Relação entre qualidade de vida de idosos, estado nutricional e preferência alimentar

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

08/12/2012

RESUMO

O processo de envelhecimento é acompanhado por diversas alterações (fisiológicas, psicológicas e sociais) que afetam o estado nutricional, que por sua vez se relaciona à saúde e conseqüentemente a qualidade de vida. Neste contexto, o presente estudo teve como objetivo avaliar as variáveis estado nutricional, qualidade de vida e a preferência alimentar de mulheres idosas a fim de verificar se há uma relação entre as mesmas. Para tanto, a amostra foi de 113 idosas praticantes de atividade física e integrantes do Centro de Convivência de Idosos (CCI) da Universidade Católica de Brasília (UCB). O estado nutricional foi mensurado por meio da bioimpedância elétrica (BIA) e do índice de massa corpórea (IMC). A qualidade de vida foi avaliada a partir da Escala Psicométrica para Avaliação da Qualidade de Vida (EQV) e a preferência alimentar foi avaliada por meio da Escala de Preferência Alimentar. Os resultados demonstraram que as idosas apresentaram elevada prevalência de excesso de peso, que foi melhor avaliado pela BIA quando comparado com os resultados do IMC. A partir da Escala de Qualidade de Vida, verificou-se que as idosas, em sua maioria, apresentaram atitudes positivas em relação à vida e conseqüentemente uma boa qualidade de vida. Em relação à preferência alimentar observou-se que as idosas preferiram os alimentos do grupo dos legumes e verduras, das frutas e ao café, sendo que, de uma forma geral, a maioria das idosas apresentaram atitudes positivas em relação à alimentação. O presente estudo verificou que a qualidade de vida, psicológica e comportamental, das idosas não foi influenciada pelo estado nutricional. A relação entre qualidade de vida e preferência alimentar mostrou que as idosas que apresentaram baixa qualidade de vida preferiam alimentos do grupo dos açúcares. Os resultados permitem concluir que o desenvolvimento de pesquisas sobre qualidade de vida, hábitos alimentares e estado nutricional, são imprescindíveis no campo da saúde pública e podem resultar em mudanças nas práticas assistenciais e na consolidação de novos modelos do processo saúde-doença de forma a considerar aspectos socioeconômicos, psicológicos e culturais nas ações de promoção, prevenção, tratamento e reabilitação em saúde. Neste contexto, uma alimentação saudável, e a manutenção do estado nutricional adequado são fatores importantes para a saúde e, portanto, para um envelhecimento bem sucedido.

ASSUNTO(S)

qualidade de vida idosos nutrição gerontologia ciencias da saude nutritional status life quality food intake elderly

Documentos Relacionados