Óbitos em instituição asilar

AUTOR(ES)
FONTE

Revista da Associação Médica Brasileira

DATA DE PUBLICAÇÃO

01/06/2011

RESUMO

OBJETIVO: Definir as causas de morte em população internada em instituição de longa permanência para idosos (ILPI) MÉTODOS: ILPI de 508 leitos com prontuários padronizados, reuniões periódicas sobre atestados de óbitos e com 12 médicos responsáveis pela supervisão e/ou emissão deles. Considerou-se o padrão deste procedimento suficientemente uniforme para análise dos prontuários e atestados de óbitos emitidos durante o ano de 2006, visando definir dados gerais (sexo e idade), causa da morte e causa(s) básica(s). Análise estatística comparou casuísticas entre os dois sexos e faixas etárias (< 75 anos e > 75 anos de idade). RESULTADOS: Ocorreram 118 óbitos durante o ano de 2006 (idade média: 74,5 ± 15,2 anos) - 64 mulheres (idade média: 78,4 ± 14,4 anos) e 54 homens (idade média: 69,8 ± 15,0 anos) -, sendo as causas de morte: sepse( 41 óbitos), choque séptico (25), broncopneumonia (16), morte súbita (11), falência de múltiplos órgãos (9), outras causas (16 óbitos). As principais causas básicas foram infecciosas (63 óbitos) - broncopneumonia (34), sepse (12), infecção urinária (7), úlceras de pressão infectadas (7), osteomielite (2) e colangite (1); seguidas da síndrome da imobilidade (42 óbitos). Observou-se significância estatística para a proporção de idosas > 75 anos e não houve para sazonalidade, causa de morte ou básica considerando-se infecciosas e não infecciosas versus homens e mulheres, maiores ou menores de 75 anos de idade. CONCLUSÃO: Óbitos em ILPI decorrem basicamente da somatória de imobilidade e infecções que evoluem para quadros sépticos.

ASSUNTO(S)

idoso instituição de longa permanência para idosos mortalidade

Documentos Relacionados