco-abdominal em idosos saudáveis, mostrando-se bons aliados da fisioterapia respiratória..In the aging process, the individual goes through physiological changes, especially the decline in lung function. The incentive spirometry, used in many populations, not yet makes clear the difference between the methods and the volume flow on respiratory variables in older subjects. This study aimed to compare the effects of incentive spirometry - volume and flow, on pulmonary function, respiratory muscle strength and thoracoabdominal mobility in healthy elderly. It was a clinical trial with 48 elderly between 60 and 84 years old, randomized to the incentive spirometry by volume (n=23) or by flow (n=25). We evaluated the maximum inspiratory pressure (MIP) and the maximum expiratory pressure (MEP), volumes and pulmonary capacities and thoracoabdominal cirtometry before and after home training. The data were analyzed by two-way repeated measures analysis of variance. There was an increase in MIP, MEP, forced vital capacity (FVC), forced expiratory volume in one second, minute volume, tidal volume and xiphoid and umbilical cirtometry level in both groups (p<0.001). When comparing both groups, the increase in FVC was higher in flow group (p=0.03) and there was a greater increase in axillary cirtometry in volume group (p=0.02). Both incentives were effective in improving lung function, respiratory muscle strength and thoracoabdominal mobility in healthy elderly, being good allies of respiratory therapy.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados