Mitos e verdades no ensino de técnicas projetivas

AUTOR(ES)
FONTE

Psico-USF

DATA DE PUBLICAÇÃO

31/03/2014

RESUMO

O objetivo do presente estudo foi esclarecer mal entendidos comumente encontrados no ensino de técnicas projetivas. Foram desenvolvidos três temas: o mito da exclusividade da psicanálise sobre esses instrumentos, a reavaliação da nomenclatura das técnicas e o mito da ausência de validade. Encontrou-se que há publicações que dão suporte à utilização dessas técnicas por psicólogos de diversas abordagens, exemplificando com um teste desenvolvido pelo behaviorista Skinner. A possibilidade de uma nova terminologia, questionada por outros pesquisadores, foi apresentada. Além disso, a revisão concluiu que as técnicas demonstram cientificidade em diversos contextos da Psicologia.The aim of this study was to clarify misunderstandings commonly found in the teaching of projective techniques. Three themes were developed: the myth of psychoanalysis' exclusivity on these instruments, the revaluation of the naming of the techniques, and the myth of lack of validity. It was found that there are publications supporting the use of such techniques by psychologists of various approaches, exemplifying with a test developed by behaviorist Skinner. The possibility of a new terminology, questioned by other researchers, was presented. In addition, the review concluded that the techniques demonstrated scientific criteria in various contexts of Psychology.

ASSUNTO(S)

human sciences

Documentos Relacionados