Cidadania política e finanças em Machado de Assis: A série A semana (1892-1897)

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

DATA DE PUBLICAÇÃO

26/06/2011

RESUMO

Na dissertação tentamos demonstrar que desde a caracterização do narrador ficcional da série de crônicas A semana (1892-1897), passando pelo mais recorrente assunto tratado, ou seja, o Encilhamento e a crise que se lhe seguiu, até a crítica das eleições desorganizadas, fraudulentas, violentas e corruptas, e dos eleitores absenteístas que não faziam uso do direito de eleger seus representantes; a principal preocupação do cronista era com o bem público e a cidadania. A crise cambial e financeira desses anos sempre teve como remédio possível a encampação das emissões feitas pelos principais bancos e o arrendamento de ativos do governo federal, como as ferrovias, para a aquisição de novos empréstimos. Ambas as soluções, tão temidas e criticadas pelo cronista, foram executadas. O que significava que os desvarios dos acionistas das sociedades anônimas e do próprio governo seriam divididos com todos os cidadãos contribuintes. A dissertação também trata da cidadania política propriamente dita, ou seja, das referências às eleições e aos trabalhos parlamentares. O narrador critica o grande número de abstenções que aconteciam. Apesar de criticar todos os subterfúgios utilizados para se corromper as eleições, como as fraudes e as ações violentas, o principal responsável pelo mal eleitoral é o próprio cidadão que não faz uso de seu direito ―soberano‖ de escolher os seus representantes. Assim sendo, o narrador se utiliza dessas crônicas para incitar uma maior participação sufragista. Ele o faz de duas maneiras: através de um discurso direto, sem ironia e outras figuras retóricas, falando claramente ao leitor sobre a importância das eleições e do voto. Ou, ironizando e criticando o eleitor de diversas maneiras: seja pela sua preguiça e ignorância sobre o uso de um direito constitucional, seja por seu individualismo exacerbado, que o fazia se preocupar somente com seus interesses financeiros, com o lucro, ou em ganhar dinheiro de maneira ―vadia‖ através dos jogos de azar. Por outro lado, o cidadão que fazia uso do direito de voto podia e devia cobrar dos seus representantes. É o que faz também o cronista. Ele acompanha os trabalhos das assembléias nacionais, estaduais e municipais. Sua principal crítica é a pouca assiduidade dos políticos e as poucas horas trabalhadas. Essa crítica é feita muitas vezes em comparação com a Câmara dos Comuns inglesa, que virava a noite em trabalhos legislativos, de acordo com os telegramas da época. Além disso, o narrador ainda se preocupava com a falta de civismo da população, principalmente com a falta de entusiasmo na comemoração de datas importantes da história brasileira como o Treze de Maio, ou o Sete de Setembro. Segundo ele, o brasileiro tinha em pouca conta o passado e o futuro, e se governava somente pelo presente. Para ele, essa identificação nacional era a contrapartida da cidadania

ASSUNTO(S)

machado de assis encilhamento bem público eleições cidadania política machado de assis encilhamento commonweal elections political citizenship historia

Documentos Relacionados

Para ter um TCC pronto, é preciso perder o medo. E se você está perdido ou se sentido incapaz, você precisa saber: A Culpa não é sua! Descubra Agora a Mentira que te venderam (por um tempo, eu também comprei…) Quem tem medo do TCC? Eu não sei você, mas, durante um bom tempo, eu tive muito! Eu me sentia perdido, sozinho e incapaz de fazer o meu trabalho. Eu tinha certeza de que nuca teria um TCC pronto. E se você acha que o Ler artigo

TCC Pronto e Gratuito? Sério mesmo? Você acredita em almoço de graça? Comprar um TCC Pronto? Fazer o Próprio TCC? Você ainda tem dúvidas como essas? Você PRECISA ver este Artigo com Urgência! Neste artigo você encontrará: TCC Pronto e Gratuito Comprar TCC Pronto É só me corrigir se eu estiver errado, mas as pessoas Adoram Atalhos, certo? O problema é que, muitas vezes, ATALHOS São ARMADILHAS DISFARÇADAS. Então, se você quer Fugir das Armadilhas e quer saber a Verdade sobre TCC Pronto, TCC Pronto e Ler artigo

Se você quer aprender Como Fazer Citações para o TCC de forma fácil e não ser acusado de plágio, então, recomendo fortemente que leia esse artigo até o final… E não se esqueça de assistir o vídeo logo abaixo! Imagina só… você fez todo o seu TCC, está aliviado, radiante, tirou um peso das costas… aí, PAH! Seu orientador diz que o seu trabalho tem Plágio e, por isso, vai ser reprovado. Não!!!! Aí vai uma notícia que talvez você não saiba, SE VOCÊ FEZ Ler artigo

Como fazer TCC? Nas últimas semanas tenho visto milhares de alunos com dificuldades, sem saber o que fazer, que simplesmente ficam parados na frente do computador e não conseguem escrever uma única palavra sequer. Neste texto, nós vamos ver como mudar essa situação de uma vez por todas! Alguns alunos me mandam e-mails perguntando Como Fazer TCC passo a passo. Bom, em primeiro lugar, essa é uma dificuldade muito comum, vivida por 99,9% dos alunos de faculdades no Brasil e no mundo! Os outros 0,01% Ler artigo

Como fazer um TCC passo a passo – plágio e softwares de TCC? O que isso tem a ver com seu TCC? TUDO! Ou você não se importa em ouvir do seu orientador: “Seu trabalho tem plágio! Zero!” É… eu sei que você se importa. O problema é que muitos alunos morrem de medo do plágio, mas não sabem exatamente quando ele acontece. Definir o plágio é muito simples. Plágio é Roubar a Ideia do Outro. Simples assim. Quando você usa uma ideia, texto ou Ler artigo