Referencia e Contrarreferencia na atencao Secundaria em odontologia em Campinas, SP, Brasil

AUTOR(ES)
FONTE

Cienc. saude coletiva

DATA DE PUBLICAÇÃO

31/12/2013

RESUMO

O artigo tem por objetivo avaliar o referenciamento da demanda de atenção especializada em saúde bucal em Campinas em relação à distribuição da oferta e influência de variáveis socioeconômicas, além de percepção e informações dos usuários sobre à contrarreferência. Estudo observacional exploratório, selecionando duas Regiões Administrativas de Saúde (RAS): uma com Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), e outra sem CEO, dividido em 2 fases: 1) todos os encaminhamentos para atenção secundária foram coletados de todas as equipes de Saúde Bucal, além de dados populacionais, socioeconômicos e distribuição dos encaminhamentos; 2) entrevista com 331 usuários, verificando-se a contrarreferência, qualidade de atendimento e razões para faltas ou desistências. Em relação à contrarreferência, a maioria dos usuários realizou os tratamentos especializados, os quais qualificaram como bom e esperaram menos de 1 mês para o agendamento. O modelo de gestão não influenciou estatisticamente no acesso à atenção secundária em saúde bucal. As discrepâncias foram menos evidentes em uma RAS, havendo correlação dos coeficientes de tratamento e variáveis socioeconômicas, além de menor percentual de faltas, demonstrando maior compromisso com a integralidade e equidade.This article aims to evaluate the referencing of the demand for specialized care in oral health in Campinas in relation to the distribution of treatment and the influence of socio-economic variables in addition to the perception and information available to users in relation to counter-referencing. It is an observational exploratory study, selecting two Health Administrative Regions: one with a Center for Dental Specialties and one without, divided into two phases: 1) all referrals to secondary care were collected from all Oral Health teams as well as population and socio-economic data and distribution of referrals; 2) interview with 331 users, checking the counter-referencing, quality of service and reasons for absences or withdrawals. Regarding the counter-referencing, the majority of users who received the specialized treatments were well attended, and waited less than one month for appointment scheduling. The management model did not statistically influence access to secondary care in oral health. It was found that in a given Health Administrative Region the discrepancies were less evident and there was a correlation coefficient of demand attended with socio-economic variables, in addition to a lower percentage of non-attendance, demonstrating a greater commitment to integrity and fairness.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados