Análise do processo de ensino-aprendizagem-treinamento nas categorias de base do futebol: relações com as capacidades cognitivas e motoras

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

DATA DE PUBLICAÇÃO

21/03/2011

RESUMO

O objetivo geral do presente estudo foi comparar as influências dos métodos de ensino-aprendizagem-treinamento sob as capacidades táticas e habilidades técnicas no futebol. A amostra foi constituída por 26 jogadores de futebol de uma equipe da cidade de Belo Horizonte, sendo 10 da categoria sub-14 e 16 da categoria sub-15. Para o processo de categorização e identificação dos métodos de ensino utilizados nas sessões de treinamento foi utilizado o protocolo desenvolvido por Stefanello (1999). Para avaliar o conhecimento tático declarativo (CTD) foi utilizado o protocolo de Mangas (1999), que utiliza cenas de vídeo ofensivas no futebol. O conhecimento tático processual (CTP) foi avaliado pelo teste KORA (Avaliação Orientada através do Conceito), desenvolvido por Memmert (2002), segundo o parâmetro tático "Oferecer-se e Orientar-se" (OO); e pelo teste FUT-SAT (COSTA, 2010), segundo os índices de performance tática ofensiva, defensiva e de jogo. As habilidades técnicas foram mensuradas através do teste de técnica, proposto por Mor-Christian (1979). Foi avaliada, ainda, a percepção subjetiva do treinador (PST) quanto aos princípios táticos ofensivos e defensivos aplicados pela equipe de que é responsável. Ademais, verificou-se a PST, quanto ao modelo tático de rendimento no jogo de futebol praticado por seus jogadores através do questionário proposto por Lucas (2001). Os resultados apresentados no estudo permitem as seguintes conclusões: nas categorias sub-14 e sub-15 utilizou-se o método misto para o ensino do futebol. Os resultados do Qui-Quadrado para homegeneidade do tempo total destinado às atividades em complexidade estrutural das tarefas nas categorias infantil e préinfantil revelaram a utilização temporal diferenciada entre as variáveis constituintes nos parâmetros complexidade estrutural da tarefa e condição da tarefa (p<0,0001). Para a variável CTD, o teste de Wilcoxon apresentou diferenças significativas entre os resultados do pré e pós-teste das categorias sub-15 (p=0,0339) e sub-14 (p=0,0091). Ainda, os resultados do teste de Mann-Whitney evidenciaram diferença significativa entre as categorias no pré-teste e na diferença entre pré e pós-teste (p<0,05), mas não no pós-teste (p=0,6701). Para o teste KORA-OO, o teste de Wilcoxon confirmou diferença significativa entre pré e pós-teste (p<0,05) nos parâmetros convergente e divergente das categorias avaliadas. Os resultados de Mann-Whitney não evidenciaram diferenças significativas entre as equipes no pré teste, mas sim no pós-teste de KORA-OO convergente e divergente (p<0,05). No teste FUT-SAT, a estatística de Wilcoxon não apresentou diferença significativa entre os resultados do pré e pós-teste das categorias avaliadas nos parâmetros ofensivos, defensivos e de jogo (p<0,05). Os resultados do teste de Mann-Whitney não evidenciaram diferenças entre as equipes no índice ofensivo ou defensivo. Entretanto, as categorias foram diferenciadas no índice de jogo no pré-teste (p<0,05) e no pós-teste (p<0,0050). Foi aplicada, ainda, a bateria de testes de Técnica de Mor-Christian (1979), nas variáveis condução, passe e chute. O teste de Wilcoxon refletiu que somente o teste de condução na categoria sub-15 apresentou diferença significativa entre pré e pós-teste (p=0,0279). O teste de Mann-Whitney, aplicado ao teste de condução, mostra que existe diferença significativa entre as categorias no pré e pós-teste (p<0,05), mas não na diferença entre os momentos de testagem (p=0,1789); que não existe diferença significativa entre as categorias no teste de passe (p>0,05); e que não há diferença significativa entre as categorias no pré-teste da variável chute (p=0,0279). A matriz de correlação de Spearman, entre as variáveis de estudo, apresentou associação significativa e positiva entre os teste de chute e condução (0,394), e negativa entre os índices ofensivos e defensivos (- 0,623). A PST, quanto aos princípios táticos ofensivos e defensivos, foi significativa entre o pré e o pós-teste. Os resultados da estatística de Wilcoxon foram de p=0,0019, para a categoria sub-15 e p=0,008, para a categoria sub-14. Pelo teste de Wilcoxon verificou-se, ainda, que no pré-teste existe diferença significativa entre as categorias (p<0,05), em favor da sub-14. No pós-teste essa diferença não foi evidenciada (p=0,2330). A PST, referente ao modelo tático de rendimento no jogo de futebol praticado por seus jogadores, apresentou uma melhora nos resultados medianos no pós-teste das categorias sub-15 e sub-14 (p=0,0001). Entretanto, não foi verificado o efeito das dimensões do teste de Lucas na categoria sub-15 e sub-14 (p<0,05). Pelo teste de Wilcoxon, a categoria sub-14 teve maiores valores atribuídos pelo seu treinador durante o pré-teste (p=0,0001), mas não no pós-teste (p=0,0814).

