Como organizar o calendário vacinal da gestante?

DATA DE PUBLICAÇÃO

05/07/2019

RESUMO

A gestação é uma ótima oportunidade para atualizar o calendário vacinal da mulher. O objetivo da vacinação nesse período é proporcionar proteção para a gestante e também para o feto. Idealmente, mulheres em idade fértil e/ou que desejam gestar, devem ser orientadas a manter a vacinação em dia. A única vacina administrada especificamente em função da gestação é a vacina dTpa.

•  dTpa e/ou dT

Indicadas para proteção da gestante contra o tétano acidental e a prevenção do tétano neonatal. A administração da vacina dT e/ou dTpa irá depender da situação vacinal encontrada.

A vacina dTpa está indicada a partir da 20ª semana gestacional até 45 dias após o parto. Apesar de a vacina poder ser administrada no puerpério, é importante ressaltar que esta estratégia só deve ser realizada como última opção, pois ao vacinar uma gestante após o parto, não haverá transferência de anticorpos para o feto, mas impede que a mãe adoeça e possa ser uma fonte de infecção para o seu filho.

Esquema de vacinação dT e/ou dTpa conforme histórico vacinal

Gestante não vacinada/sem comprovação vacinal: administrar as duas primeiras doses de dT e a última dose de dTpa a partir da 20ª semana de gestação.

Esquema incompleto de dT (uma dose): administrar uma dose de dT e uma de dTpa a partir da 20ª semana de gestação.

Esquema incompleto de dT (duas doses): administrar uma dose de dTpa a partir da 20ª semana de gestação.

Esquema completo de dT (três doses): administrar uma dose de dTpa a partir da 20ª semana de gestação.

Observações

Nunca reiniciar o esquema, apenas completá-lo de acordo com histórico vacinal. O intervalo ideal entre as doses é de 60 dias. Quando necessário, o intervalo mínimo deve ser de 30 dias. A última dose ou reforço com dTpa deve ser administrado pelo menos 20 dias antes da data provável do parto. Mesmo com esquema completo (três doses da vacina) e/ou reforço em dia, a gestante deverá receber uma dose de dTpa a cada gestação. Em todos os casos, após completar o esquema, é necessário administrar uma dose de reforço a cada 10 anos.

ASSUNTO(S)

programas de imunização gestantes

Documentos Relacionados