Asma e rinite alérgica: prevalência da comorbidade, valores de referência do pico do fluxo inspiratório nasal e tratamento unificado via inalação nasal exclusiva

AUTOR(ES)
DATA DE PUBLICAÇÃO

2009

RESUMO

A comorbidade rinite alérgica e asma tem elevada prevalência e representa um problema de saúde pública mundial. As evidências que apontam para a possibilidade de que se trata de uma única doença que acomete as vias aéreas surgiram há alguns anos, têm se consolidado e culminaram com a iniciativa ARIA. Já há algum tempo é consensual a importância da busca por tratamentos que contemplem de forma integrada a comorbidade. A presente tese avaliou a prevalência da comorbidade em adolescentes residentes em Belo Horizonte. Além disso, buscou identificar valores de referência do pico do fluxo expiratório nasal para crianças e adolescentes e finalmente analisou a inalação nasal de corticoide inalatorio para o tratamento simultâneo da asma e da rinite alérgica. No estudo que avaliou a comorbidade rinite alérgica e asma foram identificados 3.262 estudantes para os quais foi entregue o questionário do estudo ISAAC-International Study of Asthma and Allergies in Childhood. Desse total, 3.083 completaram o questionário (taxa de resposta, 94,7%), sendo 47,3% do sexo masculino. A prevalência dos sintomas relacionados à comorbidade asma e rinite alérgica foi de 8,4% (IC 95% 8,0-10,2%). Entre os adolescentes com sintomas relacionados à asma, a prevalência de sintomas associados à rinite alérgica foi de 46,5% (IC95% 42,60-52,08%). Verificou-se que há elevada prevalência de adolescentes com a comorbidade asma e rinite alérgica em Belo Horizonte. A comorbidade é um importante problema de saúde que requer uma política especificamente a ela dirigida para a obtenção do controle da asma e da rinite alérgica. Em relação ao estudo sobre valores de referência do pico do fluxo inspiratório nasal participaram 526 escolares e adolescentes (49,6% do sexo masculino). Observou-se correlação positiva entre as medidas do PFIN e a estatura e o sexo, sendo maiores no masculino. O modelo de regressão linear final para PFIN possibilitou a elaboração da fórmula para estimativa em pacientes de oito a 15 anos: PFIN = idade (meses) x 0,7 +(a x 11,2), sendo a= 1, se sexo masculino; e a= 0, se sexo feminino. A identificação dos valores de referência para o pico do fluxo inspiratório nasal poderá auxiliar na execução de mais estudos com pacientes com rinite alérgica bem como facilitar a avaliação na prática clínica diária. Nos dois estudos que avaliaram a inalação nasal do corticoide inalado para o tratamento da asma e da rinite alérgica os pacientes foram avaliados a cada duas semanas. Os grupos experimentais receberam o medicamento através da inalação nasal via máscara facial acoplada ao espaçador valvulado e os grupos comparação receberam o tratamento convencional. Escores clínicos para a rinite alérgica e a asma foram realizados bem como provas de função pulmonar e a medida da fração exalada do óxido nítrico, como marcador inflamatório não invasivo. Durante o tratamento e ao término não foram observadas diferenças estatisticamente significativas entre os dois grupos. Observou-se melhora significativa dos escores clínicos da asma e da rinite alérgica e da FeNO nos dois grupos ao término do tratamento. A incorporação da fração exalada do óxido nítrico na linha de pesquisa consolidou o achado de que o corticoide inalado pelas narinas atinge as vias aéreas inferiores, proporcionando controle clínico, funcional e inflamatório da asma. O presente trabalho pretendeu contribuir para a sedimentação da linha de pesquisa sobre a efetividade do tratamento unificado da asma e da rinite alérgica, Os resultados encontrados confirmaram os estudos anteriores, que propuseram que o tratamento é efetivo, seguro, permite a melhora da asma e o controle da rinite alérgica. Concluindo, a facilidade de acesso e o custo inferior são as grandes vantagens da inalação nasal exclusiva em relação ao tratamento convencional e vem ao encontro das demandas públicas de assistência a vários pacientes. Espera-se que com a continuação e consolidação da linha de pesquisa um número crescente de pacientes possa se beneficiar dessa estratégia.

ASSUNTO(S)

pediatria teses. inalação decs comorbidade decs administração intranasal decs dissertações acadêmicas decs rinite/terapia decs tese da faculdade de medicina da ufmg asma/terapia decs prevalência decs

Documentos Relacionados

Finalmente… a Conclusão do TCC em 3 Passos Simples! Se você disser que eu falei isso, eu nego, mas, para mim, a Conclusão do TCC deveria ter outro nome. Algo como: A Doce Arte de Encher Linguiça! Seus professores e orientadores podem até tentar te convencer do contrário. Podem usar inúmeros argumentos para te convencer de que a conclusão do TCC é um elemento fundamental, e, dependendo da retórica do seu professor, você até pode comprar essa bobagem como verdade. Mas se você conhece o Ler artigo

Se o seu (des)orientador pediu para você fazer os Resultados e Discussão no TCC, mas não te explicou o que é isso e nem mostrou Como Fazer, este artigo é para você! Você quer Aprender Definitivamente O Que São e Como Fazer os Resultados e Discussão no seu TCC, não quer? Então, você tem que dar uma olhada no VÍDEO deste artigo. Aprenda de maneira Rápida e Definitiva Como Fazer os Resultados e Discussão no TCC, com exemplos Simples e Objetivos para trabalhos com Pesquisa de Campo Ler artigo

Que tal aprender, de uma vez por todas, como fazer uma Justificativa de TCC, aplicando a poderosa técnica do Roteiro de Consequências? É impressionante! O quê? A técnica do Roteiro de Consequências? Sim. Ela também. E você vai conhecer essa técnica no vídeo deste artigo e vai ver Como Fazer a Justificativa do TCC com base em 2 exemplos simples e práticos. Para você, finalmente, deixar a sua Justificativa de TCC pronta! Mas, primeiro, eu preciso dizer: É impressionante! Como a Justificativa é um ponto Ler artigo

Como fazer um TCC passo a passo – plágio e softwares de TCC? O que isso tem a ver com seu TCC? TUDO! Ou você não se importa em ouvir do seu orientador: “Seu trabalho tem plágio! Zero!” É… eu sei que você se importa. O problema é que muitos alunos morrem de medo do plágio, mas não sabem exatamente quando ele acontece. Definir o plágio é muito simples. Plágio é Roubar a Ideia do Outro. Simples assim. Quando você usa uma ideia, texto ou Ler artigo

Para ter um TCC pronto, é preciso perder o medo. E se você está perdido ou se sentido incapaz, você precisa saber: A Culpa não é sua! Descubra Agora a Mentira que te venderam (por um tempo, eu também comprei…) Quem tem medo do TCC? Eu não sei você, mas, durante um bom tempo, eu tive muito! Eu me sentia perdido, sozinho e incapaz de fazer o meu trabalho. Eu tinha certeza de que nuca teria um TCC pronto. E se você acha que o Ler artigo