Documento


Perfil epidemiológico e clínico de pacientes admitidas com diagnóstico de sepse puerperal de origem pélvica em uma UTI obstétrica no Nordeste do Brasil

AUTOR(ES)
FONTE

Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil

DATA DE PUBLICAÇÃO

2010

RESUMO

OBJETIVOS: descrever o perfil epidemiológico e clínico das pacientes admitidas com o diagnóstico de sepse puerperal de origem pélvica em uma Unidade de terapia intensiva (UTI) obstétrica. MÉTODOS: um estudo de corte transversal, de fevereiro a agosto de 2010, foi conduzido. Foram investigados os casos de sepse puerperal de origem pélvica admitidas na UTI obstétrica do Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira (IMIP) - Recife - Brasil. As variáveis analisadas foram: idade, procedência, realização de pré-natal, via de parto, uso de sonda vesical, uso de cateter venoso central, intubação, uso de droga vasoativa, realização de relaparotomia, o número de relaparotomias realizadas, realização de histerectomia, ocorrência de complicações e óbito. RESULTADOS: identificamos 77 admissões por sepse, sendo 35 puerperal de origem genital. A idade média foi de 22,6 anos, a maioria procedente de cidades do interior do estado. 52,9% das mulheres tinham até 20 anos. 62,5% eram primíparas e 68,6% haviam sido submetidas a cesárea. Em relação à temperatura, 42,8% das pacientes apresentaram valores abaixo de 35ºC ou acima de 37,8ºC. Complicações ocorreram em 45,7% das pacientes. Diálise foi indicada em 40% e droga vasoativa utilizada em 22,9%. Histerectomia foi realizada em 44,1% das pacientes, sendo necessário relaparotomia em 54,3%. CONCLUSÕES: a sepse puerperal de origem genital é doença grave, que acomete mulheres jovens de baixa paridade. A freqüência de complicações e de procedimentos invasivos nesse grupo de mulheres é alto o que implica em alta morbidade e mortalidade. Conhecer de forma mais detalhada esse grupo de pacientes contribui com o conhecimento atual sobre a doença, melhorando a preparação dos centros para lidar a sepse puerperal de origem genital.

ASSUNTO(S)

sepse infecção puerperal cesariana




Comentários