A associação entre o índice de atividade sistêmica e a severidade do olho seco em pacientes com síndrome de Sjögren primária

AUTOR(ES)
FONTE

Arq. Bras. Oftalmol.

DATA DE PUBLICAÇÃO

01/11/2018

RESUMO

RESUMO Objetivo: O objetivo do presente estudo foi comparar a gravidade dos achados oculares e sistêmicos entre pacientes com síndrome de Sjögren primária. Métodos: O estudo seguiu um delineamento prospectivo controlado e compreendeu dois grupos; o grupo de teste incluiu 58 olhos de 58 pacientes recém-diagnosticados com síndrome de Sjögren primária com resultados deficientes no teste de olho seco e o grupo controle incluiu 45 olhos direitos de 45 indivíduos saudáveis pareados idade e sexo. A contagem do índice de doença da superfície ocular, osmolaridade lacrimal, teste de Schirmer I sem anestesia, tempo de ruptura da fluoresceína e coloração córnea-conjuntiva com verde de lissamina (índice de van Bijsterveld) foram utilizados para examinar a função lacrimal dos pacientes através de exame oftalmológico completo. Os resultados foram classificados com base em um relatório da “Dry Eye Workshop” e resultados do teste de coloração da córnea e conjuntiva, teste de Schirmer e teste do tempo de ruptura da fluoresceína. Desconforto, gravidade e frequência dos sintomas, sintomas visuais, injeção conjuntival, achados das glândulas palpebrais e sinais da córnea foram interpretados. A atividade da doença foi avaliada pelo índice de atividade da doença da síndrome de Sjögren EULAR por meio de exame sistêmico e avaliações laboratoriais, e o índice relatado pelo paciente da síndrome de Sjörgen EULAR avaliado através de uma pesquisa das respostas dos pacientes. Resultados: A média de idade dos pacientes foi de 48,15 ± 16,34 anos no grupo da Síndrome de Sjörgen primária e 44,06 ± 9,15 anos no grupo controle. O tempo médio de ruptura da fluoresceína foi de 4,51 ± 2,89 s no grupo síndrome de Sjögren primária e 10,20 ± 2,39 s no grupo controle. O resultado do teste de Schirmer I médio foi de 3,51 ± 3,18 mm/5 min no grupo síndrome de Sjögren primária e de 9,77 ± 2,30 mm/5 min no grupo controle. O índice médio de doença da superfície ocular foi de 18,56 ± 16,09 no grupo síndrome de Sjögren primária e 19,92 ± 7,16 no grupo controle. A osmolaridade média foi 306,48 ± 19,35 no grupo síndrome de Sjögren primária e 292,54 ± 10,67 no grupo controle. O resultado médio de coloração com lissamina verde foi de 2,17 ± 2,76 no grupo síndrome de Sjögren primária e 0,00 no grupo controle. Diferenças estatisticamente significativas foram encontradas entre o com síndrome de Sjögren primária e o grupo controle em termos de tempo de ruptura da fluoresceína lacrimal, teste de Schirmer I, coloração com lissamina verde e osmolaridade (p=0,036, p=0,041, p=0,001, p=0,001 respectivamente). O índice Estudo do Olho Seco foi de 2,15 ± 0,98, o índice de atividade da doença da síndrome de Sjögren EULAR foi de 11,18 ± 4,05 e a pontuação do índice relatado pelo paciente EULAR Sjögren foi de 5,20 ± 2,63. Quando associações potenciais do Estudo do Olho Seco e o índice da osmolaridade foram comparados a pontuação de índice de atividade da doença da síndrome de Sjögren EULAR, os resultados foram estatisticamente significantes (p=0,001, p=0,001 respectivamente). Conclusão: Os resultados mostraram uma associação entre a gravidade do olho seco e o índice de atividade sistêmica em pacientes com síndrome de Sjögren primária.

ASSUNTO(S)

síndrome de sjögren síndromes do olho seco Índice de gravidade de doença

Documentos Relacionados

Que tal aprender, de uma vez por todas, como fazer uma Justificativa de TCC, aplicando a poderosa técnica do Roteiro de Consequências? É impressionante! O quê? A técnica do Roteiro de Consequências? Sim. Ela também. E você vai conhecer essa técnica no vídeo deste artigo e vai ver Como Fazer a Justificativa do TCC com base em 2 exemplos simples e práticos. Para você, finalmente, deixar a sua Justificativa de TCC pronta! Mas, primeiro, eu preciso dizer: É impressionante! Como a Justificativa é um ponto Ler artigo

Uma Monografia Pronta em 5 Passos? Veja como isso é possível AGORA! Seu TCC é uma Monografia?… hum… como é que eu vou te dizer isso… o gato subiu no telhado… Tô Brincando! Mas eu tenho uma boa e uma má notícia para te dar. Qual você quer primeiro?… bom, não vai dar para esperar você responder, então, vou começar pela ruim mesmo: a monografia é o modelo de TCC que mais tem volume de conteúdo, principalmente se a gente comparar com um artigo científico, por exemplo. Ler artigo

Para ter um TCC pronto, é preciso perder o medo. E se você está perdido ou se sentido incapaz, você precisa saber: A Culpa não é sua! Descubra Agora a Mentira que te venderam (por um tempo, eu também comprei…) Quem tem medo do TCC? Eu não sei você, mas, durante um bom tempo, eu tive muito! Eu me sentia perdido, sozinho e incapaz de fazer o meu trabalho. Eu tinha certeza de que nuca teria um TCC pronto. E se você acha que o Ler artigo

Como fazer TCC? Nas últimas semanas tenho visto milhares de alunos com dificuldades, sem saber o que fazer, que simplesmente ficam parados na frente do computador e não conseguem escrever uma única palavra sequer. Neste texto, nós vamos ver como mudar essa situação de uma vez por todas! Alguns alunos me mandam e-mails perguntando Como Fazer TCC passo a passo. Bom, em primeiro lugar, essa é uma dificuldade muito comum, vivida por 99,9% dos alunos de faculdades no Brasil e no mundo! Os outros 0,01% Ler artigo

Um Artigo Científico Pronto em 5 Passos? Como? É exatamente isso que você vai ver aqui. Então, você tem que fazer um Artigo Científico? Esse é modelo do seu TCC? Pode abrir um leve sorriso, afinal, o Artigo Científico é o modelo que menos exige conteúdo de texto. Trocando em miúdos, é o menor dos trabalhos acadêmicos em termos de volume de texto. Assim como todos os demais Trabalhos Científicos e Acadêmicos, o Artigo Científico Pronto tem apenas 3 Elementos: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. E, antes Ler artigo