Estudo da utilização de antidepressivos pelos usuários da farmácia clínica dos servidores da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

AUTOR(ES)
DATA DE PUBLICAÇÃO

2008

RESUMO

A depressão é um problema de saúde pública mundial, sendo considerado o quarto maior problema prevalente no mundo, causando séria incapacidade e influência negativa na qualidade de vida dos pacientes, de seus familiares e da sociedade como um todo. Em termos econômicos, são inúmeros os impactos dos transtornos depressivos. O aumento de casos de depressão está intimamente ligado ao aumento no consumo de antidepressivos observado nos últimos anos. O estudo de utilização de medicamento representa uma ferramenta importante que nos permite conhecer o perfil do usuário do medicamento, quantificar esse consumo, conhecer o prescritor e detectar problemas inerentes à utilização de medicamentos, estabelecendo a necessidade de intervenções para racionalização da terapia. Foram analisadas 652 prescrições de antidepressivos correspondendo a totalidade as prescrições dispensadas na Farmácia da Clínica dos Servidores da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte FARMASERV no ano de 2005. Foram analisados aspectos referentes ao paciente, ao medicamento e ao profissional prescritor. O padrão de consumo de antidepressivos seguiu as tendências mundiais, com grande prevalência de consumo de ISRS, em especial a fluoxetina, além da maioria dos pacientes serem de mulheres de meia-idade. Outro achado importante foi o grande número de pacientes usuários de antidepressivos com atividades profissionais vinculadas ao ensino. O estudo demonstrou ainda que a adesão frente à política atual de prescrição pela denominação genérica está vinculada às situações nas quais os genéricos representam uma redução de custo efetiva para os pacientes. Cerca de 50% das prescrições oriundas do SUS não foram pela denominação genérica, mostrando que a lei dos genéricos não é o fator mais importante para a prescrição por esta categoria. Foram observadas neste estudo altas taxas de não cumprimento das normas estabelecidas pela portaria 344/98 do Ministério da Saúde - aplicada ao controle de medicamentos dessa categoria, reforçando a necessidade de uma maior fiscalização por partes das autoridades sanitárias. Além disso, observou-se um consumo considerável de tricíclicos em idosos, além de quase 10% das prescrições totais analisadas conterem pelo menos uma interação medicamentosa de relevância clínica, apontando grande necessidade de programas de reciclagem para os profissionais prescritores. Dentre as variáveis para a prescrição da classe dos antidepressivos, são determinantes a especialidade do médico bem como, a idade e o gênero do paciente; ou seja, consultar com um especialista psiquiatra, ter a idade entre 19 e 59 anos e ser do gênero feminino aumentam a chance de se ter prescrito um ISRS. Já entre as variáveis da categoria do medicamento, são determinantes a especialidade médica, o serviço de emissão da receita e a classe do medicamento prescrita; ou seja, consultar com um neurologista, ser atendido em um consultório particular e receber a prescrição de um antidepressivo tricíclico aumenta a chance de se ter prescrito um medicamento pela categoria de referência. Após análise dos dados, pode-se concluir que a FARMASERV constitui-se em local adequado para a realização de estudos de utilização de medicamentos, pelo perfil diversificado dos seus usuários, além de não apresentar limitações comumente encontradas no sistema público de saúde como a padronização de medicamentos, bem como a obrigatoriedade de prescrição pela denominação genérica.

ASSUNTO(S)

antidepressivos teses. medicamentos utilização teses. saúde pública teses. farmácia teses. medicamentos prescrição teses. depressão mental teses.

Documentos Relacionados

Finalmente… a Conclusão do TCC em 3 Passos Simples! Se você disser que eu falei isso, eu nego, mas, para mim, a Conclusão do TCC deveria ter outro nome. Algo como: A Doce Arte de Encher Linguiça! Seus professores e orientadores podem até tentar te convencer do contrário. Podem usar inúmeros argumentos para te convencer de que a conclusão do TCC é um elemento fundamental, e, dependendo da retórica do seu professor, você até pode comprar essa bobagem como verdade. Mas se você conhece o Ler artigo

Como fazer TCC? Nas últimas semanas tenho visto milhares de alunos com dificuldades, sem saber o que fazer, que simplesmente ficam parados na frente do computador e não conseguem escrever uma única palavra sequer. Neste texto, nós vamos ver como mudar essa situação de uma vez por todas! Alguns alunos me mandam e-mails perguntando Como Fazer TCC passo a passo. Bom, em primeiro lugar, essa é uma dificuldade muito comum, vivida por 99,9% dos alunos de faculdades no Brasil e no mundo! Os outros 0,01% Ler artigo

Como fazer um TCC passo a passo – plágio e softwares de TCC? O que isso tem a ver com seu TCC? TUDO! Ou você não se importa em ouvir do seu orientador: “Seu trabalho tem plágio! Zero!” É… eu sei que você se importa. O problema é que muitos alunos morrem de medo do plágio, mas não sabem exatamente quando ele acontece. Definir o plágio é muito simples. Plágio é Roubar a Ideia do Outro. Simples assim. Quando você usa uma ideia, texto ou Ler artigo

Uma Monografia Pronta em 5 Passos? Veja como isso é possível AGORA! Seu TCC é uma Monografia?… hum… como é que eu vou te dizer isso… o gato subiu no telhado… Tô Brincando! Mas eu tenho uma boa e uma má notícia para te dar. Qual você quer primeiro?… bom, não vai dar para esperar você responder, então, vou começar pela ruim mesmo: a monografia é o modelo de TCC que mais tem volume de conteúdo, principalmente se a gente comparar com um artigo científico, por exemplo. Ler artigo

Um Artigo Científico Pronto em 5 Passos? Como? É exatamente isso que você vai ver aqui. Então, você tem que fazer um Artigo Científico? Esse é modelo do seu TCC? Pode abrir um leve sorriso, afinal, o Artigo Científico é o modelo que menos exige conteúdo de texto. Trocando em miúdos, é o menor dos trabalhos acadêmicos em termos de volume de texto. Assim como todos os demais Trabalhos Científicos e Acadêmicos, o Artigo Científico Pronto tem apenas 3 Elementos: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E, antes Ler artigo