Qualidade de vida de pessoas com úlcera venosa: associação dos aspectos sociodemográficos, de saúde, assistência e clínicos da lesão

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

DATA DE PUBLICAÇÃO

29/03/2011

RESUMO

A Úlcera Venosa (UV) é uma lesão dos membros inferiores resultante do inadequado retorno de sangue venoso nos pés ou pernas. Embora não fatais, tais feridas crônicas comprometem seriamente a qualidade de vida (QV) dos doentes trazendo mudanças por vezes drásticas no âmbito familiar, social, econômico e psicológico. Nesse sentido, são diversos os aspectos que podem estar associados à QV da pessoa com UV. O estudo teve o objetivo de analisar a associação dos aspectos sociodemográficos e de saúde, de assistência à saúde e clínicos da lesão na QV dos portadores de UV. Estudo analítico, com delineamento transversal e abordagem quantitativa. O projeto obteve parecer favorável do Comitê de Ética do HUOL (n.279/09). A coleta de dados realizou-se no ambulatório de angiologia do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), num período de três meses em 2010. A amostra foi de 60 pessoas com UV atendidos por angiologistas no ambulatório de Clínica Cirúrgica do HUOL. Os resultados foram processados no programa SPSS 15.0 por estatística descritiva e inferencial. Identificamos usuários com UV predominantemente do sexo feminino, idade média de 61,4 anos, baixo nível de escolaridade e de renda familiar, com profissões que exigiam longos períodos em pé ou sentados, aposentados, desempregados ou afastados do trabalho devido à doença e com doenças crônicas associadas, em uso de produtos inadequados, curativos realizados por profissional ou cuidador sem treinamento, ausência de terapia compressiva e orientações adequadas, sem realizar elevação de membros inferiores e exercícios regulares, com tempo de lesão maior ou igual a seis meses, falta de exames laboratoriais específicos, sem registro no prontuário, com lesões recidivantes, área de média a grande, leito da lesão com fibrina e/ou necrose, exsudato com quantidade de média a grande, sem odor e sinais de infecção, perda tecidual entre grau I e II, sem coleta de swab ou biopsia e com presença de dor. Em geral, a QV dos pesquisados foi considerada baixa, com pontuação máxima de 69 pontos. Sendo os domínios que mais influenciaram nos escores totais da QV a capacidade funcional (0,021), aspecto emocional (0,000) e aspecto social (0,080). Dos 60 pesquisados, 53,3% tiveram pontuação entre 40 a 69 pontos no SF-36, e apresentaram os escores melhores nas variáveis sociodemográficas e de saúde (ρ=0,049). Quanto às características da assistência e da lesão, os pacientes que tiveram pontuação entre 40 a 69 pontos no SF-36 apresentaram escores melhores em tais características. Ao associar as variáveis sociodemográficas, de saúde, características da assistência e da lesão, verificamos que houve uma diferença significante (ρ=0,032) ao relacioná-las com o escore total da QV. Analisando separadamente os domínios do SF-36 com os escores obtidos na QV, verificamos que os domínios que apresentaram significância estatística foram a capacidade funcional (ρ= 0,035), aspecto físico (ρ= 0,019), aspecto emocional (ρ= 0,000) e saúde mental (ρ= 0,050). Dentre as características sociodemográficas estudadas, o sexo e estado civil contribuíram mais para a redução da QV; e entre as variáveis da assistência e da lesão destacam-se as variáveis: orientações, referência e área da UV. Ao analisarmos o conjunto dessas cinco variáveis de acordo com o escore geral obtido na QV, verificamos correlação significativa (ρ= 0,002), sendo 6,23 vezes maior a chance de os pacientes apresentarem melhor QV na presença desses cinco fatores positivos. Ao realizarmos o Teste de Mann Whitney U entre o conjunto das cinco variáveis sociodemográficas, de saúde, clínica e assistencial, verificamos que tal conjunto também demonstrou ser significativo (ρ=0,006). Portanto, os pacientes que apresentam essas cinco variáveis positivas tendem a ter melhor QV. Diante dos resultados obtidos, rejeitamos a hipótese nula (H0) e aceitamos a hipótese alternativa (H1) proposta no estudo, pois evidenciamos que a QV dos portadores de UV está associada aos aspectos sociodemográficos e de saúde, de assistência à saúde e dos aspectos clínicos da lesão

ASSUNTO(S)

enfermagem qualidade de vida Úlcera venosa atenção à saúde enfermagem nursing quality of life varicose ulcer health care

Documentos Relacionados

Como fazer um TCC passo a passo – plágio e softwares de TCC? O que isso tem a ver com seu TCC? TUDO! Ou você não se importa em ouvir do seu orientador: “Seu trabalho tem plágio! Zero!” É… eu sei que você se importa. O problema é que muitos alunos morrem de medo do plágio, mas não sabem exatamente quando ele acontece. Definir o plágio é muito simples. Plágio é Roubar a Ideia do Outro. Simples assim. Quando você usa uma ideia, texto ou Ler artigo

TCC Pronto e Gratuito? Sério mesmo? Você acredita em almoço de graça? Comprar um TCC Pronto? Fazer o Próprio TCC? Você ainda tem dúvidas como essas? Você PRECISA ver este Artigo com Urgência! Neste artigo você encontrará: TCC Pronto e Gratuito Comprar TCC Pronto É só me corrigir se eu estiver errado, mas as pessoas Adoram Atalhos, certo? O problema é que, muitas vezes, ATALHOS São ARMADILHAS DISFARÇADAS. Então, se você quer Fugir das Armadilhas e quer saber a Verdade sobre TCC Pronto, TCC Pronto e Ler artigo

Como fazer TCC? Nas últimas semanas tenho visto milhares de alunos com dificuldades, sem saber o que fazer, que simplesmente ficam parados na frente do computador e não conseguem escrever uma única palavra sequer. Neste texto, nós vamos ver como mudar essa situação de uma vez por todas! Alguns alunos me mandam e-mails perguntando Como Fazer TCC passo a passo. Bom, em primeiro lugar, essa é uma dificuldade muito comum, vivida por 99,9% dos alunos de faculdades no Brasil e no mundo! Os outros 0,01% Ler artigo

Se você quer aprender Como Fazer Citações para o TCC de forma fácil e não ser acusado de plágio, então, recomendo fortemente que leia esse artigo até o final… E não se esqueça de assistir o vídeo logo abaixo! Imagina só… você fez todo o seu TCC, está aliviado, radiante, tirou um peso das costas… aí, PAH! Seu orientador diz que o seu trabalho tem Plágio e, por isso, vai ser reprovado. Não!!!! Aí vai uma notícia que talvez você não saiba, SE VOCÊ FEZ Ler artigo

Você sabe o que escrever na introdução do seu TCC? Você já parou na frente do seu computador sem ter a menor ideia sobre a introdução do seu TCC, o que escrever e por onde começar? Eu já passei por isso. E como eu não desejo essa situação para ninguém, é hora de resolver esse problema. Muita gente, mas muita gente mesmo me pergunta: “Amilton, o que eu devo escrever na Introdução do meu TCC?” Aí vai a resposta: A Introdução do seu TCC é Ler artigo