Experiência de profissionais de saúde da família com pessoas com fendas orofaciais no Brasil

AUTOR(ES)
FONTE

Cad. saúde colet.

DATA DE PUBLICAÇÃO

2013-09

RESUMO

INTRODUÇÃO: As fendas orofaciais estão entre os mais prevalentes defeitos congênitos em todo o mundo. Atenção especializada e vigilância de necessidades básicas de saúde são críticas no cuidado aos indivíduos. OBJETIVO: Foi descrever a experiência e o interesse de profissionais da Estratégia Saúde da Família no acompanhamento de indivíduos com fendas orofaciais. MÉTODOS: Coorte observacional com 104 profissionais de Maceió (AL) e Campinas (SP). Características demográficas, acadêmicas e profissionais, bem como a experiência didática e o desejo por educação continuada, foram colhidas por meio de questionário. RESULTADOS: Setenta e quatro profissionais atuavam em Maceió e 30 em Campinas. O gênero feminino e a baixa qualificação acadêmica foram predominantes. Médicos e enfermeiros prevaleceram sobre dentistas, e 78 (75%) participantes tinham experiência clínica com fendas. O uso de protocolos foi mencionado por 3/104 (2,9%), a oferta de informações sobre fendas por 58/104 (56%) e o encaminhamento para unidades especializadas da Rede de Referência por 7/104 (6,7%). Cerca de 50% dos participantes referiram experiência didática e 94%, desejo por educação continuada CONCLUSÃO: Os resultados corroboram a literatura e reforçam a necessidade de melhorar a capacitação de profissionais nesta área. Para tanto, são apresentadas estratégias para promover educação e reforçar laços entre a atenção básica e equipes especializadas.

ASSUNTO(S)

fendas orofaciais atenção básica educação continuada

Documentos Relacionados