Programa de saúde vocal para o professor : avaliação, auto-precepção vocal e ação educativa da voz / Program of vocal health for the teacher : assessment, self-perception vocal and educational activities of the voice

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

08/08/2012

RESUMO

Profissionais da voz, especificamente os professores, têm alto risco de desenvolver distúrbios da voz. Programas educativos de saúde vocal podem auxiliar o professor a cuidar melhor da voz e consequentemente na prevenção contra as disfonias. O objetivo deste trabalho foi desenvolver um programa educativo, que inclui treinamento de exercícios vocais e higiene vocal, e analisar os efeitos do treinamento dos exercícios e prática de hábitos vocais de forma transversal e longitudinalmente. Participaram do estudo 102 professores de 11 escolas da rede pública de ensino do município de Piracicaba, SP, selecionadas aleatoriamente. A amostra foi dividida em grupo controle (52 mulheres e 14 homens) e grupo experimental (29 mulheres e 7 homens) com média de idade 42,55±7,84 anos. O programa oferecido ao grupo controle baseou-se em 2 palestras educativas sobre hábitos de higiene vocal e mecanismo da produção da voz. Para o grupo experimental foi proferida uma palestra sobre hábitos de higiene vocal e mecanismo de produção da voz e 4 sessões de treinamento de exercícios específicos para a voz. Estes exercícios abordaram: postura e relaxamento cervical; respiração; fonação, intensidade e freqüência; ressonância e articulação. Os sujeitos de ambos os grupos responderam 2 questionários: um sobre queixas vocais, hábitos bons e ruins para a voz e organização do trabalho e outro referente a qualidade de vida e voz (QVV). Uma da coleta da emissão da vogal [i] em tom habitual da fala foi realizada no início do programa e após 3 meses de finalização deste. A cada sessão de exercícios no grupo experimental foi realizado a coleta da vogal [i] em situação pré e pós treino. Após 3 meses da finalização do programa educativo, 73 sujeitos de ambos os grupos participaram da reavaliação da qualidade da voz e 70 responderam o questionário qualidade de vida vocal. O teste t de Student (pareado) foi utilizado para comparar medidas repetidas dentro do mesmo grupo e para comparar o efeito de interação do tratamento com o tempo, intra e inter-grupos, foi aplicado o teste Proc Mixed (medidas repetidas), utilizando-se o nível de significância (p<0,05). Os testes Qui-quadrado e exato de Fisher foram utilizados para testar a associação das variáveis independentes do questionário geral com as dependentes "Frequência Fundamental" e "Intensidade Média Vocal". Os resultados mostraram que os exercícios de postura e relaxamento cervical proporcionaram diminuição da média da freqüência fundamental masculina e os exercícios de fonação, intensidade e freqüência proporcionaram aumento da média da freqüência fundamental feminina, após o treino. Não houve diferença estatisticamente significativa para as variáveis da análise acústica da voz, quando comparadas as avaliações inicial e final após 3 meses do programa educativo, entre os grupos. Nas avaliações iniciais e finais dos escores (físico, psicoemocional e total) do QVV houve diferenças estatisticamente significantes para todos os escores, para o grupo controle e experimental, e não houve diferença da análise intergrupos. Pode-se concluir que o programa educativo teve efeitos benéficos para os professores, refletindo na melhora da qualidade de vida e voz.

ASSUNTO(S)

docentes distúrbios da voz educação em saúde saúde e trabalho faculty voice disorders health education occupational health

Documentos Relacionados