O "Kung Fu" no Brasil na perspectiva dos mestres pioneiros: problemas e perspectivas no uso da história oral como instrumental de análise

AUTOR(ES)
FONTE

Rev Bras Educ Fís Esporte

DATA DE PUBLICAÇÃO

03/04/2014

RESUMO

Objetivando analisar a disseminação das artes marciais chinesas no Brasil optamos por entrevistar mestres pioneiros que imigraram da China trazendo na bagagem o "Kung Fu". Ao fazer esta opção em nossa dissertação, tomamos contato com um instrumental que é o uso de entrevistas na perspectiva da História Oral. Remexer a memória, aceitar os silêncios, respeitar o conhecimento construído e desconstruir outros, por si só já se mostram tarefas bastante árduas. Escutar estes mestres nos levou, mesmo que superficialmente, a tentar compreender aspectos da cultura chinesa sob os quais os mestres e o próprio "Kung Fu" se fundamentaram. Entender as lacunas, as dificuldades e as possibilidades do uso da História Oral como ferramenta metodológica é o que neste artigo buscamos, na perspectiva de contribuir com análises semelhantes, seja de outras práticas marciais ou mesmo de outros olhares sobre a cultura chinesa. Assim sendo, objetivamos neste artigo apontar e discutir a metodologia da História Oral e sua pertinência para o estudo das práticas marciais a partir do uso de entrevistas. Podemos, fruto da discussão apresentada, apontar a História Oral como instrumental bastante útil para a discussão das práticas marciais, considerando logicamente, as pertinências e especificidades necessárias para a adequada utilização desta metodologia de pesquisa.In order to check the spread of Chinese martial arts in Brazil, teachers pioneers who immigrated from China bringing in the Kung Fu were interviewed By making this choice in our dissertation, we contact an instrumental which is the use of interviews in the perspective of Oral History. Rummaging memory, accepting the silences, respecting knowledge built and deconstructing others may be considered as a very arduous task. Listen to these masters took us, even superficially, to try to understand some aspects of Chinese culture which the masters and Kung Fu itself is based on. Understand the gaps, difficulties and possibilities of the use of oral history as a methodological tool is what we seek in this article, in order to contribute to similar analyzes, either of martial practices or even to other perspectives on Chinese culture. Therefore, we aimed to point out and discuss the methodology of oral history and its relevance to the study of martial practices from the use of interviews. The results of the present discussion suggest that the Oral History is a useful instrument for the discussion of martial practices, notably considering the pertinence and specificity for the proper use of this research methodology.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados