Psychoanalysis and citizenship: running risks and weaveeing ties / Psicanálise e cidadania: correndo riscos e tecendo laços

AUTOR(ES)
DATA DE PUBLICAÇÃO

2006

RESUMO

Este trabalho apresenta um relato e uma reflexão sobre uma clínica psicanalítica realizada fora do setting analítico tradicional, em uma instituição pública da Assistência Social. Esta prática clínica vem sendo desenvolvida em um projeto municipal de apoio sócio educativo aberto, destinado a atender crianças e adolescentes consideradas, pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, em situação de risco pessoal e social por estarem expostas a situações de riscos com conseqüências prejudiciais ao seu pleno desenvolvimento em múltiplas dimensões. Nesta instituição são realizados grupos-oficina com as crianças possibilitando um espaço de escuta analítica para a expressão do modo como estas incluem o significante situação de risco, em suas existências particulares. Parte-se da hipótese de que este significante, por ser um imperativo social, produz um efeito de “aprisionamento” em uma única forma de subjetivação, impedindo-as de uma singularização da subjetividade. O objetivo do presente trabalho é, a partir desta prática, delinear uma clínica psicanalítica ampliada no referencial lacaniano da teoria dos quatros discursos. Os grupos-oficina, compreendidos como uma estrutura discursiva, visam possibilitar a construção de laços sociais coletivos através do dispositivo do Discurso do Analista. Nesta clínica o coordenador do grupo deve operar procurando situar-se no lugar do agente do Discurso do Analista a fim de provocar a produção de novos sentidos para o significante situação de risco a que estas crianças estão submetidas e possibilitar que a criança aproprie-se de significantes mestre (S1) e agencie seus discursos.

ASSUNTO(S)

psicanálise da criança psychoanalysis-institutions clínica ampliada psicanálise de grupo psicanálise-instituições child psychoanalysis extended clinic group psychoanalysis

Documentos Relacionados

Se o seu (des)orientador pediu para você fazer os Resultados e Discussão no TCC, mas não te explicou o que é isso e nem mostrou Como Fazer, este artigo é para você! Você quer Aprender Definitivamente O Que São e Como Fazer os Resultados e Discussão no seu TCC, não quer? Então, você tem que dar uma olhada no VÍDEO deste artigo. Aprenda de maneira Rápida e Definitiva Como Fazer os Resultados e Discussão no TCC, com exemplos Simples e Objetivos para trabalhos com Pesquisa de Campo Ler artigo

Finalmente… a Conclusão do TCC em 3 Passos Simples! Se você disser que eu falei isso, eu nego, mas, para mim, a Conclusão do TCC deveria ter outro nome. Algo como: A Doce Arte de Encher Linguiça! Seus professores e orientadores podem até tentar te convencer do contrário. Podem usar inúmeros argumentos para te convencer de que a conclusão do TCC é um elemento fundamental, e, dependendo da retórica do seu professor, você até pode comprar essa bobagem como verdade. Mas se você conhece o Ler artigo

Que tal aprender, de uma vez por todas, como fazer uma Justificativa de TCC, aplicando a poderosa técnica do Roteiro de Consequências? É impressionante! O quê? A técnica do Roteiro de Consequências? Sim. Ela também. E você vai conhecer essa técnica no vídeo deste artigo e vai ver Como Fazer a Justificativa do TCC com base em 2 exemplos simples e práticos. Para você, finalmente, deixar a sua Justificativa de TCC pronta! Mas, primeiro, eu preciso dizer: É impressionante! Como a Justificativa é um ponto Ler artigo

Se você quer aprender Como Fazer Citações para o TCC de forma fácil e não ser acusado de plágio, então, recomendo fortemente que leia esse artigo até o final… E não se esqueça de assistir o vídeo logo abaixo! Imagina só… você fez todo o seu TCC, está aliviado, radiante, tirou um peso das costas… aí, PAH! Seu orientador diz que o seu trabalho tem Plágio e, por isso, vai ser reprovado. Não!!!! Aí vai uma notícia que talvez você não saiba, SE VOCÊ FEZ Ler artigo

Como fazer um TCC passo a passo – plágio e softwares de TCC? O que isso tem a ver com seu TCC? TUDO! Ou você não se importa em ouvir do seu orientador: “Seu trabalho tem plágio! Zero!” É… eu sei que você se importa. O problema é que muitos alunos morrem de medo do plágio, mas não sabem exatamente quando ele acontece. Definir o plágio é muito simples. Plágio é Roubar a Ideia do Outro. Simples assim. Quando você usa uma ideia, texto ou Ler artigo