Os desafios do trabalho na vida cotidiana de mulheres transexuais. / The challenges of work in the daily life of transsexual women.

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

14/12/2012

RESUMO

Este estudo buscou compreender como se dà a inserÃÃo de mulheres transexuais no mercado de trabalho formal e informal, procurando identificar os principais desafios enfrentados e os impactos da atividade laboral sobre a vida cotidiana dessas pessoas. Utilizando o enfoque da Psicologia Social, buscouse fugir da visÃo patologizante e preconceituosa que à predominante diante do tema âtransexualidadeâ, enquanto o tema âtrabalhoâ foi abordado como um elemento fundamental na constituiÃÃo do sujeito, porÃm repleto de contradiÃÃes. Adotou-se como metodologia a proposiÃÃo de âCampo-temaâ, que permite acessar o assunto nos mais diversos espaÃos que ele se manifeste. Para isso, inicialmente, foi realizada uma aproximaÃÃo com o tema a partir da literatura cientÃfica, de obras de ficÃÃo e reportagens. Depois, buscouse a relaÃÃo direta com pessoas transexuais, a participaÃÃo em grupos que discutem o assunto e contatos via internet. Desses contatos foram selecionadas treze, cujos relatos das vivÃncias profissionais foram considerados significativos para uma anÃlise mais aprofundada. Foi possÃvel observar que a maioria das transexuais femininas, alÃm das dificuldades de aceitaÃÃo por parte dos familiares, costuma ser vÃtima de discriminaÃÃes desde os primeiros anos da educaÃÃo formal e que a exclusÃo no contexto escolar està intimamente relacionada Ãs dificuldades para o ingresso no mercado de trabalho. Para a compreensÃo da experiÃncia profissional optou-se por discutir a vivÃncia cotidiana de transexuais em trÃs contextos especÃficos de trabalho: teleatendimento, salÃes de belezas e prostituiÃÃo. AlÃm de terem sido bastante citados ao longo da pesquisa, considerou-se que sÃo exemplares para a anÃlise dos diferentes aspectos que envolvem as constantes negociaÃÃes cotidianas que as transexuais precisam realizar com as normas sociais. Verificou-se que as transexuais nÃo sÃo vÃtimas passivas dos preconceitos. Para lidar com eles buscam em seu cotidiano uma constante aproximaÃÃo com as normas que permitem maior inserÃÃo social, inclusive no campo do trabalho. No setor de teleatendimento, percebeu-se que as transexuais valorizam muito o vÃnculo empregatÃcio formal e, para manter-se empregadas, estÃo dispostas a se submeter à precarizaÃÃo e Ãs severas regras que envolvem a Ãrea. Encontram maior facilidade para trabalharem na Ãrea da beleza, identificandose com a atividade e relatando maior satisfaÃÃo e reconhecimento social. Jà as profissionais do sexo encaram a ocupaÃÃo como algo transitÃrio e necessÃrio para a sua sobrevivÃncia, vivendo um cotidiano de vulnerabilidade e expondo o desejo de ter uma profissÃo mais valorizada socialmente. Finaliza-se com uma reflexÃo sobre o papel que a psicologia, enquanto ciÃncia e profissÃo, vem desempenhando com relaÃÃo ao tema estudado e sobre as possÃveis contribuiÃÃes que pode oferecer para conscientizaÃÃo social e o combate ao preconceito contra as pessoas transexuais.

ASSUNTO(S)

quotidian psicologia transexualidade trabalho preconceito vida cotidiana transsexuality work prejudice

Documentos Relacionados