Motricidade fina na criança: um estudo bibliométrico da literatura nacional e internacional

AUTOR(ES)
FONTE

IBICT

DATA DE PUBLICAÇÃO

16/02/2012

RESUMO

A coordenação motora fina é essencial para o desenvolvimento neuropsicomotor e intelectual da criança. Usar a motricidade fina para manipular objetos e realizar necessidades funcionais desempenha papel vital no desenvolvimento infantil e na participação das atividades de vida diária, assim dificuldades na motricidade fina afetam o desempenho escolar, influenciando negativamente a auto-estima e o senso de competência da criança. O objetivo geral deste estudo foi descrever como se configura o campo científico da Motricidade Fina em crianças nas bases de dados nacionais e internacionais. Além disso, teve como objetivos específicos analisar a produção científica sob parâmetros bibliométricos, mapeando a produção científica da motricidade fina dentro dos componentes relacionados à função do corpo, a participação em atividades e aos fatores ambientais. A metodologia utilizada foi a análise bibliométrica dos trabalhos recuperados nas bases de dados nacionais e internacionais, Banco de Teses da CAPES, BVS, ScienceDirect e Scopus. Os procedimentos metodológicos da pesquisa foram divididos nas seguintes em etapas: Etapa 1 Revisão de literatura sobre Desenvolvimento Humano, Desenvolvimento Motor Infantil, Terapia Ocupacional e Ciência da Informação; Etapa 2 Coleta de dados e sistematização dos dados; Etapa 3 - Análise bibliométrica: organização e tratamento bibliométrico dos registros coletados utilizando os softwares Vantage Point para análise bibliométrica e MS Excel para elaboração de gráficos e tabelas para apresentação dos dados; Etapa 4 - Descrição e analise dos resultados, recuperando-se os conceitos expostos no referencial teórico para fundamentar as análises e interpretações dos dados obtidos. Ao final da pesquisa produziram-se os seguintes indicadores bibliométricos: no Banco de Teses da Capes o ano de maior produção foi 2002; o gênero dos autores e orientadores que se destacou foi o feminino; a formação da maioria dos autores é na área de Educação Física e Fisioterapia; a maioria dos trabalhos são de nível de mestrado; a Universidade que mais tem trabalhos na área é a UDESC, no programa de pós-graduação de Ciência do Movimento Humano; a agência de fomento que mais financia os trabalhos é a CAPES; grande parte dos trabalhos são descritivos; a escala mais utilizada é a EDM (Rosa Neto, 2002); a temática mais abordada é sobre Desenvolvimento Motor e os trabalhos apresentam perspectivas direcionadas as funções e estruturas do corpo. Com relação as bases de dados da BVS, ScienceDirect e Scopus, as publicações cresceram ao longo dos anos, com destaque para 2010; a maioria dos registros são de autoria coletiva; a formação dos autores é em Terapia Ocupacional (33%), Fisioterapia (19%) e Educação Física (15%); o idioma predominante é o inglês; na BVS o país que mais indexa artigos é o Brasil; na ScienceDirect e Scopus é os EUA; os periódicos que mais se destacaram na BVS foi a Revista Temas Sobre desenvolvimento; na ScienceDirect foi a Human Movement Science; e na Scopus foram os periódicos Developmental Medicine &Child Neurology (8%), American Journal of Occupational Therapy (7%) e o Physical and Occupational Therapy in Pediatrics (5%); as perspectivas dos estudos recuperados apresentam o tema da motricidade fina ancorado nas concepções de estrutura e funções do corpo nas três bases (56% - BVS; 69% - ScienceDirect; 71% - Scopus); a maioria dos estudos são de caráter transversal (94%), e descritivo (81%); as temáticas mais abordadas foram: coordenação motora fina (75%), desenvolvimento motor (35%), crianças (28%), pré-escolares (27%) e escalas de avaliação (21%); os instrumentos de coleta de dados mais utilizados nos artigos recuperados foram testes de habilidade motoras finas não padronizados (22%), seguido da Escala Peabody (12%), teste de Proficiência Motora de Bruininks-Oseretsky (7%) e a M-ABC (7%); identifica-se o tema da motricidade fina relacionado principalmente com o desenvolvimento motor (7%), autismo (5%), prematuridade (5%) e contexto escolar (5%).

ASSUNTO(S)

terapia ocupacional coordenação motora bibliometria pré-escolares fisioterapia e terapia ocupacional fine motor skills preschoolers bibliometrics

Documentos Relacionados