Custos das medidas de biosseguridade na produção brasileira de galinhas poedeiras em resposta às políticas sanitárias contra a gripe aviária, doença de Newcastle e Salmonelose

AUTOR(ES)
FONTE

Rev. bras. saúde prod. anim.

DATA DE PUBLICAÇÃO

2017-06

RESUMO

RESUMO O objetivo com este trabalho foi estimar os custos para produção de ovos, bem como os impactos da implementação das normas de biosseguridade descritas pelas normativas de número 56/2007, 59/2009, 36/2012, 10/2013. Visando o atendimento ao “Programa Nacional de Sanidade Avícola” e ao “Plano Nacional de Prevenção da Influenza Aviária e de Controle e Prevenção da Doença de Newcastle”, o Ministério da Agricultura publicou uma série de atos legais para estabelecer os “Procedimentos para Registro, Fiscalização e Controle de Estabelecimentos Avícolas de Reprodução e Comerciais”, intensificando as medidas para prevenção da ocorrência de enfermidades de grande impacto econômico no plantel avícola do país. As adequações englobam itens de estrutura e procedimentos de biosseguridade que visam aumentar o nível de isolamento das aves, para mantê-las com o melhor status sanitário possível. Essas exigências podem resultar em mais despesas e dedicação por parte dos produtores. Desta forma, custos de produção foram obtidos por meio de entrevistas pessoais com 10 produtores de fazendas comerciais de avicultura de postura na região de Limeira, Estado de São Paulo, Brasil, entre junho e julho de 2013. O resultado deste estudo sugere que a implantação da biosseguridade tem custo relativamente baixo frente aos possíveis riscos de enfermidades e dos prejuízos econômicos que essas enfermidades podem causar, o que justifica a adoção destas práticas.

ASSUNTO(S)

programas de sanidade avícola biossegurança custo de produção

Documentos Relacionados