ASSUNTO(S)

futebol treinamento técnico teses. jogadores de futebol teses. capacidade motora teses. educação física teses.

Documentos Relacionados

Como fazer um TCC passo a passo – plágio e softwares de TCC? O que isso tem a ver com seu TCC? TUDO! Ou você não se importa em ouvir do seu orientador: “Seu trabalho tem plágio! Zero!” É… eu sei que você se importa. O problema é que muitos alunos morrem de medo do plágio, mas não sabem exatamente quando ele acontece. Definir o plágio é muito simples. Plágio é Roubar a Ideia do Outro. Simples assim. Quando você usa uma ideia, texto ou Ler artigo

Que tal aprender, de uma vez por todas, como fazer uma Justificativa de TCC, aplicando a poderosa técnica do Roteiro de Consequências? É impressionante! O quê? A técnica do Roteiro de Consequências? Sim. Ela também. E você vai conhecer essa técnica no vídeo deste artigo e vai ver Como Fazer a Justificativa do TCC com base em 2 exemplos simples e práticos. Para você, finalmente, deixar a sua Justificativa de TCC pronta! Mas, primeiro, eu preciso dizer: É impressionante! Como a Justificativa é um ponto Ler artigo

Finalmente… a Conclusão do TCC em 3 Passos Simples! Se você disser que eu falei isso, eu nego, mas, para mim, a Conclusão do TCC deveria ter outro nome. Algo como: A Doce Arte de Encher Linguiça! Seus professores e orientadores podem até tentar te convencer do contrário. Podem usar inúmeros argumentos para te convencer de que a conclusão do TCC é um elemento fundamental, e, dependendo da retórica do seu professor, você até pode comprar essa bobagem como verdade. Mas se você conhece o Ler artigo

Para ter um TCC pronto, é preciso perder o medo. E se você está perdido ou se sentido incapaz, você precisa saber: A Culpa não é sua! Descubra Agora a Mentira que te venderam (por um tempo, eu também comprei…) Quem tem medo do TCC? Eu não sei você, mas, durante um bom tempo, eu tive muito! Eu me sentia perdido, sozinho e incapaz de fazer o meu trabalho. Eu tinha certeza de que nuca teria um TCC pronto. E se você acha que o Ler artigo

Uma Monografia Pronta em 5 Passos? Veja como isso é possível AGORA! Seu TCC é uma Monografia?… hum… como é que eu vou te dizer isso… o gato subiu no telhado… Tô Brincando! Mas eu tenho uma boa e uma má notícia para te dar. Qual você quer primeiro?… bom, não vai dar para esperar você responder, então, vou começar pela ruim mesmo: a monografia é o modelo de TCC que mais tem volume de conteúdo, principalmente se a gente comparar com um artigo científico, por exemplo. Ler artigo