Comunidades de esporos de fungos micorrízicos arbusculares e associação micorrízica em diferentes ecossistemas no sul da Austrália

AUTOR(ES)
FONTE

Rev. Bras. Ciênc. Solo

DATA DE PUBLICAÇÃO

2002-09

RESUMO

Comunidades de fungos micorrízicos arbusculares (FMAs) foram estudadas em diferentes ecossistemas, no sul da Austrália. A extração dos esporos do solo foi efetuada pelo método de peneiramento úmido, para posterior quantificação e identificação das espécies de FMAs. A percentagem de raízes colonizadas também foi determinada. Associações micorrízicas foram comuns em todos os ecossistemas estudados. Os esporos foram mais abundantes no sistema de pastagem permanente e menor no sistema de plantio contínuo com trigo. Percebeu-se a incidência de associações micorrízicas nas diferentes espécies de planta e a ocorrência de Arum e Paris-tipo de colonização. Esporos de 17 espécies de FMAs foram identificados durante as variações sazonais de 1996 e 1997 no sistema de permanente pastagem e em quatro hospedeiros (Plantago lanceolata, Sorghum sp., Trifolium subterraneum, Lolium perenne) cultivados em casa de vegetação. Glomus mosseae foi a espécie dominante em todas as épocas de coleta e nos vasos de cultivo. A diversidade micorrízica não foi significativa nas diferentes épocas de amostragem no campo, mas esta foi significativa nas culturas armadilhas. P. lanceolata, Sorghum sp. e T. subterraneum como hospedeiras das culturas armadilhas não mostraram diferença no número e diversidade de esporos de FMAs associados ao sistema radicular. Entretanto, o número e a diversidade de espécies foram mais baixas com L. perenne (principalmente em dezembro de 1996). A identificação de esporos extraídos do solo do campo e de plantas armadilhas é essencial para o estudo das populações e diversidade dos FMAs. Este trabalho proprociona dados para monitoramento das populações usando técnicas convencionais e material para determinação da efetividade simbiótica de espécies chaves da comunidade de FMAs.

ASSUNTO(S)

plantas armadilhas glomus gigaspora

Documentos Relacionados

Um Artigo Científico Pronto em 5 Passos? Como? É exatamente isso que você vai ver aqui. Então, você tem que fazer um Artigo Científico? Esse é modelo do seu TCC? Pode abrir um leve sorriso, afinal, o Artigo Científico é o modelo que menos exige conteúdo de texto. Trocando em miúdos, é o menor dos trabalhos acadêmicos em termos de volume de texto. Assim como todos os demais Trabalhos Científicos e Acadêmicos, o Artigo Científico Pronto tem apenas 3 Elementos: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E, antes Ler artigo

Uma Monografia Pronta em 5 Passos? Veja como isso é possível AGORA! Seu TCC é uma Monografia?… hum… como é que eu vou te dizer isso… o gato subiu no telhado… Tô Brincando! Mas eu tenho uma boa e uma má notícia para te dar. Qual você quer primeiro?… bom, não vai dar para esperar você responder, então, vou começar pela ruim mesmo: a monografia é o modelo de TCC que mais tem volume de conteúdo, principalmente se a gente comparar com um artigo científico, por exemplo. Ler artigo

Para ter um TCC pronto, é preciso perder o medo. E se você está perdido ou se sentido incapaz, você precisa saber: A Culpa não é sua! Descubra Agora a Mentira que te venderam (por um tempo, eu também comprei…) Quem tem medo do TCC? Eu não sei você, mas, durante um bom tempo, eu tive muito! Eu me sentia perdido, sozinho e incapaz de fazer o meu trabalho. Eu tinha certeza de que nuca teria um TCC pronto. E se você acha que o Ler artigo

Se o seu (des)orientador pediu para você fazer os Resultados e Discussão no TCC, mas não te explicou o que é isso e nem mostrou Como Fazer, este artigo é para você! Você quer Aprender Definitivamente O Que São e Como Fazer os Resultados e Discussão no seu TCC, não quer? Então, você tem que dar uma olhada no VÍDEO deste artigo. Aprenda de maneira Rápida e Definitiva Como Fazer os Resultados e Discussão no TCC, com exemplos Simples e Objetivos para trabalhos com Pesquisa de Campo Ler artigo

Você sabe o que escrever na introdução do seu TCC? Você já parou na frente do seu computador sem ter a menor ideia sobre a introdução do seu TCC, o que escrever e por onde começar? Eu já passei por isso. E como eu não desejo essa situação para ninguém, é hora de resolver esse problema. Muita gente, mas muita gente mesmo me pergunta: “Amilton, o que eu devo escrever na Introdução do meu TCC?” Aí vai a resposta: A Introdução do seu TCC é Ler artigo