Ocorrência de Aspergilose pulmonar em cães com sintomatologia respiratória atendidos no HCV- UFRGS, Porto Alegre

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

2012

RESUMO

A pneumonia fúngica é uma infecção pulmonar profunda causada principalmente por fungos do gênero Aspergillus, incluindo A. fumigatus, A. niger, A. flavus e A. terreus. Se encontram mais comumente em matéria orgânica em decomposição. Seus propágulos estão presentes na poeira e no ar, o que favorece a inalação, porta principal de entrada do agente no organismo. Produzem grande quantidade de conídios com menos de 8 ¿, fazendo com que, quando inalados, alcancem o leito pulmonar. É o gênero considerado o mais comum em nosso planeta e o A. fumigatus é a espécie mais frequentemente descrita em invasão tecidual. Em animais e humanos, os sistemas respiratório e imunológico saudáveis são suficientes para eliminar os propágulos das vias aéreas, evitando sua colonização. Doenças e fármacos imunossupressores têm sido descritos como fatores predisponentes da infecção pulmonar fúngica, considerada oportunística. É considerada rara em cães. Os sinais clínicos são variados, mas a tosse persistente e a não cessação dos sinais com o uso de antimicrobianos são dados para suspeita de pneumonia fúngica. No exame radiológico de pulmões, são descritas várias imagens, das quais a mais relatada é a de padrão intersticial nodular miliar generalizado, embora não seja imagem patognomônica. Este trabalho teve como objetivo verificar a ocorrência de aspergilose pulmonar em cães com sintomatologia respiratória atendidos no Hospital de Clínicas Veterinárias da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (HCV-UFRGS), localizado na cidade de Porto Alegre. A amostragem foi composta por 46 cães nos quais foi realizado Biópsia por Aspiração com Agulha Fina (BAAF) nos dois pulmões, coleta de sangue e exame radiológico torácico. O material obtido de uma punção foi homogeneizado com caldo Sabouraud Dextrose líquido. Parte deste homogeneizado foi semeado em Agar Malte para Aspergillus spp. e feito exame direto em lâmina e com colotração de Grocott. A outra parte foi semeada em vários meios de cultura para exame bacteriológico. Do material obtido na outra punção foi realizado exame citopatológico corado pelo método Panótico Rápido. Do soro obtido do sangue coletado foi realizado exame soromicológico para A. fumigatus, A. flavus e A. niger. Os resultados dos exames micológico, citopatológico, soromicológico e bacteriológico foram negativos para todas as amostras testadas. Não havendo positividade dos exames, não foi possível correlacionar a pneumonia fúngica com as imagens radiológicas obtidas dos pulmões dos 46 cães radiografados. A maioria dos cães viviam em áreas abertas, em contato com matéria orgânica onde o fungo frequentemente se encontra. Os exames para detecção de fungos devem ser analisados com cautela, pois o resultado positivo em um único exame não confirma a presença da infecção, pois o agente pode estar presente frequentemente no trato respiratório superior de cães.

ASSUNTO(S)

veterinary microbiology aspergilose pulmonar invasiva micologia veterinaria : fungos pulmonary aspergillosis doença animal : cães dogs pneumonia : fungos

Documentos Relacionados