Análise das características dos pacientes com fratura exposta de tíbia grau III de Gustilo e Anderson

AUTOR(ES)
FONTE

Rev. bras. ortop.

DATA DE PUBLICAÇÃO

2016-04

RESUMO

OBJETIVO: Analisar as características dos indivíduos com fratura exposta de tíbia tipo III de Gustillo e Anderson, tratados em um hospital de nível terciário em São Paulo, entre janeiro de 2013 e agosto de 2014. MÉTODOS: Estudo transversal retrospectivo. Foram coletados dos prontuários eletrônicos: idade, gênero, diagnóstico, mecanismo de trauma, comorbidades, fraturas associadas, classificações de acordo com Gustillo e Anderson, Tscherne e AO, tratamento (inicial e definitivo), presença de síndrome compartimental, amputações primárias e secundárias, índice de MESS, índices de mortalidade e infeção. RESULTADOS: Foram incluídos 116 pacientes, 81% com fratura tipo IIIA, 12% IIIB e 7% IIIC, 85% do gênero masculino, média de 32,3 anos e 57% vítimas de acidente de motocicleta. A fratura da diáfise da tíbia foi significativamente mais prevalente (67%). Oito pacientes foram submetidos à amputação, uma primária e sete secundárias. Houve predomínio dos tipos IIIC (75%) e IIIB (25%) entre os pacientes com amputação secundária. O índice de MESS obteve pontuação maior do que 7 em 88% dos amputados e em 5% dos pacientes com o membro salvo. CONCLUSÃO: O perfil dos pacientes com fratura exposta de tíbia de tíbia tipo III de Gustilo e Anderson envolveu principalmente indivíduos jovens do gênero masculino, vítimas de acidentes de motocicleta. A diáfise da tíbia foi o segmento mais acometido. Apenas 7% dos pacientes foram submetidos à amputação. Diante da controvérsia existente na literatura sobre a amputação ou o salvamento do membro inferior gravemente lesionado, tornam-se necessários mais estudos prospectivos para apoiar a escolha clínica.

ASSUNTO(S)

fraturas da tíbia amputação/epidemiologia amputação/métodos

Documentos Relacionados

Que tal aprender, de uma vez por todas, como fazer uma Justificativa de TCC, aplicando a poderosa técnica do Roteiro de Consequências? É impressionante! O quê? A técnica do Roteiro de Consequências? Sim. Ela também. E você vai conhecer essa técnica no vídeo deste artigo e vai ver Como Fazer a Justificativa do TCC com base em 2 exemplos simples e práticos. Para você, finalmente, deixar a sua Justificativa de TCC pronta! Mas, primeiro, eu preciso dizer: É impressionante! Como a Justificativa é um ponto Ler artigo

Se você quer aprender Como Fazer Citações para o TCC de forma fácil e não ser acusado de plágio, então, recomendo fortemente que leia esse artigo até o final… E não se esqueça de assistir o vídeo logo abaixo! Imagina só… você fez todo o seu TCC, está aliviado, radiante, tirou um peso das costas… aí, PAH! Seu orientador diz que o seu trabalho tem Plágio e, por isso, vai ser reprovado. Não!!!! Aí vai uma notícia que talvez você não saiba, SE VOCÊ FEZ Ler artigo

Para ter um TCC pronto, é preciso perder o medo. E se você está perdido ou se sentido incapaz, você precisa saber: A Culpa não é sua! Descubra Agora a Mentira que te venderam (por um tempo, eu também comprei…) Quem tem medo do TCC? Eu não sei você, mas, durante um bom tempo, eu tive muito! Eu me sentia perdido, sozinho e incapaz de fazer o meu trabalho. Eu tinha certeza de que nuca teria um TCC pronto. E se você acha que o Ler artigo

Você sabe o que escrever na introdução do seu TCC? Você já parou na frente do seu computador sem ter a menor ideia sobre a introdução do seu TCC, o que escrever e por onde começar? Eu já passei por isso. E como eu não desejo essa situação para ninguém, é hora de resolver esse problema. Muita gente, mas muita gente mesmo me pergunta: “Amilton, o que eu devo escrever na Introdução do meu TCC?” Aí vai a resposta: A Introdução do seu TCC é Ler artigo

Uma Monografia Pronta em 5 Passos? Veja como isso é possível AGORA! Seu TCC é uma Monografia?… hum… como é que eu vou te dizer isso… o gato subiu no telhado… Tô Brincando! Mas eu tenho uma boa e uma má notícia para te dar. Qual você quer primeiro?… bom, não vai dar para esperar você responder, então, vou começar pela ruim mesmo: a monografia é o modelo de TCC que mais tem volume de conteúdo, principalmente se a gente comparar com um artigo científico, por exemplo. Ler artigo