Fatores associados ao desempenho na compreensão da linguagem oral em idosos: Projeto envelhecimento e saúde.

AUTOR(ES)
DATA DE PUBLICAÇÃO

2008

RESUMO

Introdução: A compreensão da linguagem oral é uma habilidade complexa, e ainda não foram estabelecidos fatores associados a essa habilidade, tais como a idade, condições gerais de saúde, depressão e qualidade de vida. Objetivos: 1) descrever o desempenho de idosos na versão reduzida do Teste de Token para compreensão oral em uma população idosa residente em uma comunidade de baixa renda em Belo Horizonte, Minas Gerais; 2) investigar em que medida fatores sócio-demográficos, a qualidade de vida, e a saúde física e mental explicam este desempenho; e 3) estimar a prevalência de alteração na habilidade de compreensão oral com base nos pontos de corte estabelecidos por De Renzi em 1978.I Métodos: Foram selecionados 405 indivíduos com 60 anos ou mais residentes na área de abrangência de um Centro de Saúde, localizado na região sudoeste da cidade de Belo Horizonte. Participaram do estudo 373 idosos dos quais 333 realizaram o teste de avaliação da compreensão da linguagem oral. A entrevista incluiu fatores sócio-demográficos e de saúde, o Mini-exame do Estado Mental, a versão reduzida do Teste de Token para compreensão oral, o questionário de qualidade de vida SF-12 e o de transtorno mental comum GHQ-12. O desempenho na versão reduzida no Teste de Token foi descrito utilizando medidas de tendência central e o teste qui-quadrado para a pontuação final em homens e mulheres e segundo a escolaridade e faixa etária. Utilizou-se o modelo de regressão linear múltipla para investigar a associação entre essas variáveis e o desempenho no teste de compreensão oral. A prevalência de alterações da compreensão oral foi estimada para o conjunto dos participantes, por sexo, faixa etária e escolaridade. Resultados: A média da pontuação na versão reduzida do Teste de Token foi de 23 em 36 pontos (Desvio Padrão: 6.4), não variou entre homens e mulheres, aumentou com a escolaridade e reduziu com a faixa etária As variáveis que se mantiveram associadas diretamente à pontuação final no Teste de Token, no modelo final de regressão linear, foram a idade, escolaridade, saber ler e escrever, estado cognitivo, hipertensão referida, autopercepção sobre compreensão de situações conversacionais e componente mental da qualidade de vida. Juntos, estes fatores explicam 62% da variabilidade da compreensão oral nos idosos participantes. A prevalência de alteração na compreensão oral na população estudada foi de 69%, sendo 22% de transtorno leve, 35% moderado e 13 % severo. 30% por cento dos idosos não apresentaram nenhum comprometimento da compreensão. Conclusão: Os resultados confirmam que a compreensão oral é uma habilidade complexa e multidimensional, sendo influenciada por fatores relacionados ao background, condições gerais de saúde e conceitos subjetivos. Sugerem também que este é um problema freqüente, em grande parte evitável, e que necessita ser melhor investigado em idosos brasileiros. Além disso, os pontos de corte utilizados para discriminar a presença e gravidade do transtorno na compreensão oral no Teste de Token necessitam ser validados e adequados a uma população com baixa escolaridade, como a participante no presente estudo.

ASSUNTO(S)

epidemiologia decs envelhecimento decs saúde pública teses. transtorno da linguagem decs dissertações acadêmicas decs linguagem decs dissertação da faculdade de medicina da ufmg. compreensão decs dissertações acadêmicas decs

Documentos Relacionados

Que tal aprender, de uma vez por todas, como fazer uma Justificativa de TCC, aplicando a poderosa técnica do Roteiro de Consequências? É impressionante! O quê? A técnica do Roteiro de Consequências? Sim. Ela também. E você vai conhecer essa técnica no vídeo deste artigo e vai ver Como Fazer a Justificativa do TCC com base em 2 exemplos simples e práticos. Para você, finalmente, deixar a sua Justificativa de TCC pronta! Mas, primeiro, eu preciso dizer: É impressionante! Como a Justificativa é um ponto Ler artigo

Você sabe o que escrever na introdução do seu TCC? Você já parou na frente do seu computador sem ter a menor ideia sobre a introdução do seu TCC, o que escrever e por onde começar? Eu já passei por isso. E como eu não desejo essa situação para ninguém, é hora de resolver esse problema. Muita gente, mas muita gente mesmo me pergunta: “Amilton, o que eu devo escrever na Introdução do meu TCC?” Aí vai a resposta: A Introdução do seu TCC é Ler artigo

Finalmente… a Conclusão do TCC em 3 Passos Simples! Se você disser que eu falei isso, eu nego, mas, para mim, a Conclusão do TCC deveria ter outro nome. Algo como: A Doce Arte de Encher Linguiça! Seus professores e orientadores podem até tentar te convencer do contrário. Podem usar inúmeros argumentos para te convencer de que a conclusão do TCC é um elemento fundamental, e, dependendo da retórica do seu professor, você até pode comprar essa bobagem como verdade. Mas se você conhece o Ler artigo

Um Artigo Científico Pronto em 5 Passos? Como? É exatamente isso que você vai ver aqui. Então, você tem que fazer um Artigo Científico? Esse é modelo do seu TCC? Pode abrir um leve sorriso, afinal, o Artigo Científico é o modelo que menos exige conteúdo de texto. Trocando em miúdos, é o menor dos trabalhos acadêmicos em termos de volume de texto. Assim como todos os demais Trabalhos Científicos e Acadêmicos, o Artigo Científico Pronto tem apenas 3 Elementos: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E, antes Ler artigo

Como fazer TCC? Nas últimas semanas tenho visto milhares de alunos com dificuldades, sem saber o que fazer, que simplesmente ficam parados na frente do computador e não conseguem escrever uma única palavra sequer. Neste texto, nós vamos ver como mudar essa situação de uma vez por todas! Alguns alunos me mandam e-mails perguntando Como Fazer TCC passo a passo. Bom, em primeiro lugar, essa é uma dificuldade muito comum, vivida por 99,9% dos alunos de faculdades no Brasil e no mundo! Os outros 0,01% Ler artigo