Produção e valor nutritivo da forragem de clones de capim-elefante no Distrito Federal.

AUTOR(ES)
FONTE

Planaltina

DATA DE PUBLICAÇÃO

2011

RESUMO

RESUMO: Avaliaram-se, no período de novembro de 2002 a abril de 2004, a produção de matéria seca (total, lâminas foliares e hastes) o valor nutritivo (proteína bruta, PB; digestibilidade in vitro da matéria seca, DIVMS; e a fibra em detergente neutro, FDN) em dez clones de capim-elefante (Pennisetum purpureum Schum.), tendo como testemunhas as variedades Napier e Roxo, nas condições do Cerrado do Distrito Federal. O experimento foi instalado em Latossolo Vermelho-Escuro argiloso, no delineamento em blocos completos ao acaso, com três repetições. As avaliações foram realizadas em três cortes no período chuvoso 2002/2003 (janeiro, março e maio/03) e três no período chuvoso 2003/2004 (dezembro/03, fevereiro e abril/04). Os cortes de avaliação eram realizados a cada 60 dias de crescimento das plantas. As produções de matéria seca total, de lâminas foliares e de hastes variaram entre 15,1 e 28,2 t/ha, 6,8 e 9,9 t/ha e 7,6 e 18,3 t/ha no período chuvoso de 2002/2003, respectivamente, e entre 11,5 e 18,2 t/ha, 5,7 e 7,7 t/ha e 5,0 e 11,9 t/ha no período chuvoso de 2003/2004 respectivamente. Em média, as lâminas foliares apresentaram 121, 731 e 613 g/kg de PB, FDN e DIVMS no período chuvoso de 2002/2003, respectivamente, e 158 e 657 g/kg de PB e DIVMS no período chuvoso de 2003/2004, respectivamente. Os clones 93.41.1 e 94.13.1 destacaram-se para a maioria dos parâmetros avaliados, mostrando-se promissores. ABSTRACT: The forage production (total, leaf blade and stem) and the nutritive value (crude protein, CP; in vitro dry matter digestibility, IVDMD; and neutral detergent fiber, NDF) of 10 elephant grass clones (Pennisetum purpureum Schum.) were evaluated from November 2002 to April 2004, considering two commercial cultivars Napier and Roxo as control, in the Cerrado of the Federal District, Brazil. The experiment was established in a clayed dark-red Latosol, in a randomized complete block design with three replicates. Samples were from three cuts in the rainy period of 2002/2003 (January, March and May/03) and three cuts in the rainy period of 2003/2004 (December/03, February and April/04). The evaluation cuts were execyted every 60 days of regrowth of the plants. The total dry matter yield, leaf lamina, and stem ranged among 15, 1 and 28,2 t/ha, 6,8 and 9,9 t/ha and 7,6 and 18,3 t/ha in the rainy period of 2002/2003, respectively, and 11,5 and 18,2 t/ha, 5,7 and 7,7 t/ha, and 5,0 e 11,9 t/ha in the rainy period of 2003/2004, respectively. The leaf lamina average values were of 121, 731e 613 g/kg for CP, NDF e IVDMD in the rainy period of 2002/2003, respectively, and 158 and 657 g/kg of CP and IVDMD in the rainy period of 2003/2004, respectively. The clones 93.41. 1 e 94.13.1 presented a high performance considering the evaluated parameters and may be considered as promising materiaIs.

ASSUNTO(S)

gramínea forrageira capim elefante pennisetum purpureum digestibilidade proteína bruta feed grasses digestibility crude protein

Documentos Relacionados

Que tal aprender, de uma vez por todas, como fazer uma Justificativa de TCC, aplicando a poderosa técnica do Roteiro de Consequências? É impressionante! O quê? A técnica do Roteiro de Consequências? Sim. Ela também. E você vai conhecer essa técnica no vídeo deste artigo e vai ver Como Fazer a Justificativa do TCC com base em 2 exemplos simples e práticos. Para você, finalmente, deixar a sua Justificativa de TCC pronta! Mas, primeiro, eu preciso dizer: É impressionante! Como a Justificativa é um ponto Ler artigo

Você sabe o que escrever na introdução do seu TCC? Você já parou na frente do seu computador sem ter a menor ideia sobre a introdução do seu TCC, o que escrever e por onde começar? Eu já passei por isso. E como eu não desejo essa situação para ninguém, é hora de resolver esse problema. Muita gente, mas muita gente mesmo me pergunta: “Amilton, o que eu devo escrever na Introdução do meu TCC?” Aí vai a resposta: A Introdução do seu TCC é Ler artigo

Como fazer um TCC passo a passo – plágio e softwares de TCC? O que isso tem a ver com seu TCC? TUDO! Ou você não se importa em ouvir do seu orientador: “Seu trabalho tem plágio! Zero!” É… eu sei que você se importa. O problema é que muitos alunos morrem de medo do plágio, mas não sabem exatamente quando ele acontece. Definir o plágio é muito simples. Plágio é Roubar a Ideia do Outro. Simples assim. Quando você usa uma ideia, texto ou Ler artigo

Para ter um TCC pronto, é preciso perder o medo. E se você está perdido ou se sentido incapaz, você precisa saber: A Culpa não é sua! Descubra Agora a Mentira que te venderam (por um tempo, eu também comprei…) Quem tem medo do TCC? Eu não sei você, mas, durante um bom tempo, eu tive muito! Eu me sentia perdido, sozinho e incapaz de fazer o meu trabalho. Eu tinha certeza de que nuca teria um TCC pronto. E se você acha que o Ler artigo

Como fazer TCC? Nas últimas semanas tenho visto milhares de alunos com dificuldades, sem saber o que fazer, que simplesmente ficam parados na frente do computador e não conseguem escrever uma única palavra sequer. Neste texto, nós vamos ver como mudar essa situação de uma vez por todas! Alguns alunos me mandam e-mails perguntando Como Fazer TCC passo a passo. Bom, em primeiro lugar, essa é uma dificuldade muito comum, vivida por 99,9% dos alunos de faculdades no Brasil e no mundo! Os outros 0,01% Ler artigo