Midiatizacao do crack e estigmatizacao: corpos habitados por historias e cicatrizes

AUTOR(ES)
FONTE

Interface

DATA DE PUBLICAÇÃO

17/03/2014

RESUMO

Neste artigo propomos uma análise das experiências de usuários de crack em relação ao próprio corpo, sensações e histórias relacionadas ao uso da droga. Baseados nas pressuposições metodológicas da Hermenêutica de Profundidade, observação participante e grupos focais foram conduzidos em um Centro de Atenção Psicossocial para usuários de álcool e outras drogas. A análise foi apoiada por autores da sociologia, psicologia social e psicanálise. Nos discursos dos profissionais da saúde, usuários de crack e da mídia de massa, foi confirmada a reprodução e manutenção das relações de dominação entre homens e mulheres. O corpo do usuário é alvo de categorizações sociais e acaba sendo colado à identidade de usuário de crack. Outro aspecto relevante observado foi que os usuários de crack apresentaram um pensamento crítico contra os discursos hegemônicos sobre drogas veiculados nos meios de comunicação.In this paper, we put forward an analysis on the experiences of crack users in relation to their own bodies, feelings and histories relating to drug use. Based on the methodological presuppositions of deep hermeneutics, participant observation and focus groups were conducted at a psychosocial care center for alcohol and other drugs. The analysis was supported by authors within sociology, social psychology and psychoanalysis. In the discourse of healthcare professionals, crack cocaine users and the mass media, it was confirmed that relationships of domination between men and women were reproduced and maintained. Users’ bodies are a target for social categorizations and end up becoming attached to crack cocaine users’ identities. Another important point observed was that crack cocaine users presented critical thinking against the hegemonic discourse on drugs that is carried in the communication media.

ASSUNTO(S)

health sciences human sciences

Documentos Relacionados