Seroprevalence of Toxoplasma gondii in cats (Felis catus, Linnaeus 1758) living in Lima, Peru

AUTOR(ES)
FONTE

Rev. Bras. Parasitol. Vet.

DATA DE PUBLICAÇÃO

28/02/2014

RESUMO

O objetivo do presente trabalho foi determinar a frequência sorológica e coproparasitológica da toxoplasmose em gatos atendidos em clínicas veterinárias na região metropolitana de Lima, Peru. Foram analisadas 154 amostras de soros de gatos e 50 amostras de fezes de gato, independentemente da idade, gênero ou raça. Paralelamente ao ato da coleta, os proprietários responderam a um questionário epidemiológico onde foram tratadas as seguintes variáveis: faixa etária, gênero, estilo de vida (animais confinados, semiconfinados o de vida livre), hábitos alimentares e de caça. Os soros e amostras fecais foram analisados pelos testes de hemaglutinação indireta (HAI) e coproparasitológico, respectivamente. A frequência de gatos expostos foi 11,0%, segundo HAI. As variáveis de faixa etária e sexo não mostraram associação com a exposição ao parasito. A exposição dos animais mostrou associação com hábitos de caçar (x2 = 4.98, p = 0.016) e alimentação (x2 = 13.34, p = 0.001), sendo aqueles alimentados com carne crua os mais expostos, quando comparados aos alimentados com ração (x2 = 9.50, p = 0.004) ou com comida caseira (x2 = 4.1, p = 0.027). A frequência de gatos na fase crônica da infecção por T. gondii foi 88% (15/17). Não foram achados oocistos de Toxoplasma gondii em nenhuma das 50 amostras de fezes.The aim of this study was to determine the frequency of infection by T. gondii in cats, by examining serum and fecal samples from animals attended at veterinary clinics in the Metropolitan Region of Lima, Peru. We collected and analyzed 154 cat serum samples and 50 fecal samples, regardless of the age, gender or breed. In parallel with the sample collections, the owners answered an epidemiological questionnaire that investigated the following variables: age group, gender, lifestyle (confined, semi-confined or free-living animals), feeding and hunting habits. The serum and fecal samples were analyzed using indirect hemagglutination (IHA) and coproparasitological tests, respectively. IHA showed that the frequency of cat exposure to T. gondii was 11%. Age and gender showed no association with exposure to the parasite. Exposure among the cats was associated with hunting (x2 = 4.98, p = 0.016) and feeding habits (x2 = 13.34, p = 0.001): those fed with raw meat were more exposed than those fed with commercial cat food (x2 = 9.50, p = 0.004) or with homemade food (x2 = 4.1, p = 0.027). The frequency of cats diagnosed in the chronic phase of T. gondii infection was 88% (15/17). No T. gondii oocysts were found in any of the 50 fecal samples examined.

ASSUNTO(S)

biological sciences

Documentos Relacionados