Uso do regulador de crescimento daminozide no cultivo de pimenta (Capsicum annuum L.) e girassol (Helianthus annuus l.) ornamental em vasos com fibra de cÃco e areia. / USE OF THE GROWTH REGULATOR DAMINOZIDE IN THE CULTURE OF ORNAMENTAL PEPPER (Capsicum annuum L.) AND SUNFLOWER (Helianthus annuus L.) IN POTS WITH COCONUT FIBER AND SAND

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

DATA DE PUBLICAÇÃO

13/07/2012

RESUMO

O cultivo de girassol e pimenta como plantas ornamentais envasadas vem se destacando na floricultura por serem produtos inovadores e de grande atratividade, fazendo-se inÃdito a produÃÃo e conduÃÃo de pesquisas com estas espÃcies nas condiÃÃes climÃticas de Fortaleza e CearÃ. Visando a manipulaÃÃo da arquitetura de plantas, na busca de menores alturas e adequados aspectos ornamentais para o cultivo em vasos faz-se necessÃrio a utilizaÃÃo de substÃncias redutoras de crescimento e de substratos para sua produÃÃo. Dentre deste foco, foram realizados dois experimentos com o objetivo de avaliar, nas condiÃÃes climÃticas de Fortaleza, o efeito de trÃs aplicaÃÃes de diferentes concentraÃÃes do redutor de crescimento daminozide em plantas de pimenta e girassol ornamental em vasos contendo como substratos fibra de cÃco (FC) e areia. Os experimentos foram conduzidos em casa de vegetaÃÃo e distribuÃdos em um delineamento inteiramente casualizado seguindo um esquema fatorial 2x5 constituÃdo por dois tipos de substrato (FC e areia) e cinco concentraÃÃes de daminozide (0 (controle), 2, 4, 6 e 8 g.L-1 ) na qual foram aplicadas por trÃs vezes a intervalos quinzenais. Referente ao experimento com pimenta ornamental, a primeira aplicaÃÃo do regulador foi realizada aos 25 DAS, no qual foram analisadas as seguintes variÃveis: Ãndice relativo de clorofila (spad) e trocas gasosas foliares, aos 80 DAS, altura da planta (cm), diÃmetro do caule (mm), massa seca (g) de folhas, caules, raÃzes e frutos, Ãrea foliar (cmÂ), razÃo de Ãrea foliar (cmÂ.g-1), Ãrea foliar especÃfica (cmÂ.g-1), razÃo raiz parte Ãrea, nÃmero, largura, comprimento (mm), relaÃÃo comprimento/largura dos frutos, aos 83 DAS. No experimento com girassol, a primeira aplicaÃÃo foi realizada aos 15 DAS, sendo analisadas as variÃveis: Ãndice relativo de clorofila (spad) e trocas gasosas foliares, aos 37 DAS, altura da planta (cm), diÃmetro do caule (mm), diÃmetro interno do capÃtulo (mm), dias da semeadura atà a antese, nÃmero de capÃtulos por planta, massa seca de folhas, caules e raÃzes (g), Ãrea foliar (cmÂ), razÃo de Ãrea foliar (cmÂ.g-1), Ãrea foliar especÃfica (cmÂ.g-1) e razÃo raiz parte Ãrea, aos 53 DAS.Tanto para pimenta quanto para girassol as concentraÃÃes do regulador foram eficientes em reduzir o porte das plantas nos dois substratos utilizados, notando que as plantas cultivadas na areia mostraram-se com menor altura, vigor e desenvolvimento em relaÃÃo as plantas na FC. Verificou-se em plantas de pimenta que o aumento das concentraÃÃes causou aumentos no diÃmetro de seus caules, reduÃÃo no nÃmero, largura e comprimento dos frutos, em sua Ãrea foliar, aumento na espessura de suas folhas, na qual apresentaram-se com coloraÃÃo verde intensa. Houve interaÃÃo significativa entre substratos e concentraÃÃes de daminozide na condutÃncia estomÃtica das pimenteiras, sendo sua transpiraÃÃo e fotossÃntese lÃquida influenciadas apenas pelas concentraÃÃes do regulador. Em plantas de girassol verificou-se que com o aumento das concentraÃÃes houve reduÃÃes no diÃmetro de seus caules, no diÃmetro interno dos capÃtulos, atrasos em sua antese, folhas mais espessas e com verde mais intenso e reduÃÃes em sua Ãrea foliar. CondutÃncia estomÃtica, transpiraÃÃo e fotossÃntese lÃquida nas plantas de girassol sofreram apenas efeito dos substratos, no qual plantas cultivadas fibra de coco apresentaram maior atividade fotossintÃtica.

ASSUNTO(S)

fitotecnia floricultura cultivo em vasos, inibidor de giberelina substratos. flower farming growth in pots inhibitor of gibberellin substrates. plantas ornamentais - cultivo girassol - cultivo pimenta - cultivo floricultura substÃncias de crescimento - regulador de crescimento

Documentos Relacionados

Para ter um TCC pronto, é preciso perder o medo. E se você está perdido ou se sentido incapaz, você precisa saber: A Culpa não é sua! Descubra Agora a Mentira que te venderam (por um tempo, eu também comprei…) Quem tem medo do TCC? Eu não sei você, mas, durante um bom tempo, eu tive muito! Eu me sentia perdido, sozinho e incapaz de fazer o meu trabalho. Eu tinha certeza de que nuca teria um TCC pronto. E se você acha que o Ler artigo

Que tal aprender, de uma vez por todas, como fazer uma Justificativa de TCC, aplicando a poderosa técnica do Roteiro de Consequências? É impressionante! O quê? A técnica do Roteiro de Consequências? Sim. Ela também. E você vai conhecer essa técnica no vídeo deste artigo e vai ver Como Fazer a Justificativa do TCC com base em 2 exemplos simples e práticos. Para você, finalmente, deixar a sua Justificativa de TCC pronta! Mas, primeiro, eu preciso dizer: É impressionante! Como a Justificativa é um ponto Ler artigo

Se você quer aprender Como Fazer Citações para o TCC de forma fácil e não ser acusado de plágio, então, recomendo fortemente que leia esse artigo até o final… E não se esqueça de assistir o vídeo logo abaixo! Imagina só… você fez todo o seu TCC, está aliviado, radiante, tirou um peso das costas… aí, PAH! Seu orientador diz que o seu trabalho tem Plágio e, por isso, vai ser reprovado. Não!!!! Aí vai uma notícia que talvez você não saiba, SE VOCÊ FEZ Ler artigo

Como fazer um TCC passo a passo – plágio e softwares de TCC? O que isso tem a ver com seu TCC? TUDO! Ou você não se importa em ouvir do seu orientador: “Seu trabalho tem plágio! Zero!” É… eu sei que você se importa. O problema é que muitos alunos morrem de medo do plágio, mas não sabem exatamente quando ele acontece. Definir o plágio é muito simples. Plágio é Roubar a Ideia do Outro. Simples assim. Quando você usa uma ideia, texto ou Ler artigo

Você sabe o que escrever na introdução do seu TCC? Você já parou na frente do seu computador sem ter a menor ideia sobre a introdução do seu TCC, o que escrever e por onde começar? Eu já passei por isso. E como eu não desejo essa situação para ninguém, é hora de resolver esse problema. Muita gente, mas muita gente mesmo me pergunta: “Amilton, o que eu devo escrever na Introdução do meu TCC?” Aí vai a resposta: A Introdução do seu TCC é Ler artigo