A resolução de anáforas pronominais da língua portuguesa com base no algoritmo de Mitkov.

AUTOR(ES)
DATA DE PUBLICAÇÃO

2007

RESUMO

Um dos problemas encontrados em sistemas de processamento de línguas naturais é conseguir manter a coesão referencial de um texto, propriedade que permite estabelecer as ligações entre os seus constituintes, tornando-o inteligível. Dentre os fatores de coesão referencial destacamos a anáfora, que ocorre quando duas ou mais expressões de um texto estabelecem uma relação de referência entre si, isto é, a interpretação da anáfora depende de um antecedente ao qual ela se refere no texto. Diversos algoritmos na literatura foram propostos para a resolução automática de anáforas pronominais, que consiste em: 1) identificar a anáfora, 2) determinar o conjunto de possíveis antecedentes e 3) identificar e selecionar o antecedente da anáfora. A ausência da resolução anafórica em aplicações como extração de informação, tradução automática e sumarização textual, dentre outras, pode levar à descontinuidade referencial de seus resultados, tornando-os não-coesos. Nesse contexto, apresentamos uma adaptação do algoritmo de Mitkov, originalmente aplicado no inglês, para resolver anáforas da língua portuguesa, especialmente as determinadas por pronomes pessoais de terceira pessoa cujo antecedente seja um sintagma nominal. Essa abordagem foi avaliada com base em corpora anotados com informações morfossintáticas e coreferenciais, utilizando-se como medida de avaliação de desempenho a taxa de sucesso, que determina o número de anáforas resolvidas corretamente pelo sistema automático em relação ao número de anáforas presentes no corpus avaliado. Além disso, fez-se uma comparação de desempenho entre essa abordagem e o algoritmo de Lappin &Leass adaptado para o português. Os resultados dessa avaliação são discutidos ao final do trabalho.

ASSUNTO(S)

ciencia da computacao processamento da linguagem natural (computação) resolução anafórica automática inteligência artificial

Documentos Relacionados