QUANDO O PATRIMÔNIO É UMA IMAGEM QUE QUEBRA: POLÍTICAS DE ACESSO E PRESERVAÇÃO DE COLEÇÕES FOTOGRÁFICAS DE NEGATIVOS DE VIDRO / WHEN HERITAGE IS AN IMAGE THAT BREAKS: ACCESS POLICIES AND CONSERVATION OF PHOTOGRAPHY COLLECTIONS IN GLASS NEGATIVES

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

DATA DE PUBLICAÇÃO

16/03/2012

RESUMO

Parte do patrimônio cultural brasileiro encontra-se disperso em arquivos, museus e bibliotecas, todos centros de memória com um objetivo comum: coletar, preservar e colocar a memória da sociedade à disposição de usuários e pesquisadores. Nos arquivos, os suportes materiais são os mais diversos: documentos manuscritos, audiovisuais, sonoros, bibliográficos. Este estudo deteve-se a investigar, dentro do universo dos acervos fotográficos, um suporte documental específico o negativo de vidro. Inventado em 1848, o negativo de vidro foi o principal suporte documental das imagens fotográficas no mundo até 1888, quando foi inventado o negativo em película flexível. Portanto, as fontes visuais de informação sobre a história brasileira da segunda metade do século XIX existem porque neste período o suporte existente para a sensibilização da imagem era a chapa de vidro. Foi nela que as imagens do final do Brasil Império e do início do Brasil República foram produzidas, por pesadas câmeras fotográficas de madeira - as famosas lambe-lambe. A importância do suporte documental negativo de vidro como fonte de pesquisa sobre a história mundial e brasileira foi comprovada mediante incursões na literatura e investigações em acervos fotográficos brasileiros. Verificou-se que a fotografia constitui-se em poderoso veículo de comunicação visual, além de seu valor como fonte de informação e como patrimônio documental. Esta premissa, por sua vez, impõe as instituições culturais custodiadoras deste tipo documental a necessidade de definir políticas específicas para as mesmas. À luz dos conceitos sobre preservação, acesso e difusão, os quais se constituíram nos referenciais teóricos; e situando cronologicamente a invenção dos diversos processos fotográficos, esse estudo analisou políticas de preservação e acesso adotadas por centros de documentação fotográfica detentoras de negativos de vidro com base naquelas identificadas em duas instituições culturais com semelhanças nos acervos preservados e nos objetivos e metas institucionais, porém, com diferenças climáticas devido a sua localização geográfica - nas regiões Sul e Nordeste do Brasil. Ratificou-se a importância das funções arquivísticas: a preservação e conservação preventiva para aumento da longevidade dos documentos; o acesso - a necessidade de elaboração de instrumentos de pesquisa para garantir o alcance ao conteúdo das imagens; e a difusão cultural, editorial e educativa. Permeando tudo isto, a necessidade da existência de programas como planejamentos contínuos as políticas. Como fruto deste estudo foi produzido o produto final exigido em mestrados profissionalizantes - um manual contendo os procedimentos adequados para a preservação do documento fotografia, especificamente no suporte documental negativo de vidro, que pretende orientar arquivistas, conservadores, historiadores, bibliotecários, museólogos e outros profissionais, nas ações pertinentes a conservação preventiva, preservação e restauração de imagens sobre este suporte documental.

ASSUNTO(S)

preservation diffusion photography glass negatives archives arquivologia negativos de vidro difusão preservação fotografia historia

Documentos Relacionados

Você sabe o que escrever na introdução do seu TCC? Você já parou na frente do seu computador sem ter a menor ideia sobre a introdução do seu TCC, o que escrever e por onde começar? Eu já passei por isso. E como eu não desejo essa situação para ninguém, é hora de resolver esse problema. Muita gente, mas muita gente mesmo me pergunta: “Amilton, o que eu devo escrever na Introdução do meu TCC?” Aí vai a resposta: A Introdução do seu TCC é Ler artigo

Para ter um TCC pronto, é preciso perder o medo. E se você está perdido ou se sentido incapaz, você precisa saber: A Culpa não é sua! Descubra Agora a Mentira que te venderam (por um tempo, eu também comprei…) Quem tem medo do TCC? Eu não sei você, mas, durante um bom tempo, eu tive muito! Eu me sentia perdido, sozinho e incapaz de fazer o meu trabalho. Eu tinha certeza de que nuca teria um TCC pronto. E se você acha que o Ler artigo

Se você quer aprender Como Fazer Citações para o TCC de forma fácil e não ser acusado de plágio, então, recomendo fortemente que leia esse artigo até o final… E não se esqueça de assistir o vídeo logo abaixo! Imagina só… você fez todo o seu TCC, está aliviado, radiante, tirou um peso das costas… aí, PAH! Seu orientador diz que o seu trabalho tem Plágio e, por isso, vai ser reprovado. Não!!!! Aí vai uma notícia que talvez você não saiba, SE VOCÊ FEZ Ler artigo

Finalmente… a Conclusão do TCC em 3 Passos Simples! Se você disser que eu falei isso, eu nego, mas, para mim, a Conclusão do TCC deveria ter outro nome. Algo como: A Doce Arte de Encher Linguiça! Seus professores e orientadores podem até tentar te convencer do contrário. Podem usar inúmeros argumentos para te convencer de que a conclusão do TCC é um elemento fundamental, e, dependendo da retórica do seu professor, você até pode comprar essa bobagem como verdade. Mas se você conhece o Ler artigo

Como fazer um TCC passo a passo – plágio e softwares de TCC? O que isso tem a ver com seu TCC? TUDO! Ou você não se importa em ouvir do seu orientador: “Seu trabalho tem plágio! Zero!” É… eu sei que você se importa. O problema é que muitos alunos morrem de medo do plágio, mas não sabem exatamente quando ele acontece. Definir o plágio é muito simples. Plágio é Roubar a Ideia do Outro. Simples assim. Quando você usa uma ideia, texto ou Ler artigo