Avaliação da resistência de clones e cultivares de batata à murcha bacteriana (Ralstonia solanacearum) / ASSESSMENT OF RESISTANCE OF POTATO CLONES AND CULTIVARS THE BACTERIAL WILT, Ralstonia solanacearum

AUTOR(ES)
DATA DE PUBLICAÇÃO

2005

RESUMO

Cultivares e clones de batata (Solanum tuberosum L.) foram avaliados de 2002 a 2004 na Embrapa Hortaliças, Brasília-DF, para resistência à murcha bacteriana em campo naturalmente infestado com a raça 1, biovar 1 de Ralstonia solanacearum. Os testes de avaliação foram conduzidos com as cultivares atualmente mais plantadas no Brasil e com conjuntos de clones relatados como resistentes no Brasil e em outras partes do mundo. Em todos os experimentos, a doença foi avaliada pela incidência de plantas murchas em intervalos que permitiram a construção de curvas de progresso da doença para cada genótipo. A partir dessas, foram calculadas as áreas abaixo das curvas de progresso da doença (AACPD), valores usados para a realização das análises estatísticas por meio do programa SAS, que permitiram a comparação da resistência dos genótipos. Os genótipos mais resistentes nos ensaios foram os clones MB 03 e MB 9846-01, selecionados na Embrapa Hortaliças, e Cruza 148, padrão internacional de resistência originário do México. Nesses clones a incidência da doença ficou abaixo de 10%, 100 dias após o plantio. Dentre as cultivares, destacou-se Achat, com cerca de 30% de plantas murchas, valor significativamente superior ao dos clones acima mencionados, porém inferior ao das cultivares Monalisa, Atlantic, Bintje e Ágata, amplamente cultivadas no Brasil, e que apresentaram acima de 80% das plantas murchas. Observou-se que menores valores de AACPD correspondiam a um atraso no início do aparecimento dos sintomas da doença. Somente os clones MB 03 e Cruza 148 e a cultivar Achat apresentaram produção satisfatória devido à alta infestação do solo com o patógeno. Em outro experimento, 28 genótipos tidos como resistentes à murcha bacteriana e mantidos na Lista de Patógenos Testados (Pathogen Tested List) do Centro Internacional de la Papa (CIP), foram introduzidos in vitro, multiplicados em vasos em casa de vegetação e então avaliados em campo infestado com a biovar 1 de R. solanacearum. Os genótipos Mabondo e BW 8 se destacaram nas condições avaliadas e poderão, juntamente com os clones MB-03, Cruza 148 e MB 9846-01, ser incluídos em programas de melhoramento com a finalidade de transferir genes de resistência para cultivares de batata. Os clones MB 03, 384515-1, MB 9721-01 e Cruza 148, anteriormente selecionados como resistentes na Embrapa Hortaliças, foram cruzados com as cultivares Monalisa, Baraka e Asterix para gerar genótipos que combinassem resistência e boas características agronômicas. Dos 200 clones selecionados para tipo de tubérculos em campo comercial em Cristalina - GO, somente dois apresentaram bom desempenho quando cultivados em campo infestado na Embrapa Hortaliças, indicando que essa metodologia não é adequada para seleção de genótipos resistentes. Este resultado levou à recomendação da seleção para resistência como fase anterior à seleção para tipo de tubérculo de modo que não se eliminem genótipos com níveis satisfatórios de resistência. Adicionalmente foi avaliada a resistência à murcha bacteriana em 128 acessos da coleção mundial de Solanum chacoense, procedentes do Inter-Regional Potato Introduction, Sturgeon Bay, Madison, EUA. De 1.792 clones avaliados, seis foram selecionados como apresentando resistência à biovar 1 de R. solanacearum. Posteriormente, esses clones foram testados para outros isolados das biovares 1 e 2, procedentes de diferentes regiões do Brasil. Reação diferencial entre isolados e clones foram verificadas, mostrando que a resistência em S. chacoense é específica para diferentes estirpes do patógeno.

ASSUNTO(S)

ralstonia solanacearum clones de batata murcha bacteriana solanum tuberosum doenças parasitárias resistência à murcha bacteriana ciências biológicas melhoramento da batata

Documentos Relacionados

TCC Pronto e Gratuito? Sério mesmo? Você acredita em almoço de graça? Comprar um TCC Pronto? Fazer o Próprio TCC? Você ainda tem dúvidas como essas? Você PRECISA ver este Artigo com Urgência! Neste artigo você encontrará: TCC Pronto e Gratuito Comprar TCC Pronto É só me corrigir se eu estiver errado, mas as pessoas Adoram Atalhos, certo? O problema é que, muitas vezes, ATALHOS São ARMADILHAS DISFARÇADAS. Então, se você quer Fugir das Armadilhas e quer saber a Verdade sobre TCC Pronto, TCC Pronto e Ler artigo

Como fazer TCC? Nas últimas semanas tenho visto milhares de alunos com dificuldades, sem saber o que fazer, que simplesmente ficam parados na frente do computador e não conseguem escrever uma única palavra sequer. Neste texto, nós vamos ver como mudar essa situação de uma vez por todas! Alguns alunos me mandam e-mails perguntando Como Fazer TCC passo a passo. Bom, em primeiro lugar, essa é uma dificuldade muito comum, vivida por 99,9% dos alunos de faculdades no Brasil e no mundo! Os outros 0,01% Ler artigo

Que tal aprender, de uma vez por todas, como fazer uma Justificativa de TCC, aplicando a poderosa técnica do Roteiro de Consequências? É impressionante! O quê? A técnica do Roteiro de Consequências? Sim. Ela também. E você vai conhecer essa técnica no vídeo deste artigo e vai ver Como Fazer a Justificativa do TCC com base em 2 exemplos simples e práticos. Para você, finalmente, deixar a sua Justificativa de TCC pronta! Mas, primeiro, eu preciso dizer: É impressionante! Como a Justificativa é um ponto Ler artigo

Um Artigo Científico Pronto em 5 Passos? Como? É exatamente isso que você vai ver aqui. Então, você tem que fazer um Artigo Científico? Esse é modelo do seu TCC? Pode abrir um leve sorriso, afinal, o Artigo Científico é o modelo que menos exige conteúdo de texto. Trocando em miúdos, é o menor dos trabalhos acadêmicos em termos de volume de texto. Assim como todos os demais Trabalhos Científicos e Acadêmicos, o Artigo Científico Pronto tem apenas 3 Elementos: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E, antes Ler artigo

Finalmente… a Conclusão do TCC em 3 Passos Simples! Se você disser que eu falei isso, eu nego, mas, para mim, a Conclusão do TCC deveria ter outro nome. Algo como: A Doce Arte de Encher Linguiça! Seus professores e orientadores podem até tentar te convencer do contrário. Podem usar inúmeros argumentos para te convencer de que a conclusão do TCC é um elemento fundamental, e, dependendo da retórica do seu professor, você até pode comprar essa bobagem como verdade. Mas se você conhece o Ler artigo