Rhiz hommes: redes de subjetividades / Rhiz hommes: subjectivities webs

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

26/03/2012

RESUMO

Com a profusão de imagens fotográficas do mundo capitalista e o incentivo para que todos sejamos produtores, o modo de fruição das fotografias e a nossa relação com esses simulacros vão se alterando. A necessidade que a web traz de nos apresentarmos em imagens faz com que tenhamos que fabricá-las e através delas passamos a nos relacionar de maneira narcísica. Com o projeto artístico Rhiz hommes vão se discutindo as construções desses avatares nos sites de relacionamento e a (des)construção da figura masculina heteronormativa como observadora ideal, ponto de fuga para onde deveriam convergir todas as representações. Junto à queda do homem cartesiano, a autoria e a originalidade artística foram se transformando e cedendo espaço a práticas mais permissivas e abrangentes. Essa diluição de fronteiras é o epíteto de tempos pós-orgânicos de relações telemáticas e rizomas de subjetividades

ASSUNTO(S)

artes plasticas fotografia retratos cibercultura imagem (psicologia) arte e internet narcisismo teoria queer fotografia cultura queer photography cyberculture narcisism queer culture

Documentos Relacionados