Maternal Eating and Physical Activity Strategies and their Relation with Children's Nutritional Status

AUTOR(ES)
FONTE

Rev. Latino-Am. Enfermagem

DATA DE PUBLICAÇÃO

31/03/2014

RESUMO

OBJETIVOS: descrever as estratégias maternas referentes à alimentação e à atividade física (monitoramento, disciplina, controle, limites e reforço), determinar a relação entre as estratégias maternas referentes à alimentação e à atividade física e o estado nutricional da criança (índice de massa corporal e porcentagem de gordura corporal) e verificar se as estratégias maternas diferem de acordo com o estado nutricional da criança. MÉTODO: participaram 558 mães e filhos (3 a 11 anos), estudantes em escolas públicas. A Escala Estratégias Parentais referentes à Alimentação e à Atividade foi aplicada, e o peso, a altura e a porcentagem de gordura corporal da criança foram medidos. Para a análise, foram obtidas estatísticas descritivas e foram aplicados a regressão linear múltipla e o teste de Kruskal-Wallis. RESULTADOS: o reforço apresentou a média mais alta (62,72) e o controle, a mais baixa (50,07). Disciplina, controle e limites representaram 12% do índice de massa corporal, e disciplina e controle, os 6% da porcentagem de gordura corporal. O maior controle é exercido em crianças que apresentam obesidade (χ2=38,36, p=0,001), e o maior reforço, em crianças com baixo peso (χ2=7,19, p<0,05). CONCLUSÕES: mães exercem maior controle (pressão para comer) sobre crianças obesas e concedem maior reconhecimento (elogio por uma alimentação saudável) às crianças com baixo peso. Recomenda-se que as estratégias parentais sejam modificadas, a fim de fortalecer hábitos saudáveis de alimentação e atividade física. OBJECTIVES: to describe the maternal eating and physical activity strategies (monitoring, discipline, control, limits and reinforcement) [MEES]; to determine the relation between MEES and the child's nutritional status [body mass index (BMI) and body fat percentage (BFP)]; to verify whether the MEES differ according to the child's nutritional status. METHOD: participants were 558 mothers and children (3 to 11 years of age) who studied at public schools. The Parental Strategies for Eating and Activity Scale (PEAS) was applied and the child's weight, height and BFP were measured. For analysis purposes, descriptive statistics were obtained, using multiple linear regression and the Kruskal-Wallis test. RESULTS: the highest mean score was found for reinforcement (62.72) and the lowest for control (50.07). Discipline, control and limits explained 12% of the BMI, while discipline and control explained 6% of the BFP. Greater control is found for obese children (χ2=38.36, p=0.001) and greater reinforcement for underweight children (χ2=7.19, p<0.05). CONCLUSIONS: the mothers exert greater control (pressure to eat) over obese children and greater recognition (congratulating due to healthy eating) in underweight children. Modifications in parental strategies are recommended with a view to strengthening healthy eating and physical activity habits.

ASSUNTO(S)

health sciences

Documentos Relacionados