Potencial fisiológico de sementes de soja tratadas industrialmente com e sem a aplicação de pó secante

AUTOR(ES)
FONTE

J. Seed Sci.

DATA DE PUBLICAÇÃO

2018-06

RESUMO

Resumo: Na cultura da soja, o tratamento industrial de sementes é amplamente realizado e tem propiciado o desenvolvimento de novas tecnologias, como a utilização de pó secante. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do tratamento industrial de sementes, com e sem a aplicação de pó secante, sobre o potencial fisiológico de sementes de soja. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, em esquema fatorial 4x2, com quatro repetições, sendo avaliados quatro tratamentos químicos de sementes: 1) testemunha, 2) carbendazim + thiram + tiametoxam, 3) carbendazim + thiram, 4) tiametoxam; todos na ausência e na presença de pó secante. As cultivares utilizadas foram a BRS 360 RR e a BRS 284, que foram analisadas separadamente. O potencial fisiológico das sementes foi determinado por meio das seguintes avaliações: germinação, primeira contagem de germinação, emergência de plântulas em areia, e comprimentos total, da parte aérea e da raiz das plântulas. As cultivares de soja respondem de forma diferenciada aos tratamentos químicos de sementes, quanto aos efeitos no potencial fisiológico. O pó secante resulta em problemas na velocidade de germinação das sementes da cultivar BRS 284. Na cultivar BRS 360 RR, o uso de pó secante associado ao tratamento com tiametoxam reduz o potencial fisiológico das sementes.

ASSUNTO(S)

glycine max (l.) merrill. fungicidas inseticidas germinação emergência de plântulas

Documentos Relacionados

Como fazer TCC? Nas últimas semanas tenho visto milhares de alunos com dificuldades, sem saber o que fazer, que simplesmente ficam parados na frente do computador e não conseguem escrever uma única palavra sequer. Neste texto, nós vamos ver como mudar essa situação de uma vez por todas! Alguns alunos me mandam e-mails perguntando Como Fazer TCC passo a passo. Bom, em primeiro lugar, essa é uma dificuldade muito comum, vivida por 99,9% dos alunos de faculdades no Brasil e no mundo! Os outros 0,01% Ler artigo

Você sabe o que escrever na introdução do seu TCC? Você já parou na frente do seu computador sem ter a menor ideia sobre a introdução do seu TCC, o que escrever e por onde começar? Eu já passei por isso. E como eu não desejo essa situação para ninguém, é hora de resolver esse problema. Muita gente, mas muita gente mesmo me pergunta: “Amilton, o que eu devo escrever na Introdução do meu TCC?” Aí vai a resposta: A Introdução do seu TCC é Ler artigo

Finalmente… a Conclusão do TCC em 3 Passos Simples! Se você disser que eu falei isso, eu nego, mas, para mim, a Conclusão do TCC deveria ter outro nome. Algo como: A Doce Arte de Encher Linguiça! Seus professores e orientadores podem até tentar te convencer do contrário. Podem usar inúmeros argumentos para te convencer de que a conclusão do TCC é um elemento fundamental, e, dependendo da retórica do seu professor, você até pode comprar essa bobagem como verdade. Mas se você conhece o Ler artigo

Uma Monografia Pronta em 5 Passos? Veja como isso é possível AGORA! Seu TCC é uma Monografia?… hum… como é que eu vou te dizer isso… o gato subiu no telhado… Tô Brincando! Mas eu tenho uma boa e uma má notícia para te dar. Qual você quer primeiro?… bom, não vai dar para esperar você responder, então, vou começar pela ruim mesmo: a monografia é o modelo de TCC que mais tem volume de conteúdo, principalmente se a gente comparar com um artigo científico, por exemplo. Ler artigo

Um Artigo Científico Pronto em 5 Passos? Como? É exatamente isso que você vai ver aqui. Então, você tem que fazer um Artigo Científico? Esse é modelo do seu TCC? Pode abrir um leve sorriso, afinal, o Artigo Científico é o modelo que menos exige conteúdo de texto. Trocando em miúdos, é o menor dos trabalhos acadêmicos em termos de volume de texto. Assim como todos os demais Trabalhos Científicos e Acadêmicos, o Artigo Científico Pronto tem apenas 3 Elementos: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E, antes Ler artigo