O processo de identificação organizacional ante a reforma administrativa: um estudo exploratório

AUTOR(ES)
FONTE

RAM, Rev. Adm. Mackenzie

DATA DE PUBLICAÇÃO

31/01/2014

RESUMO

Este artigo tem por objetivo analisar como se configura o processo de identificação dos servidores públicos de Minas Gerais ante a implantação da Avaliação de Desempenho Individual e do Prêmio de Produtividade. A discussão tem como em­basamento teórico os pressupostos da Teoria da Identidade Social, bem como os trabalhos que discutem o processo de identificação com as organizações, como em Ashforth e Mael (1989), Pratt (1998), Dutton, Dukerich e Harquail (1994) e Ashforth, Harrison e Corley (2008). O foco deste estudo restringiu-se à percepção dos sujeitos entrevistados sobre seu próprio processo de identificação, mediante os novos instrumentos de gestão de pessoas implantados pelo governo de Minas. Seguindo esses pressupostos, a identificação organizacional é entendida como uma das possíveis formas de identificação social e, dependendo da intensidade dessa identificação, configuram-se a superidentificação e a desidentificação, além da identificação ambivalente e identificação neutra. No estudo empírico realizado, optou-se por uma pesquisa exploratória, de cunho qualitativo, na qual foram feitas observações e entrevistas, em profundidade, com os servidores públicos lotados em uma Secretaria Estadual de Minas Gerais. As análises permitiram averiguar que os policiais militares entrevistados possuem uma identificação de caráter ambivalente. Os vários níveis de intensidade da identificação organizacional envolveram a apropriação de atributos e valores associados à identidade da organização e a de seus membros. No entanto, essa identidade precisa ser modificada durante a mudança organizacional, promulgando a seus membros os novos valores e atributos na nova situação. Esses valores e atributos têm de ser desejáveis anteriormente por seus membros para diminuírem as resistências às mudanças. Apesar de os aspectos salariais e de reconhecimento profissional serem recorrentes nos depoimentos por meio de menções à progressão na carreira, o Prêmio por Produtividade e a Avaliação de Desempenho Individual (ADI) não constituíram fatores que efetivamente influenciaram o processo de identificação dos servidores estaduais.This paper aims to examine how to configure the identification process of public servants of Minas Gerais forward the implementation of Individual Performance Evaluation and Productivity Award. The theoretical discussion is grounded in the Theory of Social Identity and in the works that discuss the process of identification with the organizations such as Ashforth and Mael (1989), Pratt (1998), Dutton, Dukerich and Harquail (1994), and Ashforth, Harrison and Corley (2008). The focus of this study was restricted to the perception of the interviewees about their own process of identification, through the new instruments for managing people deployed by the State Government. Following these assumptions, organizational identification is seen as the possible ways of social identification. Accor-ding to the intensity, those identifications are configured to over identification, misidentification, ambivalent identification and neutral identification. The empirical research was exploratory and qualitative. We made observations and interviews with public servants from Minas Gerais. The analysis demonstrated that the interviewed policemen have an ambivalent identification. The various intensity levels of organizational identification involved the appropriation of attributes and values associated with the organization's identity and the identity of its members. However, this identity needs to be modified during organizational change, enacting its members the new values and attributes in the new situation. These values and attributes have to be desirable by its members previously to decrease the resistance changes. Despite of their pay and professional recognition are recurrent in the appointments, the Productivity Award and Performance Evaluation Individual (ADI) didn't constitute factors that actually influenced the policemen identification process.

ASSUNTO(S)

applied social sciences

Documentos Relacionados