Redistribution of salary or professional recognition? The difficult construction of a profession, the Peruvian nursing

AUTOR(ES)
FONTE

Ciênc. saúde coletiva

DATA DE PUBLICAÇÃO

20/12/2019

RESUMO

Resumo O estudo apresenta o perfil atual da enfermagem peruana, sua construção profissional e seus dilemas, enfatizando suas características socioculturais. Para tanto, foi realizada extensa revisão de literatura, entrevistas com profissionais de enfermagem em posições-chave e análise de dados de fontes secundárias. O estudo distancia-se dos estudos das profissões da saúde como força de trabalho, a fim de analisar a baixa legitimidade social da profissão de enfermagem, apesar de ser a grande operadora de serviços no Peru. Isso produz uma sobrecarga psicológica, que se soma à sobrecarga de trabalho e se reflete em insatisfação no trabalho, estresse, burnout, desejo de mudar de carreira ou migrar. Diante disso, a enfermagem peruana optou por três saídas: a) resiliência, que representa adaptação; b) abandono, ou saída do país ou profissão; e c) a reação, que agrupa todas as manifestações contra o abandono à informalização e à mediocrização. Conclui-se que as profissões de baixo valor social têm como desafio central o reconhecimento profissional e não apenas a redistribuição salarial. Esse desafio central da enfermagem peruana não está centralmente ligado à sua profissionalização legal, mas ao seu profissionalismo, que trará maior legitimidade e autonomia.Abstract The study presents the current profile of Peruvian nursing, its professional construction and its dilemmas, emphasizing its socio-cultural features. To this end, an extensive literature was reviewed, interviewing nurses in key positions and analyzing secondary source data. This study keeps its distance from other studies on health care professions as a workforce, to analyze the low social legitimacy of the nursing profession despite being the great operator of health care services in Peru. This resulting psychological overload, additionally to the work overload is reflected in job dissatisfaction, stress, burnout, intention of changing careers, and a strong desire to migrate. As a result, Peruvian nursing has opted for three alternatives: a) resilience, which means to adapt to this unfavorable situation; b) abandoning the profession, or leaving the country; and c) reaction, which gathers all manifestations of the profession against abandonment, informality, and mediocrity. In conclusion, the biggest challenge of professions given low social value is the recognition and not only the salary redistribution. This significant challenge for Peruvian nursing does not mainly relate to legal professionalization, but professionalism, which must result in greater legitimacy and autonomy.

Documentos Relacionados