DETERMINAÇÃO DE BIFENILOS POLICLORADOS EM CARNE E PRODUTOS CÁRNEOS NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, BRASIL / DETERMINATION OF POLYCHLORINATED BIPHENYLS IN MEAT AND MEAT PRODUCTS FROM THE STATE OF RIO GRANDE DO SUL, BRAZIL

AUTOR(ES)
DATA DE PUBLICAÇÃO

2004

RESUMO

No presente trabalho foi validada uma metodologia analítica, empregando cromatografia gasosa com micro detector de captura eletrônica (CG/μECD), com a finalidade de identificar e quantificar os bifenilos policlorados PCBs nos. 10, 28, 52, 153, 138 e 180 em amostras de carne e de produtos cárneos obtidos em diferentes regiões do Estado do Rio Grande do Sul (Brasil). Além disto, comparou-se os níveis encontrados com os limites máximos permitidos pela legislação nacional e internacional, permitindo assim identificar a existência, nas regiões em estudo, de contaminação de produtos cárneos em níveis acima do permitido. Na etapa da validação avaliou-se a linearidade, a precisão, a exatidão e a sensibilidade do método. Todos estes parâmetros foram considerados satisfatórios de acordo com os valores sugeridos na literatura para a análise de resíduos empregando-se métodos cromatográficos. Para a linearidade foi verificada uma correlação de 99,9% entre a área dos picos e a concentração existente dos padrões, indicando alta eficiência. As recuperações estiveram entre 97,3-110,7% e o coeficiente de variação foi menor que 16%, o que permite considerar adequada a exatidão do método. Os limites de detecção situaram-se entre 0,2-0,5 ng/g o que evidencia a aplicabilidade do método para o monitoramento dos PCBs em carne e produtos cárneos. Os níveis dos seis congêneres de bifenilos policlorados foram avaliados em 55 amostras de carne (bovina e suína) e produtos cárneos (lingüiça, salsicha hot-dog, mortadela, carne enlatada para exportação e salame) obtidas de 11 cidades do estado do Rio Grande do Sul, entre julho e agosto de 2002. O composto encontrado na maior concentração foi o PCB 52 (2,64 ng/g de gordura), seguido dos PCBs 180 (0,85 ng/g de gordura), 10 (0,68 ng/g de gordura), 28 (0,60 ng/g de gordura), 138 (0,22 ng/g de gordura) e 153 (0,20 ng/g de gordura). O somatório dos seis congêneres, expresso como Σ PCB foi de 5,19 ng/g de gordura para os níveis médios. O valor máximo detectado nas amostras foi de 124,71 ng/g de gordura. A concentração média dos PCBs foi maior nos produtos cárneos do que na carne. Os níveis dos PCBs nas amostras seguram a seguinte ordem de magnitude: produtos cárneos com carne mista >carne suína >carne bovina. O PCB 153 foi encontrado em níveis significativamente mais altos na carne enlatada para exportação, quando comparado aos outros produtos cárneos. Este congênere também foi encontrado em níveis significativamente maiores nas amostras da região sul, quando comparado com os valores das amostras provenientes das outras regiões do estado. Os resultados indicam a presença de PCBs em amostras de carne e produtos cárneos do Rio Grande do Sul, Brasil. Porém, os níveis encontrados estão abaixo dos limites máximos de resíduos estabelecidos para alimentos de origem animal na Comunidade Européia (200 ng/g de gordura) e no Brasil (3000 ng/g de gordura). Este é o primeiro trabalho que descreve os níveis de contaminação residual por PCBs na carne e nos produtos cárneos no Rio Grande do Sul, Brasil.

ASSUNTO(S)

tecnologia de alimentos rio grande do sul carne contaminação de alimentos produtos cárneos ciencia e tecnologia de alimentos

Documentos Relacionados

Uma Monografia Pronta em 5 Passos? Veja como isso é possível AGORA! Seu TCC é uma Monografia?… hum… como é que eu vou te dizer isso… o gato subiu no telhado… Tô Brincando! Mas eu tenho uma boa e uma má notícia para te dar. Qual você quer primeiro?… bom, não vai dar para esperar você responder, então, vou começar pela ruim mesmo: a monografia é o modelo de TCC que mais tem volume de conteúdo, principalmente se a gente comparar com um artigo científico, por exemplo. Ler artigo

Um Artigo Científico Pronto em 5 Passos? Como? É exatamente isso que você vai ver aqui. Então, você tem que fazer um Artigo Científico? Esse é modelo do seu TCC? Pode abrir um leve sorriso, afinal, o Artigo Científico é o modelo que menos exige conteúdo de texto. Trocando em miúdos, é o menor dos trabalhos acadêmicos em termos de volume de texto. Assim como todos os demais Trabalhos Científicos e Acadêmicos, o Artigo Científico Pronto tem apenas 3 Elementos: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E, antes Ler artigo

Finalmente… a Conclusão do TCC em 3 Passos Simples! Se você disser que eu falei isso, eu nego, mas, para mim, a Conclusão do TCC deveria ter outro nome. Algo como: A Doce Arte de Encher Linguiça! Seus professores e orientadores podem até tentar te convencer do contrário. Podem usar inúmeros argumentos para te convencer de que a conclusão do TCC é um elemento fundamental, e, dependendo da retórica do seu professor, você até pode comprar essa bobagem como verdade. Mas se você conhece o Ler artigo

Se o seu (des)orientador pediu para você fazer os Resultados e Discussão no TCC, mas não te explicou o que é isso e nem mostrou Como Fazer, este artigo é para você! Você quer Aprender Definitivamente O Que São e Como Fazer os Resultados e Discussão no seu TCC, não quer? Então, você tem que dar uma olhada no VÍDEO deste artigo. Aprenda de maneira Rápida e Definitiva Como Fazer os Resultados e Discussão no TCC, com exemplos Simples e Objetivos para trabalhos com Pesquisa de Campo Ler artigo

Se você quer aprender Como Fazer Citações para o TCC de forma fácil e não ser acusado de plágio, então, recomendo fortemente que leia esse artigo até o final… E não se esqueça de assistir o vídeo logo abaixo! Imagina só… você fez todo o seu TCC, está aliviado, radiante, tirou um peso das costas… aí, PAH! Seu orientador diz que o seu trabalho tem Plágio e, por isso, vai ser reprovado. Não!!!! Aí vai uma notícia que talvez você não saiba, SE VOCÊ FEZ Ler artigo