Pregnancy in women undergoing hemodialysis: case series in a Southeast Brazilian reference center

AUTOR(ES)
FONTE

Rev. Bras. Ginecol. Obstet.

DATA DE PUBLICAÇÃO

2015-01

RESUMO

OBJETIVOS: Descrever os resultados maternos e neonatais de mulheres grávidas que estavam em tratamento de hemodiálise em um centro de referência no Sudeste brasileiro. MÉTODOS: Estudo retrospectivo e descritivo, com revisão de prontuários de todas as gestações em hemodiálise, acompanhadas no pré-natal especializado da região Sudeste do Brasil. RESULTADOS: Entre as 16 mulheres identificadas, 2 foram excluídas devido à perda de seguimento. Das 14 descritas, a hipertensão foi a causa mais frequente de insuficiência renal crônica (50% dos casos). A maioria (71,4%) realizava tratamento de hemodiálise há mais de um ano e todas elas foram submetidas a 5 ou 6 sessões por semana. Onze mulheres tinham hipertensão crônica, 1 das quais também era diabética, e 6 eram fumantes. Em relação às complicações da gravidez, 1 das mulheres hipertensas desenvolveu hipertensão maligna (com restrição de crescimento fetal e parto prematuro com 29 semanas), 2 tiveram edema pulmonar agudo e 2 apresentaram descolamento prematuro de placenta. O tipo de parto foi cesariana em 9 mulheres (64,3%). Todos os recém-nascidos tiveram Apgar aos cinco minutos maior que 7. CONCLUSÕES: Para melhorar os resultados perinatais e maternos de mulheres em hemodiálise, é importante ter uma abordagem multidisciplinar em centro de referência, um controle rigoroso da uremia, hemoglobina e pressão arterial materna, bem como acompanhar de perto o bem-estar fetal e a morbidade materna. Outra estratégia importante é a orientação adequada para contracepção nessas mulheres. PURPOSE: To describe maternal and neonatal outcomes in pregnant women undergoing hemodialysis in a referral center in Brazilian Southeast side. METHODS: Retrospective and descriptive study, with chart review of all pregnancies undergoing hemodialysis that were followed-up at an outpatient clinic of high- risk prenatal care in Southeast Brazil. RESULTS: Among the 16 women identified, 2 were excluded due to follow-up loss. In 14 women described, hypertension was the most frequent cause of chronic renal failure (half of cases). The majority (71.4%) had performed hemodialysis treatment for more than one year and all of them underwent 5 to 6 hemodialysis sessions per week. Eleven participants had chronic hypertension, 1 of which was also diabetic, and 6 of them were smokers. Regarding pregnancy complications, 1 of the hypertensive women developed malignant hypertension (with fetal growth restriction and preterm delivery at 29 weeks), 2 had acute pulmonary edema and 2 had abruption placenta. The mode of delivery was cesarean section in 9 women (64.3%). All neonates had Apgar score at five minutes above 7. CONCLUSIONS: To improve perinatal and maternal outcomes of women undergoing hemodialysis, it is important to ensure multidisciplinary approach in referral center, strict control of serum urea, hemoglobin and maternal blood pressure, as well as close monitoring of fetal well-being and maternal morbidities. Another important strategy is suitable guidance for contraception in these women.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados