Sertões do mundo, uma epistemologia

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

DATA DE PUBLICAÇÃO

26/08/2011

RESUMO

A ideia de sertão é bastante difundida nas imagens do senso comum, dos saberes populares, das ciências, das artes verbais, da literatura, do cinema, das partes plásticas, da música, dentre muitos outros saberes., O conceito de sertão, entretanto, salvo do ponto de vista físico, é pouco estudado. As imagns do sertão, dispersas nos mais diversos saberes, nos convidam a observar a multiplicidade de significaçóes que compõem o conceito Essa multiplicidade nos estimula a ampliar o conceito de sertão e a ler e compreender os contemporâneos movimentos do espaço a partir das imagens desse conceito. Para além das significaçóes construídas nos mais de quinhentos anos de história do Brasil, o velho sertão não apenas permanece, como também se inscreve no mundo contemporâneo em múltiplos espaços, surgindo em novas configurações. O espaço é complexo: múltiplo, heterogêneo, esgarçado, indivisível: rugoso. O sertão se prolifera nos mais diversos lugares, experimentando e condensando também todas essas características do espaço em sua totalidade, ao qual chamamos mundo. Como traduziu Guimarães Rosa, o sertão está em toda parte. Coexiste nos luares que permanecem intocados pelos processos de modernização e nos espaços hipermodernizados. Resiste no nome do sertão bravo e surge em lugares nunca antes denominados sertões. Se na sua origem a palavra sertão foi preenchida por significações do tipo lugar longínquo, desconhecido, desabitado, isolado, selvagem, bárbaro, incivilizado, a maioria dessas significações continuam sendo inscritas, na contemporaneidade, não apenas nos diversos lugares do mundo em que os processos de modernização não chegaram, mas também nos interiores dos lugares hipermodernizados, como, por exemplo, as favelas das metrópoles e das megalópoles. Para quem o sertão é o longínquo, o bárbaro, o selvagem, o incivilizado? Do sertão de que tempo-espaço se fala? Como foi e é construída a ideia de sertão? Quais significações constituem as múltiplas faces dos espaços que podem ser denominados sertão ou lugares-sertão? A partir do que se denomina uma cosmologia do sertão, exercício de reflexão teórica sobre o conceito, que se faz no contato com as imagens de sertão dispersas nos saberes literários, não-literários, nas artes verbais, elabora-se um exercício teórico, epistemológico, de reflexão. sobre alternativas de abordagem das questões socioespaciais Essas alternativas consistem em estudar o sertão no âmbito da ciência, neste caso a geografia, no contato, com as representações e,todos esses saberes. Investe-se em outro tipo de ciência, diferente da moderna. Uma ciência que se reinventa e se fortalece a partir da prática de uma ecologia de saberes, do diálogo que se pode se construir nos diversos espaços de fronteiras entre saberes: científicos, artísticos, populares, do senso comum, etc. Abordam-se, também, os conceitos de lugar e território, essenciais à argumentação da tese, uma vez que ela se fundamenta na compreensão do sertão como um lugar-cosmo que, ao emergir em diversas partes, nos permite refletir sobre territórios de sertões do mundo. Esses territórios, sertões do mundo, são ainda apresentados como uma alternativa epistemológica para a reflexão dos diversos mundos do chamado Sul Sociológico, que emergem nas mais diversas escalas, em toda parte.

ASSUNTO(S)

comportamento espacial - teses. geografia humana - teses. epistemologia - teses.

Documentos Relacionados

Finalmente… a Conclusão do TCC em 3 Passos Simples! Se você disser que eu falei isso, eu nego, mas, para mim, a Conclusão do TCC deveria ter outro nome. Algo como: A Doce Arte de Encher Linguiça! Seus professores e orientadores podem até tentar te convencer do contrário. Podem usar inúmeros argumentos para te convencer de que a conclusão do TCC é um elemento fundamental, e, dependendo da retórica do seu professor, você até pode comprar essa bobagem como verdade. Mas se você conhece o Ler artigo

Uma Monografia Pronta em 5 Passos? Veja como isso é possível AGORA! Seu TCC é uma Monografia?… hum… como é que eu vou te dizer isso… o gato subiu no telhado… Tô Brincando! Mas eu tenho uma boa e uma má notícia para te dar. Qual você quer primeiro?… bom, não vai dar para esperar você responder, então, vou começar pela ruim mesmo: a monografia é o modelo de TCC que mais tem volume de conteúdo, principalmente se a gente comparar com um artigo científico, por exemplo. Ler artigo

Para ter um TCC pronto, é preciso perder o medo. E se você está perdido ou se sentido incapaz, você precisa saber: A Culpa não é sua! Descubra Agora a Mentira que te venderam (por um tempo, eu também comprei…) Quem tem medo do TCC? Eu não sei você, mas, durante um bom tempo, eu tive muito! Eu me sentia perdido, sozinho e incapaz de fazer o meu trabalho. Eu tinha certeza de que nuca teria um TCC pronto. E se você acha que o Ler artigo

Um Artigo Científico Pronto em 5 Passos? Como? É exatamente isso que você vai ver aqui. Então, você tem que fazer um Artigo Científico? Esse é modelo do seu TCC? Pode abrir um leve sorriso, afinal, o Artigo Científico é o modelo que menos exige conteúdo de texto. Trocando em miúdos, é o menor dos trabalhos acadêmicos em termos de volume de texto. Assim como todos os demais Trabalhos Científicos e Acadêmicos, o Artigo Científico Pronto tem apenas 3 Elementos: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E, antes Ler artigo

Você sabe o que escrever na introdução do seu TCC? Você já parou na frente do seu computador sem ter a menor ideia sobre a introdução do seu TCC, o que escrever e por onde começar? Eu já passei por isso. E como eu não desejo essa situação para ninguém, é hora de resolver esse problema. Muita gente, mas muita gente mesmo me pergunta: “Amilton, o que eu devo escrever na Introdução do meu TCC?” Aí vai a resposta: A Introdução do seu TCC é Ler artigo