Análise comparativa da amplitude do pulso ocular e pressão de perfusão ocular em glaucomatosos, hipertensos oculares e indivíduos normais

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT - Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

DATA DE PUBLICAÇÃO

23/08/2012

RESUMO

Objectives: To correlate ocular perfusion pressure and ocular pulse amplitude in three different groups: Glaucoma patients, ocular hypertensives, and normal individuals. As well as assess the relation between blood pressure parameters with intraocular pressure. Material and Methods: Ninety patients were enrolled for the study. Among them: 30 were recently diagnosed with glaucoma, with no previous history of ocular hypotensive medications; 30 presented ocular hypertension (OH) and no specific signs of glaucoma, either by optic nerve examination or visual field; and 30 volunteers with intraocular pressure (IOP) within normal values (<21 mmHg) and no evidence of glaucoma. IOP was measured by two different methods, Goldmann applanation tonometry (GAT) and dynamic contour tonometry (DCT). Arterial blood pressure (BP) was taken, automated visual field (VF) and gonioscopy a complete ophthalmic exam was also performed. Central corneal thickness (CCT) was measured by ultrasound pachymetry. Ocular perfusion pressure (OPP) was calculated by the difference between mean arterial pressure (MAP) and IOP. Ocular pulse amplitude (OPA) was directly given by DCT. Results: Mean IOP measured by TAG was 19.0 ± 5.1 mmHg in glaucoma, 22.4 ± 2.1 mmHg in OH, and 12.9 ± 2.2 mmHg in the normals. Mean DCT IOP was 22.7 ± 4.3 mmHg in glaucoma, 22.3 ± 2.8 mmHg in the OH, and 14.3 ± 1.6 mmHg in the normal participants. Mean OPP in the glaucoma group was 46.3 ±7.9 mmHg, in the OH was 41.5 ± 5.2 mmHg, and in the normals 50.2 ± 7.0 mmHg. Mean OPA was 3.4 ± 1.2 mmHg in glaucoma, 3.5 ± 1.2 mmHg in OH, and 2.9 ± 0.9 mmHg in the normals. Analyzing the three groups together, mean OPA was 3.2 ± 1.2 mmHg. Pachymetry revealed a mean CCT of 529.1 ± 41.4 m, 569.1 ± 30.0 m, and 553.6 ± 28.6 m, in the glaucoma group, OH, and normals, respectively. Mean systolic blood pressure (SBP) for all patients was 125.8 ± 14.3 mmHg and in the glaucoma, OH, and normal groups, was 131.1 ± 16.7 mmHg, 125 ± 12.3 mmHg, and 121.5 ± 12.1 mmHg, respectively. Mean diastolic blood pressure (DBP) was 82.2 ± 11.3 mmHg, 81.2 ± 6.9 mmHg, and 81.5 ± 9.1 mmHg in the glaucoma, OH, and normal groups, respectively and including all three groups it was 81.6 ± 9.1. Arterial pulse pressure (PP), which is the notation of SBP minus DBP, had mean values of 44.2 ± 10.7 mmHg for all patients, and 48.8 ± 10.5 mmHg, 43.8 ± 11.1 mmHg, and 40.0 ± 8.7 mmHg in the glaucoma, OH, and normal groups, respectively. No correlation between OPA and OPP was found neither in glaucoma (P/r = 0.865/-0.032), OH (P/r = 0.403/-0.156), or normals (P/r = 0.082/-0.307). IOP measured by TAG appeared strongly correlated to DCT (P/r = <0.001/0.858). OPA was correlated with TAG (P/r = <0.001/0.403) and DCT (P/r = <0.001/0.399), showing that OPA closely linked to IOP. A moderate correlation was observed between OPA and PP (P/r = 0.017/0.245) when all groups were analyzed together. The analysis for each group separately, only OH showed a positive correlation between OPA and PP (P/r = 0.005/0.496). Conclusions: No correlation was observed between OPP and OPA analyzing glaucoma patients, OH, and normal individuals. GAT values were strongly correlated to DCT values, although GAT tended to be lower than DCT, especially in individuals with low CCT. OPA showed only a moderate correlation with PP, drawing the attention to vascular mechanisms regulating ocular perfusion.

ASSUNTO(S)

glaucoma teses. dissertações acadêmicas decs glaucoma decs pressão intra-ocular decs pressão arterial decs tonometria ocular decs oftalmopatias decs dissertações acadêmicas decs tese da faculdade de medicina da ufmg.

Documentos Relacionados

Um Artigo Científico Pronto em 5 Passos? Como? É exatamente isso que você vai ver aqui. Então, você tem que fazer um Artigo Científico? Esse é modelo do seu TCC? Pode abrir um leve sorriso, afinal, o Artigo Científico é o modelo que menos exige conteúdo de texto. Trocando em miúdos, é o menor dos trabalhos acadêmicos em termos de volume de texto. Assim como todos os demais Trabalhos Científicos e Acadêmicos, o Artigo Científico Pronto tem apenas 3 Elementos: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E, antes Ler artigo

Como fazer um TCC passo a passo – plágio e softwares de TCC? O que isso tem a ver com seu TCC? TUDO! Ou você não se importa em ouvir do seu orientador: “Seu trabalho tem plágio! Zero!” É… eu sei que você se importa. O problema é que muitos alunos morrem de medo do plágio, mas não sabem exatamente quando ele acontece. Definir o plágio é muito simples. Plágio é Roubar a Ideia do Outro. Simples assim. Quando você usa uma ideia, texto ou Ler artigo

Que tal aprender, de uma vez por todas, como fazer uma Justificativa de TCC, aplicando a poderosa técnica do Roteiro de Consequências? É impressionante! O quê? A técnica do Roteiro de Consequências? Sim. Ela também. E você vai conhecer essa técnica no vídeo deste artigo e vai ver Como Fazer a Justificativa do TCC com base em 2 exemplos simples e práticos. Para você, finalmente, deixar a sua Justificativa de TCC pronta! Mas, primeiro, eu preciso dizer: É impressionante! Como a Justificativa é um ponto Ler artigo

Uma Monografia Pronta em 5 Passos? Veja como isso é possível AGORA! Seu TCC é uma Monografia?… hum… como é que eu vou te dizer isso… o gato subiu no telhado… Tô Brincando! Mas eu tenho uma boa e uma má notícia para te dar. Qual você quer primeiro?… bom, não vai dar para esperar você responder, então, vou começar pela ruim mesmo: a monografia é o modelo de TCC que mais tem volume de conteúdo, principalmente se a gente comparar com um artigo científico, por exemplo. Ler artigo

Finalmente… a Conclusão do TCC em 3 Passos Simples! Se você disser que eu falei isso, eu nego, mas, para mim, a Conclusão do TCC deveria ter outro nome. Algo como: A Doce Arte de Encher Linguiça! Seus professores e orientadores podem até tentar te convencer do contrário. Podem usar inúmeros argumentos para te convencer de que a conclusão do TCC é um elemento fundamental, e, dependendo da retórica do seu professor, você até pode comprar essa bobagem como verdade. Mas se você conhece o Ler artigo