Incidência e prevalência de perda auditiva induzida por ruído em trabalhadores de uma indústria metalúrgica, Manaus - AM, Brasil

AUTOR(ES)
FONTE

Rev. CEFAC

DATA DE PUBLICAÇÃO

2014-10

RESUMO

OBJETIVO: estimar a incidência e a prevalência de déficit auditivo sugestivo de Perda Auditiva Induzida por Ruído e sua associação com idade e tempo de serviço em trabalhadores de uma indústria metalúrgica do pólo industrial de Manaus. MÉTODOS: estudo transversal descritivo em trabalhadores que se submeteram a exame audiométrico periódico no ano de 2012, totalizando 1499 sujeitos. Para estimativa da incidência foram selecionadas audiometrias de 763 trabalhadores com audição dentro da normalidade no exame de referência e comparados com exame atual. Realizou-se análise estatística por meio de medidas de tendência central, dispersão e distribuições de frequência. Para verificação de diferenças estatisticamente significantes utilizou-se o teste qui-quadrado, com nível de significância (p≤0,05). RESULTADOS: a prevalência de perda auditiva foi de 44,23% sendo 28,89% sugestivo de PAIR. Houve maior prevalência de perda auditiva nos trabalhadores com faixa etária acima de 45 anos e com tempo de serviço superior a 21 anos. Apenas 11,1% dos trabalhadores acima dos 21 anos de serviço apresentaram audição normal, e 61,9% perda auditiva sugestiva de Perda Auditiva Induzida por Ruído. A classificação de Não Sugestivo de Perda Auditiva Induzida por Ruído permanece estável nos indivíduos abaixo de 20 anos de exposição laboral (14,9%) e nas pessoas expostas com mais de 20 anos aumenta para 27%. A incidência de perda auditiva foi de 28% e desse total 19,7% sugestiva de Perda Auditiva Induzida por Ruído. Houve maior prevalência de perda auditiva grau leve. Conclusão: a prevalência e a incidência de perda auditiva aumentaram com a idade e tempo de serviço. As empresas devem se empenhar na implementação do Programa de Conservação Auditiva a fim de minimizar essas perdas. PURPOSE: to estimate the incidence and prevalence of hearing loss suggestive of Noise Induced Hearing Loss and its association with age and time of service in metallurgical industrial pole workers in Manaus. METHODS: cross-sectional study in workers who underwent audiometric testing periodical in 2012, totaling 1499 subjects. To estimate the incidence were selected 763 audiometrys with normal hearing at the reference testing and after compared with the current audiometry. Statistical analyses were performed using measures of central tendency, dispersion and frequency distributions. To verify statistically significant differences, we used the chi-square test, with significance level (p ≤ 0.05). RESULTS: the prevalence of hearing loss was estimated at 44.23% and 28.89% suggestive of Noise Induced Hearing Loss. There was a higher prevalence of hearing loss among workers aged from 45 years and time of service exceeding 21 years. Only 11.1% of workers over 21 years of service have normal hearing and 61.9% loss of these features suggestive of Noise Induced Hearing Loss. The classification of Not Suggestive of Noise Induced Hearing Loss remains stable in individuals below 20 years of occupational exposure (14.9%), and in people exposed to more than 20 years, increases to 27%. The incidence of hearing loss was 28% and within this total, 19.7% were suggestive of Noise Induced Hearing Loss. Most hearing loss, both suggestive of Noise Induced Hearing Loss, or not, were classified in light. CONCLUSION: the prevalence and incidence of hearing loss increased with age and time of service. Companies should strive to implement Hearing Conservation Program to minimize these losses.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados