Doenças osteomusculares e articulares em idosos atendidos em um centro de reabilitação de um hospital universitário: descrição da prevalência e do perfil demográfico e de saúde

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

DATA DE PUBLICAÇÃO

20/03/2012

RESUMO

Population aging has been leading to the increase in chronic degenerative disorders, among them musculoskeletal and joint diseases (MJD), of which low back pain is among the most prevalent and symptomatic in the elderly. The MJDs result in functional disabilities that negatively impact on the independence and quality of life of the elderly. Hence, profile determination of MJD is important for the management and planning of health actions. Thus, this dissertation presents two studies: one aims on (1) characterizing the elderly with MJD of the rehabilitation center (RC) at Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), in refference to demographic and health profile, type of physical therapy treatment, service funding, and outcome, and also among these, the aim to (2) characterize those with low back pain. This cross-sectional study used retrospective data from medical records of 1203 elderly (age, sex, residence, type of treatment funding, clinical diagnosis), all treated from July 2004 to March 2010. Of the 890 medical records of elderly patients with MJD, data concerning medication, comorbidities, signs and symptons, physical therapy treatment, number of sessions and outcome were collected. These data were analyzed using the SPSS software where a level (α) of 5% was adopted as a decision criteria. For the total of elderly subjects the average age was 70,1 (+- 7,9) years and among them predominated women (66.7%) who resided near the RC (45%), and distant (55%), including surrounding towns, whose treatment was funded by health care plans (54,4%). There was significant prevalence of MJD (74%, p <0.0001) compared to other groups of diseases (respiratory, genitourinary, nervous, amputations and others), which showed significant association with the female sex, while the male sex was associated with diseases of the respiratory and circulatory systems. The most frequent MJDs were arthropathies (25.6%) and back problems (34.6%) and, among the latter, the most common were low back pain (14.4%). Hypertension was the most frequently reported comorbidity (50.3%) and antihypertensive drugs the most frequently used (34.7%). Pain was the most frequent symptom (97.7%), followed by limitation of range of motion (48.2%). The most widely used physical therapy treatments were kinesiotherapy (72.9%) associated with electrotherapy (60,2%). The most frequent treatment response was relief of pain (98,2% of valid cases n=227). As for outcome, 106 patients (45,9% of valid cases n = 231) had release from treatment. Regarding the elderly referred for low back pain (69.98 8.4 years), 53% had only low back pain, 21% lumbar sciatic pain and 26% low back pain associated with other diseases. Also among them the majority were women (69.8%), complaining of pain (99.2%), whose physical therapy treatment consisted of kinesiotherapy and electrotherapy (87%). The results of this dissertation indicated that the MJDs and nonspecific low back pain were quite prevalent, specially in women with hypertension, making use of antihypertensive drugs, treated with kinesiotherapy and electrotherapy for pain and motion range limitation. Considering Physical Therapy as being of fundamental importance to the functional recovery of the elderly, and, therefore, their independence, rethinking the current care model emerges are imperative in the face of pressing demographic changes.

ASSUNTO(S)

medicina geriatria gerontologia envelhecimento idosos fisioterapia sistema musculosquelÉtico articulaÇÕes - doenÇas medicina

Documentos Relacionados

Uma Monografia Pronta em 5 Passos? Veja como isso é possível AGORA! Seu TCC é uma Monografia?… hum… como é que eu vou te dizer isso… o gato subiu no telhado… Tô Brincando! Mas eu tenho uma boa e uma má notícia para te dar. Qual você quer primeiro?… bom, não vai dar para esperar você responder, então, vou começar pela ruim mesmo: a monografia é o modelo de TCC que mais tem volume de conteúdo, principalmente se a gente comparar com um artigo científico, por exemplo. Ler artigo

Se você quer aprender Como Fazer Citações para o TCC de forma fácil e não ser acusado de plágio, então, recomendo fortemente que leia esse artigo até o final… E não se esqueça de assistir o vídeo logo abaixo! Imagina só… você fez todo o seu TCC, está aliviado, radiante, tirou um peso das costas… aí, PAH! Seu orientador diz que o seu trabalho tem Plágio e, por isso, vai ser reprovado. Não!!!! Aí vai uma notícia que talvez você não saiba, SE VOCÊ FEZ Ler artigo

Se o seu (des)orientador pediu para você fazer os Resultados e Discussão no TCC, mas não te explicou o que é isso e nem mostrou Como Fazer, este artigo é para você! Você quer Aprender Definitivamente O Que São e Como Fazer os Resultados e Discussão no seu TCC, não quer? Então, você tem que dar uma olhada no VÍDEO deste artigo. Aprenda de maneira Rápida e Definitiva Como Fazer os Resultados e Discussão no TCC, com exemplos Simples e Objetivos para trabalhos com Pesquisa de Campo Ler artigo

Finalmente… a Conclusão do TCC em 3 Passos Simples! Se você disser que eu falei isso, eu nego, mas, para mim, a Conclusão do TCC deveria ter outro nome. Algo como: A Doce Arte de Encher Linguiça! Seus professores e orientadores podem até tentar te convencer do contrário. Podem usar inúmeros argumentos para te convencer de que a conclusão do TCC é um elemento fundamental, e, dependendo da retórica do seu professor, você até pode comprar essa bobagem como verdade. Mas se você conhece o Ler artigo

Um Artigo Científico Pronto em 5 Passos? Como? É exatamente isso que você vai ver aqui. Então, você tem que fazer um Artigo Científico? Esse é modelo do seu TCC? Pode abrir um leve sorriso, afinal, o Artigo Científico é o modelo que menos exige conteúdo de texto. Trocando em miúdos, é o menor dos trabalhos acadêmicos em termos de volume de texto. Assim como todos os demais Trabalhos Científicos e Acadêmicos, o Artigo Científico Pronto tem apenas 3 Elementos: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E, antes Ler artigo