Morphological Diversity of Coleoptera (Arthropoda: Insecta) in Agriculture and Forest Systems

AUTOR(ES)
FONTE

Rev. Bras. Ciênc. Solo

DATA DE PUBLICAÇÃO

09/11/2017

RESUMO

ABSTRACT Coleopterans (Coleoptera) are major ecosystem service providers. However ecomorphological features that are comparable in a wide range of invertebrates within this group and in various environments must be found, to be able to study regions with different species, contributing to overcome difficulties of the taxonomic approach and understand the functioning of ecosystems. This research addressed the diversity of Coleoptera, using a methodology of ecomorphological traits, as well as their relation with the land use systems (LUS) and the soil properties. The following LUS were evaluated: no-tillage (NT), crop-livestock integration (CLI), pasture (PA), Eucalyptus stands (EST), and native forest (NF). Samples were collected using a 3 × 3 point grid (sampling points at a distance of 30 m), in winter and summer, in three municipalities on the Southern Santa Catarina Plateau, Brazil. Coleopterans were collected using the methodology recommended by the Tropical Soil Biology and Fertility Program, based on the excavation of soil monoliths, and on pitfall traps. To evaluate the biological forms (morphotypes) and ecomorphological groups, the ecomorphological index (EMI) methodology was adopted and the modified soil biological quality (SBQ) index was determined. At the same points, samples were collected to evaluate environmental variables (soil physical, chemical, and microbiological properties). Density data underwent nonparametric univariate statistical analysis and multivariate abundance to verify the distribution of coleopterans in the LUS, and the environmental variables were considered as explanatory. Regardless of the LUS, 14 morphotypes were identified, and adult coleopterans with epigean morphologic adaptations were more abundant than hemi-edaphic and edaphic coleopterans, respectively. Morphotype diversity was higher in the systems NF, EST, and PA in summer and in NT in winter. The reductions in SBQ index were not associated with a gradient of land use intensification (NF> EST> PA> CLI> NT), and the index was higher for NF and lower for EST. Principal component analysis (PCA) indicated a different distribution of invertebrates between the LUS. For the edaphic species, better adapted to life in the soil, a relation with NT and CLI was observed, due to more favorable pH values and phosphorus content. In the NF, a greater amount of morphotypes was identified, and the properties related to soil carbon dynamics contributed to explain this distribution. Separation at the morphotype level, taking adaptation level to soil life into consideration, has proved efficient to discriminate the LUS, mainly along with other explanatory environmental variables.

Documentos Relacionados

Você sabe o que escrever na introdução do seu TCC? Você já parou na frente do seu computador sem ter a menor ideia sobre a introdução do seu TCC, o que escrever e por onde começar? Eu já passei por isso. E como eu não desejo essa situação para ninguém, é hora de resolver esse problema. Muita gente, mas muita gente mesmo me pergunta: “Amilton, o que eu devo escrever na Introdução do meu TCC?” Aí vai a resposta: A Introdução do seu TCC é Ler artigo

Que tal aprender, de uma vez por todas, como fazer uma Justificativa de TCC, aplicando a poderosa técnica do Roteiro de Consequências? É impressionante! O quê? A técnica do Roteiro de Consequências? Sim. Ela também. E você vai conhecer essa técnica no vídeo deste artigo e vai ver Como Fazer a Justificativa do TCC com base em 2 exemplos simples e práticos. Para você, finalmente, deixar a sua Justificativa de TCC pronta! Mas, primeiro, eu preciso dizer: É impressionante! Como a Justificativa é um ponto Ler artigo

Um Artigo Científico Pronto em 5 Passos? Como? É exatamente isso que você vai ver aqui. Então, você tem que fazer um Artigo Científico? Esse é modelo do seu TCC? Pode abrir um leve sorriso, afinal, o Artigo Científico é o modelo que menos exige conteúdo de texto. Trocando em miúdos, é o menor dos trabalhos acadêmicos em termos de volume de texto. Assim como todos os demais Trabalhos Científicos e Acadêmicos, o Artigo Científico Pronto tem apenas 3 Elementos: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E, antes Ler artigo

Se você quer aprender Como Fazer Citações para o TCC de forma fácil e não ser acusado de plágio, então, recomendo fortemente que leia esse artigo até o final… E não se esqueça de assistir o vídeo logo abaixo! Imagina só… você fez todo o seu TCC, está aliviado, radiante, tirou um peso das costas… aí, PAH! Seu orientador diz que o seu trabalho tem Plágio e, por isso, vai ser reprovado. Não!!!! Aí vai uma notícia que talvez você não saiba, SE VOCÊ FEZ Ler artigo

Finalmente… a Conclusão do TCC em 3 Passos Simples! Se você disser que eu falei isso, eu nego, mas, para mim, a Conclusão do TCC deveria ter outro nome. Algo como: A Doce Arte de Encher Linguiça! Seus professores e orientadores podem até tentar te convencer do contrário. Podem usar inúmeros argumentos para te convencer de que a conclusão do TCC é um elemento fundamental, e, dependendo da retórica do seu professor, você até pode comprar essa bobagem como verdade. Mas se você conhece o Ler artigo