Análise da vigilância de infecção pós-alta de pacientes cirúrgicos, sob a ótica dos cirurgiões

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

DATA DE PUBLICAÇÃO

09/12/2011

RESUMO

A infecção do sítio cirúrgico (ISC) tem considerável impacto na morbidade e mortalidade, elevando os custos, devido ao aumento da permanência hospitalar e tratamento. Está entre as infecções relacionadas à assistência à saúde com mais possibilidade de prevenção, justificando os esforços para sua redução. Estudos demonstram que a vigilância ativa, com feedback das taxas aos cirurgiões, pode reduzi-las em 30 a 40%. A vigilância após a alta é o grande desafio, principalmente diante da reduzida permanência hospitalar pós-operatória nos dias atuais. São vários os métodos de vigilância pós-alta e nenhum deles é universalmente aceito como o melhor. Este estudo descritivo, observacional, não experimental utilizou o método de combinação conhecido como triangulação metodológica, que integrou a pesquisa qualitativa e quantitativa. A técnica de coleta de dados foi à combinação de questionário e entrevista semiestruturada com 60 cirurgiões de várias especialidades cirúrgicas em uma instituição hospitalar privada de Belo Horizonte. A análise descritiva dos resultados do questionário possibilitou entender a rotina dos egressos cirúrgicos, o processo de utilização do método passivo de vigilância (carta-questionário) e a postura dos cirurgiões diante dos critérios e diagnósticos do Centers for Disease Control and Prevention (CDC). A partir da análise de conteúdo das entrevistas, foram definidas quatro categorias: influência do fator interpessoal; influência de fatores socioeconômicos e geográficos; influência de fatores institucional e operacional; e benefícios do controle de infecção pós-alta, com a finalidade de analisar as implicações desses fatores como facilitadores ou dificultadores no controle de infecção pós-alta e identificar benefícios do controle de infecção pós-alta sob a ótica dos cirurgiões. Os resultados mostram que a maioria dos cirurgiões afirma acompanhar todos os casos após a alta por meio do retorno programado dos pacientes no ambulatório, mas há descrença desses profissionais no método da carta-questionário e utilização de critérios diagnósticos para ISC não padronizados, reconhecendo-se a necessidade de estreitar as relações entre os cirurgiões e os serviços de controle de infecção. Este estudo identificou pontos dificultadores para o controle de infecção pós-alta, como o grau de entendimento, conveniência e comodidade do paciente, sua questão financeira e geográfica, a limitada integração entre os serviços de saúde, a sobrecarga de trabalho do cirurgião, a desvalorização financeira pelo atendimento ambulatorial/consultório e a ênfase no pré e intra-operatório. São muitos os desafios a serem vencidos, a fim de minimizar os conflitos de interesse, mas além do método já utilizado como a carta-questionário as opiniões apontam para a utilidade de ambulatório específico de egressos cirúrgicos e os possíveis benefícios da participação dos SCIH nesta prática.

ASSUNTO(S)

dissertação da faculdade de medicina da ufmg. dissertações acadêmicas decs infecção hospitalar. infecção da ferida operatória decs infecção decs assistência ao paciente decs período pós-operatório decs seguimentos decs questionários/utilização decs sistemas de apoio a decisões clínicas decs pesquisa qualitativa decs

Documentos Relacionados

Uma Monografia Pronta em 5 Passos? Veja como isso é possível AGORA! Seu TCC é uma Monografia?… hum… como é que eu vou te dizer isso… o gato subiu no telhado… Tô Brincando! Mas eu tenho uma boa e uma má notícia para te dar. Qual você quer primeiro?… bom, não vai dar para esperar você responder, então, vou começar pela ruim mesmo: a monografia é o modelo de TCC que mais tem volume de conteúdo, principalmente se a gente comparar com um artigo científico, por exemplo. Ler artigo

Como fazer TCC? Nas últimas semanas tenho visto milhares de alunos com dificuldades, sem saber o que fazer, que simplesmente ficam parados na frente do computador e não conseguem escrever uma única palavra sequer. Neste texto, nós vamos ver como mudar essa situação de uma vez por todas! Alguns alunos me mandam e-mails perguntando Como Fazer TCC passo a passo. Bom, em primeiro lugar, essa é uma dificuldade muito comum, vivida por 99,9% dos alunos de faculdades no Brasil e no mundo! Os outros 0,01% Ler artigo

Como fazer um TCC passo a passo – plágio e softwares de TCC? O que isso tem a ver com seu TCC? TUDO! Ou você não se importa em ouvir do seu orientador: “Seu trabalho tem plágio! Zero!” É… eu sei que você se importa. O problema é que muitos alunos morrem de medo do plágio, mas não sabem exatamente quando ele acontece. Definir o plágio é muito simples. Plágio é Roubar a Ideia do Outro. Simples assim. Quando você usa uma ideia, texto ou Ler artigo

Finalmente… a Conclusão do TCC em 3 Passos Simples! Se você disser que eu falei isso, eu nego, mas, para mim, a Conclusão do TCC deveria ter outro nome. Algo como: A Doce Arte de Encher Linguiça! Seus professores e orientadores podem até tentar te convencer do contrário. Podem usar inúmeros argumentos para te convencer de que a conclusão do TCC é um elemento fundamental, e, dependendo da retórica do seu professor, você até pode comprar essa bobagem como verdade. Mas se você conhece o Ler artigo

Para ter um TCC pronto, é preciso perder o medo. E se você está perdido ou se sentido incapaz, você precisa saber: A Culpa não é sua! Descubra Agora a Mentira que te venderam (por um tempo, eu também comprei…) Quem tem medo do TCC? Eu não sei você, mas, durante um bom tempo, eu tive muito! Eu me sentia perdido, sozinho e incapaz de fazer o meu trabalho. Eu tinha certeza de que nuca teria um TCC pronto. E se você acha que o Ler artigo